Diário Olímpico IV – Drama no Keirin Feminino, domínio completo no Omnium Masculino!

Keirin Feminino

A holandesa Shanne Braspennincx conquistou a medalha de ouro no Keirin feminino dos Jogos Olímpicos de Tokyo 2020, batendo ao sprint Ellesse Andrews da Nova Zelândia, que acabou na segunda posição. A holandesa de 30 anos de idade pareceu poderosa ao longo das diversas Séries, levando a vitória tanto nos quartos de final, assim como na meia final em que participou.

A desilusão da final cai para as seleções Ucraniana e Canadiana, que tendo duas ciclistas presentes cada uma não foram capazes de tirar vantagem na procura pela vitória.

O pódio ficou completo com a Canadiana Lauriane Genest, que levou o Bronze. A Ucraniana Olena Starikova ficou em quarto lugar, enquanto a Canadiana Kelsey Mitchell foi quinta e a Ucraniana Liubov Basova foi sexta, após o último lugar obtido na corrida decisiva.

Na final B entre as seis corredoras que perderam as meias finais, a corrida foi ganha pela alemã Emma Hinze que ficou assim na 7ª posição da competição, à frente da famosíssima ciclista de Hong Kong, Lee Wai Sze, que foi oitava e levou o último diploma disponível.

As ciclistas na última curva da prova do Keirin Feminino

Ominium Masculino

O Britânico Matthew Walls é o novo campeão olímpico de Omnium, após uma grande exibição durante todo o evento de quatro corridas! O jovem de 23 anos venceu a corrida de Scratch e foi terceiro na corrida por Tempo, para depois terminar em segundo lugar na prova de Eliminação e garantir o Ouro com uma excelente exibição na corrida por Pontos, que lhe valeu o quinto lugar na última prova da competição.

O campeão em título, o Italiano Elia Viviani, que começou mal nas duas primeiras provas, até estava bem colocado para ficar com a prata após uma grande recuperação, mas foi o Neozelandês Campbell Stewart a ficar com a prata, após cumprir de forma taticamente perfeita as últimas voltas, colocando o Italiano com o bronze, e deixando o francês Benjamim Thomas sem medalha, ele que após duas corridas liderava empatado com Walls e com o Holandês Jan Willem van Schip, todos com 76 pontos.

Walls terminou com 153 pontos, à frente de Stewart com 129, e Viviani com 124.

SCRATCH

Na prova de Scratch, o Britânico Matthew Walls assumiu desde logo a liderança do Omnium após integrar um grupo de cinco ciclistas que deu uma volta à pista durante a corrida de 10km em grupo. Na primeira da série de quatro corridas no Omnium, Walls conquistou os 40 pontos, enquanto na segunda posição ficou Benjamin Thomas, de França, com 38, e Jan Willem van Schip, da Holanda, com 36 pontos fechava o pódio provisório. Artyom Zakhrov e Niklas Larsen foram os outros dois ciclistas a seguirem na movimentação, sendo quarto e quinto, respetivamente. O vencedor do Rio 2016, Elia Viviani, foi apenas 13º, e quase levava duas voltas de avanço.

TEMPO

Para aumentar mais as diferenças para os adversários, foi o mesmo trio dominou também a corrida por Tempo, apenas invertendo as posições do pódio. A liderança inicial na corrida tinha sido partilhada por Walls e Thomas, o Campeão Mundial de Omnium, que conquistaram desde logo uma volta de avanço. Logo de seguida foi o Suíço Thery Schir, o Dinamarquês Niklas Larsen e o Belga Kenny de Ketele a distanciarem-se em busca de uma volta. A eles juntou-se o Italiano Elia Viviani, com o quarteto a ganhar também uma volta e 20 pontos cada um. Após 36 sprints em 40 voltas, van Schip foi quem mais pontuou, vencendo assim a corrida e conquistando os 40 pontos respetivos, com Thomas a ser segundo e a fazer 38 pontos, e Walls a ser terceiro e a conquistar 36 pontos. A vitória na corrida colocou Van Schip, Walls e Thomas no topo da classificação do Omnium, com 76 pontos cada. Larsen era quarto com 62 pontos, enquanto Viviani estava fora dos dez primeiros.

ELIMINAÇÃO

A corrida de Eliminação fez Elia Viviani renascer, com o Italiano a vencer para ainda tentar defender o seu título de 2016! A vitória manteve vivas as esperanças de Viviani, após prestações dececionantes nas primeiras duas corridas. Walls foi quem mais beneficiou da corrida, ao ser segundo e a abrir de novo vantagem para os adversários mais diretos, assumindo uma vantagem de quatro pontos na geral. A prova de Eliminação teve várias surpresas, desde logo com a eliminação precoce do Alemão Roger Kluge. A ele juntaram-se depois o Americano Gavin Hoover e o Belga Kenny de Ketele, antes do Australiano Sam Welsford e o candidato a medalha, Niklas Larsen, serem também eliminados. Seguiram-se o Espanhol Albert Torres e Thomas, que assim perdia alguns pontos para os rivais mais diretos. O Neozelandês Campbell Stewart fez uma prova cansativa, mas foi eliminado na quinta posição. Jan Willem Van Schip acabou por ser eliminado de seguida, ficando com a quarta posição e vendo Walls ainda dar voltas à pista. Com três ciclista em prova, Thery Schir não aguentou o ritmo de Walls e Viviani, e foi terceiro, e na última das voltas o italiano levou a melhor com facilidade, deixando o líder da competição no segundo lugar, para subir à sexta posição da geral.

PONTOS

Walls entrou para a última prova com uma vantagem de quatro pontos sobre Jan Willem Van Schip e Benjamin Thomas, mas foram o Alemão Roger Kluge e o Bielorusso Yauheni Karaliok a conquistar uma primeira volta ao pelotão. No entanto, com 86 voltas para percorrer, Walls lançou também ele uma forte aceleração, e sem resposta de pronto conquistou uma volta de avanço, logo após passar na frente no segundo sprint intermédio, e garantiu 25 pontos. Campbell Stewart atacou também para dar uma volta de avanço e conquistar o sprint seguinte, para subir para quarto na classificação geral. Kluge e Karaliok atacaram logo de seguida para conquistarem nova volta e a eles se juntou Elia Viviani, que assim se colocou com a Prata provisória. A tentativa de dobrar o pelotão foi tão longa, que Viviani ainda conquistou dois sprints intermédios. Walls acelerou para garantir o sétimo sprint intermédio e alargar ainda mais a sua vantagem, com Viviani a conquistar o oitavo sprint e a procurar agarrar com unhas e dentes a medalha de Prata. Parecia que as medalhas estavam entregues à disputa do sprint final, onde as pontuações dobravam, mas com 17 voltas para o fim foi Stewart quem ganhou vantagem com Albert Torres e Niklas Larsen. O trio ganhou uma volta com a corrida já a dar as últimas, e com apenas os pontos duplos em disputa no sprint final, Stewart fez o suficiente para empurrar Viviani para o Bronze e garantir a Prata.

Matthew Walls a celebrar a conquista do Ouro Olímpico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock