Performance sensacional de Pidcock vale Ouro Olimpico!

Aos 21 anos, o britânico Tom Pidcock conquistou o ouro na prova masculina de BTT nos Jogos Olímpicos de Tóquio para vencer e bater os homens fortes da especialidade. O suíço Mathias Flueckiger (Suíça) levou para casa a medalha de prata com, talvez a maior surpresa, David Valero Serrano (Espanha) a conquistar o bronze.

O talentoso e versátil ciclista começou a prova até com um susto, evitando por pouco uma queda do holandês Mathieu van der Poel na volta de abertura, num salto bastante técnico, mas a partir daí controlou a corrida desde o momento em que chegou ao grupo na dianteira. Pidcock seguiu o ritmo inicial estabelecido pelos suíços Mathias Flueckiger e Nino Schurter, que queriam desde cedo partir a corrida, antes de desferir o seu primeiro ataque no final da segunda volta. A aceleração serviu apenas como um aviso do que iria ser a parte final da prova do britânico, até à chegada das duas voltas finais em que decidiria a corrida.

Schurter foi o primeiro a descolar da roda de Pidcock, enquanto o compatriota Flueckiger a aguentar até à quarta volta. Flueckiger estava apenas a 6s do britânico no início da quinta volta, e ainda conseguiu reduzir a mesma para os 3s numa fase mais plana, mas à chegada a uma íngreme rampa acabou por quebrar, permitindo que Pidcock voltasse a alargar a sua vantagem para os 15s. Com uma vantagem confortável, Pidcock pôde fazer uma corrida mais pelo seguro, sem necessidade de arriscar e cometer erros que o pudessem afastar da vitória. Na entrada para a última volta, o jovem de 21 anos mantinha a vantagem sobre Flueckiger, enquanto Anton Cooper (Nova Zelândia), David Valero Serrano (Espanha), Victor Koretzky (França) e Nino Schurter lutavam pelo bronze numa marcação bastante apertada.

Pidcock cruzou a linha de meta isolado, e conquistou uma grande vitória na sua estreia Olímpica, mostrando-se bastante emocionado naquele que foi o maior triunfo da sua carreira. Flueckiger chegou 20s depois e conquistou a prata, enquanto Serrano acabou por ser o mais forte na luta pelo bronze, terminando a 34s do vencedor. O Campeão Olímpico de 2016, Nino Schurter, foi forçado a contentar-se com o quarto lugar na linha de chegada, terminando a 42s de Pidcock.

Pidcock chegou aos Jogos Olímpicos tendo fraturado uma clavícula no início deste Verão, quando foi atropelado por um carro. A vitória foi o culminar de uma incrível reviravolta e superação!

Amanhã na prova feminina teremos a participação da estreante Raquel Queirós pelas cores nacionais.

O Pódio do XCO Masculino

Classificações Completas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock