Yates foi gregário de luxo na vitória de Pogacar! Almeida 6º!

O esloveno Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) venceu a terceira etapa do UAE Tour, na chegada a Jebel Habeef! Adam Yates, que tentou a todo custo “rebentar” com Pogacar, ficou-se pela 2ª posição, depois de indiretamente ajudar, ao nunca sair da frente do esloveno.

Tendo-se agarrado à roda durante grande parte da subida final de 10.8km – onde a mesma dupla lutou há 12 meses atrás -, o campeão do Tour de France utilizou a ligeira descida nos últimos 500m para apanhar Yates desprevenido e ganhar a etapa.

João Almeida deu uma boa réplica daquilo que poderá ser mais uma excelente corrida, cruzando a meta na 6ª posição a 48 segundos de Pogacar e Yates. O Português sofreu muito depois da aceleração de Yates e Kuss, onde só Pogacar não descolou. Depois disso, Almeida geriu a situação juntamente com outros corredores, e fez a maioria da subida a puxar um grupo de 4 a 6 elementos.

Sergio Higuita (EF Education – Nippo) foi o mais rápido do pequeno grupo de perseguição, onde se incluía João Almeida, ficando com a 3ª posição e os 4s de bonificação.

Nas contas pela Geral, João Almeida deixa a 2ª posição, que é agora de Yates, descendo para 3ª, a 20 segundos do britânico e a 1:03 do esloveno. Nas restantes classificações, Pogacar passa a liderar também por pontos, “roubando” a Almeida a liderança. Em sprints intermédios a liderança continua a ser do português, mas passa a ser partilhada com Tony Gallopin (AG2R Citroen Team).

Ruben Guerreiro (EF Education – Nippo) foi 30º na etapa, a 2:40 de Pogacar, e segue agora em 29º na geral, a 12:14 do esloveno.

Em declarações aos jornalistas, Pogacar afirma que a equipa queria a vitória, mas que sabia que seria extremamente difícil.

“Quando a distância sobre o Almeida cresceu, eu quis mantê-la. Penso que o Adam também estava a pensar no mesmo, e no final é super importante que o fosso temporal tenha sido aumentado.

Tadej Pogacar

Pogacar reitera que a corrida não está nem de perto ganha. “Ainda temos quatro etapas. Qualquer coisa pode acontecer nas etapas planas e na última subida. Vai ser uma batalha dura até ao final”.

Como foi a subida final?

No inicio da subida, Gallopin acelerou na fuga do dia, enquanto que Thomas Gendt se deixou ficar e foi rapidamente alcançado pelo pelotão. A UAE, através de Polanc, acelerou também o passo e foi fazendo uma mini seleção do grupo. A 8.3kms, Gallopin foi alcançado e o grupo contava com cerca de 40 corredores.

Corredores como Alexey Lutsenko (Astana – Premier Tech) e Chris Froome (Israel Start-Up Nation) começavam a ficar na corda do grupo, com a surpresa a ser o campeão europeu Giacomo Nizzolo (Qhubeka Assos) bem posicionado. Quilómetros mais tarde, o grupo afinou-se mais, com Alejandro Valverde (Movistar) – um antigo vencedor nesta montanha – a ceder terreno.

A equipa da casa continuou o ritmo alto, com Jan Polanc, Rafał Majka, e Davide Formolo em frente a Pogačar. Polanc encostou com 6.9 km, enquanto a Ineos Grenadiers começava a subir no grupo para demostrar que vinham em força – Rivera, Sosa e Martinez, uma armada colombiana a cavalgar com Adam Yates. Majka subiu o ritmo e Froome estava entre os que perderam contacto, juntamente com Wout Poels (Bahrain Victorious) e Patrick Konrad (Bora – Hansgrohe). A 6 km do fim, Majka encostou, deixando apenas Formolo com Pogačar. Brandon Rivera veio à tona para a equipa britânica, que ainda tinha Ivan Sosa e Dani Martinez com Yates. Martinez logo apareceu na frente e rebentou com o grupo a 5.5 km para o fim. Num piscar de olhos, apenas 11 corredores permaneceram na frente.

Martinez terminou o seu trabalho com 5 km para o fim e foi Sepp Kuss (Jumbo – Visma) quem deu uma breve aceleração, ficando com Yates e Pogačar, isolados dos restantes. Neilson Powless (EF Education – Nippo) avançou até eles, antes de em breve instantes Almeida, Higuita, Emanuel Buchmann (Bora – Hansgrohe), Michael Stork (Team DSM), e Harm Vanhoucke (Lotto Soudal) regressarem conforme o trio abrandava em marcação uns dos outros.

No entanto, o trio inicial logo se mostrou mais forte do que o resto, uma vez que Kuss subiu novamente o ritmo com 4.3 km por correr. Yates colocou então uma enorme aceleração. Pogačar agarrou-se à sua roda, mas Kuss teve de se render. Yates saltou e pontapeou novamente a 3.7 km para o fim. Pogačar manteve-se firme, mas estava claramente a sofrer. O próximo impulso veio 1km depois, e o próprio Pogačar levantou-se do selim para responder numa rampa particularmente íngreme.

Atrás deles, Kuss juntou-se novamente ao pequeno grupo de perseguição, no qual o seu companheiro de equipa Chris Harper estava a tentar encontrar o seu caminho de regresso. Buchmann ainda cedeu algum terreno para o grupo antes de Almeida acelerar e afastar Powless e Vanhoucke, embora o grupo se viesse a reformar novamente já nos 2km finais.

A 1.5 km de distância, Yates e Pogačar estavam a 40 segundos de distância. Yates tentou uma última vez deixar cair o campeão do Tour de France, mas em vão. Um breve momento de descanso revelou-se dispendioso, pois Pogačar deu um murro na frente na descida. Yates produziu uma resposta espirituosa, mas nessa altura já era demasiado tarde.

Classificações

One thought on “Yates foi gregário de luxo na vitória de Pogacar! Almeida 6º!

  1. O nosso João Almeida das grandes pedaladas, continua a brilhar. Haverá dias melhores e nosso campeão vai estar lá para isso. Pedala João.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Nem um empurrão de Serrano tirou a primeira vitória profissional de Edward Planckaert!

Edward Planckaert (Alpecin-Fenix) ganhou a primeira etapa da Vuelta a Burgos, batendo Gonzalo Serrano (Movistar) sobre a linha de meta, mesmo depois de ter levado um empurrão do espanhol. Numa chegada coincidente com uma rampa em Burgos, uma aceleração de Romain Bardet (Team DSM) com quatro corredores foi sucificente para abrir uma brecha, e quintento […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock