Woods não dá hipótese no Mur de Fayence!

O canadiano Michael Woods, da Israel Start-Up Nation, venceu a 2ª etapa do Tour du Var, através de uma demonstração de força no Muro de Fayence! No 2º posto terminou o camisola amarela, Bauke Mollema, da Trek-Segafredo, enquanto a 3ª posição ficou para Jhonatan Narvaez, da Ineos Grenadiers. Mollema cedeu 2 segundos para Woods nesta chegada, o que significa que o canadiano é o novo líder da prova, agora com 1 segundo de vantagem sobre o holandês, antes da decisiva etapa de amanhã!

O 2º dia de Tour du Var trazia uma tirada de 169 km, com partida e chegada em Fayence. Apesar do constante sobe e desce, o perfil da jornada era relativamente suave, pontuado apenas com uma contagem de montanha de 3ª e outra de 2ª categoria, sensivelmente a meio da jornada. No entanto, o final traria certamente muita emoção, graças a um muro de 1.2 km a 9,8% que esperava os ciclistas em Fayence!

A fuga do dia foi constituída por 7 elementos: Clément Berthet e Biniam Ghirmay (Delko), Víctor de la Parte (Total Direct Energie), Cyril Barthe (B&B Hotels p/b KTM), Hugo Houle (Astana), Dylan Kowalski (Xelliss – Roubaix Lille Métropole), e Andrea Mifsud (Swiss Racing Academy). A vantagem do grupo chegou a rondar os 5 minutos, com o pelotão a manter sempre um controlo apertado sobre as operações. A Trek-Segafredo, do líder Bauke Mollema, ia despendendo a maior parte do trabalho na cabeça do grupo principal.

A 33 km do fim, com os ciclistas a ultrapassarem o muro de Fayence (que haveriam de visitar mais duas vezes até ao fim da etapa), a diferença entre a fuga e o pelotão era de 2:10, o que trazia poucas esperanças para os fugitivos de poderem prevalecer nesta jornada. O grupo de corajosos recusava-se, contudo, a desistir perante o forte pelotão que os perseguia!

A 20 km do fim, com a fuga reduzida a 5 elementos e possuindo apenas 1:20 sobre o pelotão, a Ineos juntava-se à Trek na frente, antes de nova passagem no Mur de Fayence, demonstrando as suas intenções para a jornada. Restava saber quem seria a aposta da formação britânica de entre o bloco Thomas/Sivakov/Hart/Narvaez. Rohan Dennis ia impondo o ritmo, reduzindo diferenças para a fuga e tirando ideias a quem quisesse atacar de longe.

De la Parte e Houle ainda deram alguma luta ao pelotão nos km finais, mas o seu destino estava traçado. A 2,5 km do final, a fuga foi definitivamente anulada, e o cenário estava preparado para uma chegada em grupo compacto, pelo menos ao início da subida final.

A 1,5 km do fim, com a subida prestes a iniciar-se, quem liderava o pelotão era Geraint Thomas, um verdadeiro gregário de luxo dentro da Ineos! No início da subida, os principais galos do pelotão colocavam-se em posição, com a AG2R a trazer Greg Van Avermaet e a Astana Jakob Fuglsang. A 1 km do fim, com o pelotão a alongar e a começar a quebrar, puxava na frente Alexis Vuillermoz (Total Direct Energie), com a AG2R a tentar controlar o andamento na expetativa que Avermaet não quebrasse nas inclinações mais acentuadas.

A 400 m do fim, dá-se a movimentação decisiva da jornada! Michael Woods assumiu a liderança do grupo e impôs um ritmo forte que colocou todos os adversários em sentido. Na roda do canadiano seguiam Narvaez, Mollema, Gaudu e Madouas, mas ninguém parecia suficientemente folgado para ameaçar verdadeiramente Woods. Um a um, todos iam sentindo a dificuldade do terreno e o ritmo infernal do homem da Israel. Nos metros finais, Woods conseguiu mesmo abrir um espaço sobre Narvaez e Mollema, o que lhe poderia valer a camisola amarela no fim da jornada! Ciente desse perigo, Bauke Mollema dava tudo para não ceder tempo precioso!

Na meta, o 1º foi mesmo Woods, levantando os braços após uma demonstração de força sobre toda a concorrência! No 2º posto, a 2 segundos de distância, chegava Bauke Mollema, com o esforço do holandês a não ser suficiente para a manutenção da liderança.

Na 3ª posição, com o mesmo tempo de Mollema, fechava Jhonatan Narvaez. A estratégia da Ineos acabou por não surtir os frutos desejados, com a etapa a fugir e com a geral a ficar um pouco mais longe. À partida para a última etapa de amanhã, o melhor Ineos é Sivakov, 14º a 13 segundos de Woods.

Quanto ao campeão português, Rui Costa (UAE-Team Emirates), fechou na 39ª posição, a 40 segundos do vencedor, acabando por ser um dia menos mau que o anterior, tendo também em conta que esta não era uma chegada ao jeito do ex-campeão do mundo.

Amanhã disputa-se a 3ª e última jornada do Tour du Var, numa tirada que promete espetáculo e que irá decidir o vencedor da competição de entre um lote bem alargado de candidatos. Serão apenas 136 km, com partida e chegada em Blausasc, mas com bastante dureza pelo caminho. Os ciclistas enfrentam 3 contagens de 1ª categoria, a última das quais colocada a 30 km da meta. Nos 10 km finais, há ainda o Col de Nice, uma curta ascensão não categorizada, que antecede os últimos km, em descida. A edição de 2021 do Tour du Var pode ser decidida no sprint final, em Blausasc!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock