Woods emerge no meio de chuva e neve e é o novo líder da Romandia!

O canadiano Michael Woods (Israel Start-Up Nation) é o novo líder do Tour de Romandie após a vitória na quarta etapa da competição, uma ligação de 161.3km entre Sion e a contagem de Thyon 2000, onde bateu o australiano Ben O’Connor (AG2R Citroen Team) por 17s e o britânico Geraint Thomas (Ineos Grenadiers) por 21s, num sprint que tinha tudo para ser a 2, mas que viu Thomas cair a 25m da chegada após uma mão lhe escapar do guiador devido à chuva que caía.

Num dia muito marcado pela chuva forte que caiu durante quase todo o percurso, o pelotão enfrentou a jornada mais difícil da competição com 5 contagens de montanha, 3 das quais de primeira categoria e a última delas coincidente com a chegada, com 20km de extensão e final acima dos 2000m de altitude! O dia foi bastante atacado desde os seus momentos iniciais e a fuga apenas conseguiu compor-se após os primeiros 10km com 7 ciclistas: Magnus Cort Nielsen (EF Education – Nippo), Simone Petilli (Intermarche – Wanty – Gobert), Simon Pellaud (Switzerland National Team), Kobe Goosens e Matthew Holmes (Lotto Soudal), Mads Wurtz Schmidt (Israel Start-Up Nation) e Josef Cerny (Deceuninck – Quick Step).

A vantagem foi crescendo progressivamente enquanto o pelotão não queria arriscar para que os seus líderes não sofressem com quedas, mas estas foram acontecendo apesar de tudo, com diversos nomes conhecidos a irem ao chão, como são exemplos Gorka Izagirre (Astana – Premier Tech) e Tony Martin (Jumbo – Visma). Os escapados conseguiram ter uma vantagem de quase 7min, a 60 km do final, mas o trabalho da Movistar conseguiu reduzir os números para os 5min à entrada da subida final.

A descida da penúltima acabou por ser neutralizada devido às dificuldades provocadas pela chuva, e a corrida prosseguiu com 39km para a chegada. A Movistar entrou a comandar o pelotão na última subida e o tempo começou a reduzir-se progressivamente, enquanto na frente ficavam apenas Cort Nielsen e Petilli. As grandes diferenças começariam a surgir com o trabalho da Ineos, muito graças a Eddie Dunbar e a Rohan Dennis. A 9km da chegada, Petilli descolava e era Cort Nielsen quem ficava sozinho na frente, com o sonho de ainda vencer a etapa e ascender à liderança, numa fase em que os cronómetros estavam todos trocados.

O primeiro ataque surgiu por parte do camisola amarela Marc Soler (Movistar), a 6.7km do final, numa fase em que Rui Costa (UAE Team Emirates) tinha acabado de descolar do grupo de favoritos e fazia a sua corrida a ritmo. Rohan Dennis controlou a movimentação que viu ainda Woods e O’Connor chegarem rapidamente ao espanhol, e o grupo seguiu em perseguição dos escapados aos comandos do contrarrelogista australiano.

A pouco menos de 5km da chegada foi Lucas Hamilton (Team BikeExchange) a lançar-se em solitário sem resposta imediata, mas toda a gente esperava que Rohan Dennis acabasse com as suas forças, o que veio a acontecer pouco depois, a pouco mais de 4km da chegada, e que gerou a movimentação decisiva do dia. Um duplo ataque de Michael Woods, o segundo para descarregar o único homem que o acompanhou, Ben O’Connor, permitiu ao canadiano isolar-se, mas a corrida estava ainda longe de decidida!

A Ineos vinha de trás para a frente e Geraint Thomas colocou o seu ritmo, subindo progressivamente com Fausto Masnada (Deceuninck – Quick Step) para alcançarem O’Connor, e logo de seguida o britânico prosseguir sozinho em busca do Woods, com a junção a acontecer a 2km da meta. O’Connor ainda tentou chegar à frente, enquanto Masnada quebrou, mas não conseguiu e a luta pela etapa seria entre Thomas e Woods. O sprint começou nos metros finais, mas já com apenas 25m por percorrer e os dois ciclistas lado a lado, Thomas acabaria por tentar aumentar as mudanças, mas a mão escorregou-lhe do guiador, e o britânico foi ao chão, permitindo assim que Woods vencesse a etapa. Thomas ainda demorou um pouco a levantar-se, foi passado por O’Connor e terminou 21s depois do canadiano, num final inglório para o ciclista da Ineos.

Rui Costa acabaria por chegar na 14ª posição, a 3:00 de Woods, um tempo que o fez descer à 13ª posição da classificação geral, agora a 3:04 de Woods, que é o líder da geral com apenas o contrarrelógio decisivo por percorrer. Colbrelli tem praticamente ganha a classificação por pontos, enquanto Goosens garantiu a montanha e Arensman parece encaminhado para levar a classificação da juventude.

Classificação Completa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock