Vollering conquista a La Course by Le Tour sob a asa de van der Breggen!

A holandesa Demi Vollering (Team SD Worx) conquistou esta manha a oitava edição da La Course by Le Tour de France, após uma tirada de 107.7km, batendo ao sprint, num grupo reduzido, a dinamarquesa Cecilie Uttrup Ludwig (FDJ Nouvelle – Aquitaine Futuroscope) e a compatriota Marianne Vos (Jumbo – Visma), após uma grandíssima jornada de ciclismo.

A corrida começou, tal como esperado, com um ritmo muito forte desde o seu início, o que gerou bastante dificuldade para se encontrar uma fuga. As quedas também começaram a acontecer com o nervosismo habitual, com a Bizkaia – Durango a sofrer um bocadinho à entrada dos 100km finais. Chantal van den Broek-Blaak (Team SD Worx) foi uma das ciclistas a tentar a sua sorte com dois ataques, mas sem sucesso. A pouco mais de 80km para a meta, foi a francesa Cedrine Kerbaol (Team Arkea – Samsic) quem conseguiu escapar, e rapidamente ganhar 1:15 ao pelotão.

A 60km do final, e com o pelotão já a cerca de 20s de Kerbaol, foi a italiana Elena Pirrone (Valcar – Travel & Service) a fazer a ponte para a frente, criando assim uma nova situação de corrida. Os ataques continuaram a surgir, mas o duo ganhou uma nova força com a chegada de Pirrone e conseguiu alargar a sua vantagem. A Movistar e a Trek – Segafredo tomaram conta do pelotão para preparar a primeira passagem pela meta, com 42km para o fim. A SD Worx surgiu em grande força para começar a eliminar adversárias, e isso acabou por gerar que Pirrone atacasse na frente e se isolasse com menos de 30s de vantagem na primeira passagem pela meta.

Entre as favoritas, o jogo pela vitória começou efetivamente a acontecer, e foi Lucinda Brand (Trek – Segafredo) com um grande ataque a mexer na corrida, levando consigo ciclistas como Niamh Fisher-Black (Trek – Segafredo), Mikhayla Harvey (Canyon // SRAM Racing), Anna Henderson (Jumbo – Visma) ou Marta Bastianelli (Ale BTC Ljubljana). O grupo nunca teve muito mais que 30s de vantagem, e com tantos interesses em jogo, o destino parecia condenado.

A 30km do final, na segunda passagem pela última subida e pela meta, o grupo escapado foi alcançado graças a um excelente ataque de Anna van der Breggen (Team SD Worx), e foi uma das suas colegas de equipa que estava adiantada que pegou no pelotão, com Niamh Fisher-Black (Team SD Worx) a colocar um ritmo forte que deixou uma grande parte do pelotão em dificuldades perante a dureza da subida. A descida gerou alguns ataques e uma nova situação de corrida, com um novo grupo de dez ciclistas a ganhar alguns metros de vantagem perante as adversárias diretas. Lizzie Deignan (Trek – Segafredo), Juliette Labous (Team DSM), Leah Thomas (Movistar) e Grace Brown (Team BikeExchange) eram os principais nomes na movimentação.

Com quase todas as principais equipas representadas na frente nesta nova movimentação, a vantagem das escapadas subiu para o 1:10, e parecia que tudo se poderia começar a preparar para se decidir nas escapadas pela vitória. Mal o terreno começou a empinar para a penúltima passagem pela subida final, foi Cecilie Uttrup Ludwig (FDJ Nouvelle – Aquitaine Futuroscope) a lançar um grande ataque que rapidamente retirou 15s, mas a dinamarquesa foi rapidamente seguida por Breggen e por Marianne Vos (Jumbo – Visma), e a movimentação acabou por não ter continuidade. A Campeã Nacional de França, Evita Music (FDJ Nouvelle – Futuroscope Aquitaine), lançou o seu ataque pouco depois, ganhando alguns metros às favoritas na tentativa de ainda chegar à frente da corrida ou poder auxiliar Ludwig na fase final.

Na penúltima passagem pela meta, a desvantagem do grupo de favoritas era já de cerca de 50s para a frente, com Muzic a rolar 10s à sua frente e uma volta de 14km ao circuito final por cumprir. A vantagem de Muzic gerou que o pelotão mantivesse sempre um ritmo alto, com a Jumbo – Visma, a Canyon e a Valcar a serem as formações representadas na perseguição, mas sem conseguirem fazer a vantagem cair consideravelmente. A 8km do fim, a Jumbo perdeu todos os receios e assumiu a dianteira da corrida com duas ciclistas, e perante alguma passividade que já surgia na frente, a vantagem das escapadas começou a cair consideravelmente, e com 5km para o fim era já de apenas 10s.

A 4.5km para o final a junção acabou por acontecer, graças ao trabalho da formação da Jumbo que continuou o seu grande esforço já sem escapadas para perseguir. A entrada na subida viu a Canyon a mexer rapidamente, com Tiffany Cromwell a abrir caminho para o ataque de Kasia Niewiadoma a 2.5km da chegada. A polaca foi marcada de perto por Brown, Ludwig e Breggen, com Marianne Vos a não conseguir seguir com facilidade, mas a chegar pouco depois ao ritmo de Soraya Paladin (Liv Racing). Liane Lippert (Team DSM) e Demi Vollering conseguiriam chegar pouco depois e o grupo de oito ciclistas preparava-se para discutir a vitória a 2km do fim.

A 1.7km da chegada, um fortíssimo ataque de Uttrup Ludwig obrigou a que fosse van der Breggen a responder e a chegar à frente pouco depois, com Grace Brown a conseguir alcançar também o duo. Breggen assumiu a frente do grupo e a junção voltou a acontecer à entrada para o km final. Niewiadoma voltou a tentar sair, mas com as rampas já a serem menos duras, a polaca não teve grande sucesso. Nenhuma ciclista quis assumir o grupo para levar Vos para o risco de meta, e um trio de ciclistas com Lizzie Deignan esteve quase quase a reentrar, não fosse a aceleração de Lippert, a 600m da chegada.

As ciclistas começaram a abrandar de novo para o risco, e foi Breggen a atacar com 500m para a chegada, preparando-se para lançar a sua colega de equipa Vollering para o sprint. A tática funcionou na perfeição, e com Marianne Vos a voltar a ficar de cara ao vento demasiado cedo, Vollering aproveitou, saiu no momento certo, e conquistou mais uma grande vitória em 2021! Vos acabou por nem sequer ficar na segunda posição, sendo passada por Ludwig sobre o risco de meta, e assim tendo de se contentar com a terceira posição final.

É a segunda vitória do ano para a holandesa, depois de um grandíssimo triunfo, também na Liege – Bastogne – Liege, em abril deste ano.

Daniela Campos (Bizkaia – Durango) era a única representante portuguesa, mas não terminou a corrida.

Classificações Completas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock