Vitorioso é quem cruza a meta em primeiro, e esse foi Primoz Roglic!

Primoz Roglic (Jumbo-Visma) ganhou Liege-Bastogne-Liege num extraordinário sprint a cinco.

O campeão mundial Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep) acreditou que tinha a vitória conseguida, e levantou os braços em triunfo. No entanto, as celebrações do francês foram prematuras, e Roglic apareceu do seu lado direito para o cruzar antes da linha de meta.

“É simplesmente inacreditável!. Nunca deixei de acreditar, e continuei a empurrar até aos últimos metros, na verdade os últimos centímetros. Estou super feliz por ter conseguido ganhar. É uma sensação incrível. Foi um período realmente longo para mim, a três meses de distância de casa. Estou super, super feliz, e orgulhoso de toda a equipa e de todos. Finalmente, consegui ganhar alguma coisa, eh! Tom [Dumoulin] foi realmente bom no final. Não só ele, todos os rapazes, fizeram um trabalho realmente super, eu estava sempre protegido. Estava na minha lista de desejos para ganhar um monumento, e estou super feliz por ter conseguido fazê-lo”.

Declarações Primoz Roglic

Num final dramático, Alaphilippe foi mesmo considerado como tendo desviado da sua linha de sprint, depois de um desvio brusco ter feito com que Marc Hirschi (Sunweb) se controlasse a si próprio. Os oficiais da corrida decidiram retrar-lhe o pódio e passou para o quinto lugar.

A sua relegação significa que Hirschi e Tadej Pogacar (Emiratos EAU) foram promovidos a segundo e terceiro respectivamente, e Matej Mohoric (Bahrain-McLaren) – que fez a ponte para o quarteto líder na recta final – para quarto.

Alaphilippe tinha lançado mais cedo o ataque que viu o grupo de quatro homens escapar na subida final, Côté de la Roche-aux-Faucons, dando vida ao que até então tinha sido uma corrida subjugada e cautelosa. Hirschi e Roglic conseguiram apanhá-lo a 300 metros do cume, enquanto Pogacar se juntou a eles na descida.

Deceuninck-QuickStep, INEOS Grenadiers e Trek-Segafredo foram as equipas que assumiram a perseguição a um pequeno grupo de fugitivos. A 97 quilómetros do fim, com a corrida ainda numa fase calma, seguia-se uma série de abandonos, destacando-se os nomes de Greg van Avermaet e Adam Yates.

A Deceuninck-QuickStep endureceu a corrida até ao Cote de la Roche-aux-Faucons, onde chegou a vez de Tom Dumoulin impor um ritmo altíssimo. Julian Alaphilippe, a 500 metros do topo aproveitou e atacou, levando Marc Hirschi na sua roda e de seguida Tadej Pogacar, Michal Kwiatkowski e Primoz Roglic..

Na última dificuldade do dia, Hirschi arrancou mas sem efeitos. O quarteto da frente entendeu-se bem e conseguiu discutir o triunfo entre si apesar da chegada de Matej Mohoric a 350 metros do final que foi 5º ao sprint, 4º no final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Nem um empurrão de Serrano tirou a primeira vitória profissional de Edward Planckaert!

Edward Planckaert (Alpecin-Fenix) ganhou a primeira etapa da Vuelta a Burgos, batendo Gonzalo Serrano (Movistar) sobre a linha de meta, mesmo depois de ter levado um empurrão do espanhol. Numa chegada coincidente com uma rampa em Burgos, uma aceleração de Romain Bardet (Team DSM) com quatro corredores foi sucificente para abrir uma brecha, e quintento […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock