“Vintage” Bauke Mollema vence etapa 14 do Tour depois de 43km em solitário!

O holandês Bauke Mollema (Trek – Segafredo) conquistou hoje a décima quarta etapa do Tour de France, uma ligação de 183.7km entre Carcassone e Quillan, após uma hora escapado em solitário na frente da corrida! A segunda posição foi para o austríaco Patrick Konrad (Bora – Hansgrohe) e a terceira para o colombiano Sergio Higuita (EF Education – Nippo), ambos a 1:04 do vencedor.

A jornada começou a todo o gás com diversos ciclistas ao ataque e um ritmo alucinante nos primeiros kms. Vários nomes estiveram nas principais movimentações do dia, como Vincenzo Nibali (Trek – Segafredo) ou Julian Alaphilippe (Deceuninck – Quick Step), mas com várias equipas interessadas em chegar à fuga do dia e poder discutir a etapa, nenhum dos grupos conseguiu vingar e ganhar uma vantagem significativa ao pelotão, sendo progressivamente alcançado um pouco mais à frente.

Ao km 28, o italiano Kristian Sbaragli (Alpecin – Fenix) isolou-se do pelotão com uma investida pela calada e foi progressivamente ganhando vantagem até Maxime Chevalier (B&B Hotels p/b KTM) e Anthony Turgis (Team TotalEnergies) terem saído em sua perseguição, 3km depois. Toms Skujins (Trek – Segafredo) e Jonas Rickaert (Alpecin – Fenix) saíram pouco depois, e rapidamente alcançaram Chevalier e Turgis, mas Sbaragli estava a rolar bastante bem e a vantagem manteve-se ainda durante algum tempo. Os ataques iam acontecendo também no pelotão, mas sem sucesso, com o italiano a ter já quase 2min de vantagem.

Com muitas equipas ainda interessadas em fazer a fuga, o pelotão começou a reduzir a vantagem dos escapados, e o quarteto que perseguia acabaria por alcançar Sbaragli ao km 38, com o pelotão a 1:10. O quinteto conseguiu manter-se escapado ainda durante largos kms, muitos deles já com apenas 15-20s de vantagem para o pelotão, e completamente à mercê de serem alcançados ou sofrerem contra-ataques do pelotão.

Ao km 77, Rickaert ganharia o sprint intermédio, mas a luta pelos pontos restantes acabaria por voltar a trazer um pelotão compacto na dianteira, apesar de diversos ciclistas já estarem atrasados após uma curta subida categorizada, como era o caso de Nacer Bouhanni (Arkea – Samsic).

O Col de Montsegur, ao km 89, acabaria por ser o ponto decisivo da jornada, com os ataques a sucederem uma vez mais. Wout Poels (Bahrain Victorious) e Mattia Cattaneo (Deceuninck – Quick Step) ganharam vantagem ao pelotão e Michael Woods (Israel Start-Up Nation) saiu pouco depois ao encalço do duo, para poder lutar pela classificação da montanha. Poels e Woods acabaram por lutar pelos cinco pontos sozinhos, com Cattaneo a descolar devido aos ataques, e a ficar em posição intermédia. Na descida, o italiano recolaria e o trio permaneceria na frente, mas por pouco tempo, já que em breve receberia mais companhia.

Sergio Higuita (EF Education – Nippo), Patrick Konrad (Bora – Hansgrohe), Omar Fraile (Astana – Premier Tech), Louis Meintjes (Intermarché – Wanty – Gobert), Esteban Chaves (Team BikeExchange), Guillaume Martin (Cofidis) e Bauke Mollema (Trek – Segafredo) seguiam em posição intermédia, a 40s do trio de líderes, com o pelotão a 1:40 da frente, e apenas 80km por percorrer. Pouco depois, Pierre Rolland e Quentin Pacher (B&B Hotels p/b KTM), e uns kms depois Elie Gesbert (Arkea – Samsic) e Valentin Madouas (Groupama – FDJ) saltariam do pelotão e unir-se-iam para tentarem chegar à dianteira.

A 72km da chegada, a frente da corrida era alcançada pelo primeiro grupo intermédio, numa fase em que o pelotão já tinha levantado pé e rolava com três minutos de atraso. Woods continuou a acumular pontos, sendo o primeiro a passar no Col de la Croix des Morts, empatando assim com Nairo Quintana (Arkea – Samsic) na classificação dos trepadores.

A 59km da meta, com o começo da subida para o Côte de Galinague, o quarteto intermédio chegaria à frente, e eram agora 14 os ciclistas na dianteira, com o pelotão ainda a pouco mais de três minutos. Poels venceria a contagem, com Woods a ser segundo, e a colocar-se virtualmente na liderança da montanha, com o colombiano apenas a 1pt, e o holandês a 2pts.

Numa fase em descida, a 45km da meta, Woods foi ao chão, mas rapidamente se levantou e voltou a perseguir, reentrando no grupo 2km depois. Bauke Mollema aproveitou o momento de maior passividade e atacou sem resposta, enquanto diversos interesses se jogavam no grupo e foi progressivamente abrindo espaço para os colegas de escapada. A 30km da meta, a vantagem do holandês era já superior a um minuto, com um pelotão em descompressão já a rolar com cinco minutos de atraso.

Mollema entrou na última subida do dia com 1:15 de vantagem para os perseguidores, com 21km para a meta. O holandês fez uma subida tranquila, enquanto atrás de si os ataques se jogavam com Cattaneo, Woods, Higuita e Konrad a ganharem vantagem aos adversários e a tentarem colaborar na perseguição, mas sem conseguirem fechar mais do que 20s de diferença. Mollema cruzou o alto na frente e usou depois as suas capacidades técnicas para abrir ainda mais espaço na descida e cavalgar tranquilamente para vencer a etapa, naquela que foi a sua segunda vitória de etapa no Tour de France em toda a sua carreira. O grupo perseguidor chegaria 1:06 depois, com Konrad a bater Higuita sobre o risco de meta num longo sprint.

O pelotão chegou a 6:53, comandado pela UAE Team Emirates, com Pogacar a manter a liderança da classificação geral e da juventude! Michael Woods é o novo líder da classificação da montanha e Mark Cavendish (Deceuninck – Quick Step) permanece como líder da classificação por pontos.

Rui Costa (UAE Team Emirates) foi 16º, sendo o segundo do pelotão a cortar a meta, e Ruben Guerreiro (EF Education – Nippo) foi 26º, na proteção a Rigoberto Uran.

Classificações Completas

Classificações do Passatempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock