Van Aert bate sprinters e é o primeiro líder do Tirreno Adriático!

O belga Wout van Aert (Jumbo – Visma) venceu a primeira etapa da 56ª edição do Tirreno-Adriático, batendo ao sprint o pequenino australiano Caleb Ewan (Lotto Soudal) e o colombiano Fernando Gaviria (UAE Team Emirates), ambos com o mesmo tempo do vencedor.

A 1ª etapa da prova italiana consistiu numa ligação de 156 km, com partida e chegada em Lido di Camaiore. A primeira metade da jornada ainda apresentava algum sobe e desce, com um circuito de 3 voltas e outras tantas subidas ao alto do Pitoro (2.7 km a 7.4 %), mas a metade complementar apresentava-se totalmente plana, com uma reta da meta longa e larga, o que fazia antever um sprint puro de velocidade no final.

A fuga do dia formou-se no início da jornada, com a movimentação de 6 corredores: Guy Niv (Israel Start-Up Nation), Mattia Bais (Androni – Sidermec), Vincenzo Albanese (Eolo – Kometa), Samuele Rivi (Eolo – Kometa), Simone Velasco (Gazprom – RusVelo), e Jan Bakelants (Intermarché – Wanty – Gobert).

A diferença entre fuga e pelotão foi crescendo lentamente, com o grupo principal a ser controlado maioritariamente por Lotto Soudal, Cofidis, e Alpecin-Fenix, as equipas de Caleb Ewan, Elia Viviani, e da dupla Tim Merlier/Mathieu Van der Poel, respetivamente. Com 112 km para o final, o avanço dos fugitivos era de 2 minutos.

A 96 km do fim, com o pelotão a 2:27 da frente e com a fuga a cumprir a última passagem no alto do Pitoro, houve algumas movimentações, nomeadamente com o ataque de Guy Niv, mas os restantes elementos de pronto acompanharam o israelita.

A 80 km do fim, a diferença cifrava-se em 1:05, e o destino dos fugitivos estava praticamente traçado. A diferença ainda cresceu nos km seguintes, passando os 2 minutos com 73 km para o final, mas percebia-se que o pelotão tinha a etapa sob controlo.

A 58km da meta foi cruzada pela primeira vez a linha de chegada, com os ciclistas já dentro do circuito final totalmente plano. O pelotão tinha a fuga controlada, de novo a 1:05, e eram a Cofidis, a Alpecin – Fenix e a Lotto Soudal que se encontravam aos comandos, já que eram três das equipas com interesses em disputar a etapa ao sprint.

Na entrada para a última volta do circuito, com 29km para o fim, Velasco e Bakelants já haviam regressado ao pelotão, e a distância para os ciclistas ainda escapados estava nos 55 segundos. O grupo voltou a partir pouco depois na frente, sobrando apenas Mattia Bais e Samuele Rivi, que foram aguentando-se na frente o máximo de tempo que puderam, mas acabariam por ser alcançados já com pouco mais de 10km para o final.

A Lotto Soudal e a Movistar assumiram a liderança do pelotão a 5km do final, mas não tardou a que o pelotão se separasse em dois, com uma metade totalmente pelo lado esquerdo da estrada, e outra metade pelo lado direito, com a Jumbo – Visma e a Deceuninck – QuickStep a encabeçarem cada um dos lados. A Jumbo entrou na frente no último km, mas já com poucos homens van Aert acabou por apanhar a roda de Gaviria, com a UAE a emergir pelo lado esquerdo comandada pela locomotiva Ivo Oliveira! O português deixou Richeze no sítio certo para lançar Gaviria, e se tudo parecia encaminhado para o colombiano poder finalmente vencer, eis que demorou a sair da roda do argentino e van Aert aproveitou muito bem. Com um timing perfeito, o belga ganhou a dianteira do pelotão e não mais conseguiu ser ultrapassado até final, com Ewan a ficar muito perto, mas a ter de se contentar com a segunda posição perante o arranque perfeito de van Aert.

João Almeida (Deceuninck – QuickStep) foi o melhor português, ao fechar na 23ª posição, enquanto Ivo Oliveira (UAE Team Emirates) foi 73º e Nelson Oliveira (Movistar) 107º, todos integrados no pelotão.

Sprint Final

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Alvaro Hodeg vence etapa em dia de aniversário!

Alvaro Hodeg (Deceuninck-QuickStep) venceu a Etapa 1, primeira em linha, da Volta à Eslováquia no seu 25º aniversário, somando mais uma vitória à sua equipa Deceuninck-QuickStep. Graças às bonificações, subiu à liderança da geral. Um comboio perfeito da QuickStep de três homens emergiu e o homem do costume, Michael Mørkøv (Deceuninck-QuickStep), lançou de forma perfeita […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock