Um sprint com dedicatória!

O belga Tim Merlier, da Alpecin-Fenix, venceu de forma categórica a 2ª etapa do Giro d’Italia, ao ser o mais forte no sprint final, sem que ninguém tivesse conseguido ameaçar seriamente o seu triunfo! No 2º posto terminou o campeão da Europa, Giacomo Nizzolo, da Qhubeka Assos, enquanto o 3º lugar ficou para outro italiano, Elia Viviani, da Cofidis. Na liderança da competição, mantém-se o vencedor do contrarrelógio do primeiro dia, Filippo Ganna, da Ineos Grenadiers, que conseguiu até aumentar a sua vantagem, graças aos segundos de bonificação no segundo sprint intermédio da jornada.

Quanto aos portugueses em prova, João Almeida terminou no 50º posto, Ruben Guerreiro no 59º, e Nelson Oliveira no 62º, todos integrados no pelotão e com o mesmo tempo do vencedor.

A 2ª etapa da Volta a Itália apresentava uma ligação de 179 km, com partida em Stupinigi e chegada em Novara, num perfil praticamente plano e que deixava antever uma chegada em pelotão compacto.

A primeira etapa em linha da Volta à Itália não podia ter começado de forma mais tradicional, com a fuga a estabelecer-se logo no primeiro km de etapa, com o ataque de três corredores italianos, em representação das três equipas italianas do escalão UCI ProTeams: Filippo Tagliani (Androni Giocattoli-Sidermec), Umberto Marengo (Bardiani-CSF-Faizané), e Vincenzo Albanese (Eolo-Kometa). Este último acabaria por conseguir alcançar o principal objetivo que os três tinham em mente: passar em primeiro na contagem de 4ª categoria que garantia uma subida ao pódio no final do dia, para vestir a camisola da montanha.

A jornada acabou por se tornar um jogo de paciência, com o pelotão ciente que a fuga não tinha qualquer hipótese, mas que só deveria ser apanhada numa fase mais avançada da etapa. A vantagem dos escapados foi crescendo até chegar à casa dos 4 minutos, altura em que o pelotão começou a controlar de forma mais apertada a margem para a frente, principalmente através das equipas dos três maiores candidatos à vitória: Lotto Soudal, Alpecin-Fenix, e Jumbo-Visma.

A 25 km do final, estava colocado o segundo sprint intermédio do dia, que oferecia segundos de bonificação. A Deceuninck-Quick Step preparou o sprint para Remco Evenepoel tentar ganhar alguns segundos à concorrência, mas o camisola rosa, Filippo Ganna, mostrou que a melhor defesa é o ataque, acabando por vencer o sprint à frente de Evenepoel. Dessa forma, Ganna aumentou a sua vantagem na geral, enquanto o belga sobe três lugares na CG, incluindo o do companheiro de equipa, João Almeida, ficando os dois lobos com o mesmo registo.

O acesso aos km finais foi feito em ritmo bastante elevado, com as equipas dos sprinters e as formações dos homens da geral a lutarem de forma frenética em busca do melhor posicionamento.

Já dentro do último km, na preparação do sprint, a Cofidis tomou a dianteira do grupo, através de Fabio Sabatini, o lançador de Elia Viviani na Cofidis, e na sua roda seguia o lançador de Fernando Gaviria na UAE-Team Emirates, Juan Sebastián Molano. Mas quando estes dois lançadores terminaram o seu trabalho, não foram os seus líderes a lançar primeiro o sprint, mas sim o homem da Alpecin-Fenix, Tim Merlier. No caso de Gaviria, acabou por se encostar em demasia às barreiras, evitando por pouco uma queda, mas ficando arredado do sprint.

Merlier surgiu como um autêntico foguetão, pedalando vigorosamente até à vitória! Aquele que acabou por conseguir terminar mais perto de Merlier foi o campeão europeu, Giacomo Nizzolo, embora sem ameaçar verdadeiramente o vencedor!

Ao cruzar a meta, Merlier levantou as mãos em forma de W, em homenagem ao belga Wouter Weylandt, vítima de uma queda fatal no Giro d’Italia há exatamente dez anos atrás. O trágico evento tinha também sido recordado com um minuto de silêncio no início da etapa. Recorde-se que, na Volta a Itália, o dorsal 108 foi permanentemente retirado, em honra de Weylandt.

Na classificação geral, Filippo Ganna possui agora 13 segundos de vantagem sobre o compatriota Edoardo Affini e 16 sobre o norueguês Tobias Foss, ambos da Jumbo-Visma. Remco Evenepoel é agora 4º e João Almeida 5º, ambos a 20 segundos do líder.

Quanto a Nelson Oliveira (Movistar) desceu um lugar na geral, ocupando agora o 17º posto, a 32 segundos de Ganna, enquanto Ruben Guerreiro (EF Education-Nippo), que também desceu um lugar, é agora o 75º, a 50 segundos do líder.

Amanhã, disputa-se a 3ª etapa do Giro, com 190 km entre Biella e Canale, numa etapa algo acidentada perto do final e que pode estragar as contas aos sprinters mais pesados.

Tim Merlier no pódio após o triunfo na 2ª etapa do Giro

Classificações Completas

Passatempo Ciclismo Mundial

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock