Um esforço hercúleo de Postlberger congratula-o com etapa e geral!

O austríaco Lukas Postlberger (Bora – Hansgrohe) venceu a segunda etapa do Critérium du Dauphiné, uma ligação de 173km entre Brioude e Saugues, triunfando a partir da fuga do dia, numa tirada bastante dura! O italiano Sonny Colbrelli (Bahrain Victorious) foi segundo, vencendo o sprint do pelotão sobre o espanhol Alejandro Valverde (Movistar), terceiro, ambos a 11s do vencedor.

A segunda etapa do Critérium du Dauphiné marcou mais uma jornada com algum relevo que prometia ataques e espetáculo e uma luta aguerrida pela liderança da corrida. Após diversas tentativas, a fuga do dia só se formou ao km 12, com Lukas Postlberger (Bora – Hansgrohe), Robert Power (Qhubeka Assos), Shane Archbold (Deceuninck – QuickStep), Matthew Holmes (Lotto Soudal) e Anthony Delaplace (Arkea – Samsic) a conseguirem escapar e ganhar uma vantagem que chegou a ser superior aos 5min.

As contagens de montanha começaram a aparecer a partir do km 45, e a Lotto Soudal tratou de fazer a defesa da camisola dos trepadores, com Matthew Holmes a passar na frente nas primeiras 3 contagens do dia e a garantir desde logo a marcação de 13 pontos que o tornaram o novo líder virtual da classificação. Robert Power teve um dia menos bom com algumas dificuldades, foi alcançado pelo pelotão a 58km da chegada e pouco depois abandonou a corrida sem ter sido explicado o porquê da desistência. Ian Garrison, escapado no dia de ontem, acabou por seguir o mesmo caminho.

A Bahrain Victorious e a Ineos Grenadiers assumiram a perseguição aos escapados e conseguiram reduzir a diferença para os 2min a cerca de 40km do final. Porém, com a longa descida, Postlberger lançou um grande ataque, ao qual apenas Archbold conseguiu responder, e abriram a vantagem para os 2:45 com 20km para a chegada. Pouco depois e com a estrada a voltar a inclinar, Archbold não teve pernas e acabou por deixar o colega de fuga sozinho e isolado em busca da vitória na etapa, com Delaplace e Holmes a tentarem perseguir a 40s de distância. Mads Pedersen e Jasper Stuyven (Trek – Segafredo) tentaram escapar a 17km do pelotão, mas sem sucesso, já que o dinamarquês estava já praticamente com o tanque vazio.

A entrada na subida de segunda categoria viu também a Jumbo – Visma chegar à frente para aumentar o ritmo com a Bahrain e a Ineos. O aumento de velocidade começou também a mostrar-se com diversos ciclistas a descolarem do pelotão, e Delaplace e Archbold a serem alcançados completamente exaustos após 150km na fuga do dia. O jovem Marco Brenner (Team DSM) atacou o pelotão ainda cedo na subida e colocou um bom ritmo, ganhando cerca de 30m ao pelotão, mas não muito mais do que isso.

A 11km do final, Postlberger contava com pouco menos de 2min para o pelotão e a sua vitória parecia praticamente certa, perante um pelotão cada vez mais curtinho. A 10km da chegada, era o camisola amarela, Brent van Moer (Lotto Soudal) quem descolava do pelotão, com o seu colega de equipa Tim Wellens a aguardar por ele e a tentar que ainda pudesse manter a camisola amarela. Poucos metros depois era Chris Froome (Israel Start-Up Nation) a passar um mau momento e a descolar também do pelotão, mostrando assim que ainda não encontrou a sua condição ideal.

A DSM voltou à carga a 9km da chegada, com o ataque de Felix Gall a tentar despontar um ritmo ainda maior no pelotão, mas era a Ineos, ainda com 4 homens na dianteira, quem comandava as hostes. Pouco depois foi Warren Barguil (Arkea – Samsic) a atravessar uma má fase, e a surpreendentemente descolar também do pelotão. Postlberger passou na frente da contagem de segunda categoria com 7km para o final, com o pelotão logo atrás a menos de 45s e ainda uma contagem pela frente. Ben O’Connor (AG2R Citroen Team) lançou um forte ataque nos últimos metros da contagem e saiu em busca do austríaco, numa tarefa que parecia complicada.

Na última rampa a 4km da chegada, as distâncias permitiram que todos ficassem à vista, com a Bahrain no controlo do pelotão, numa tentativa de ainda poder dar a discussão ao sprint a Colbrelli. Os ataques aconteceram, com a Movistar bem na frente do pelotão, mas Postlberger foi ainda capaz de cruzar o topo da última contagem na frente, com apenas 4km a separar o austríaco da meta. O ‘Connor foi alcançado por um pelotão já fracionado mesmo em cima do topo da última contagem do dia, e foram a Bahrain e a Movistar a assumirem a perseguição até final, com 20s a separar Postlberger do grupo principal.

O austríaco estava no limite das suas capacidades e o pelotão tinha-o à vista, ainda na esperança de poder chegar à vitória na etapa. Foi de língua de fora que Postlberger fez os últimos metros e conquistou assim uma excelente vitória na etapa, esvaziando as últimas réstias de energia que ainda tinha no tanque, o que lhe deu ainda tempo para celebrar a subida à liderança da classificação geral. O pelotão chegou 11s depois, e foi Sonny Colbrelli a vencer de novo o sprint pela segunda posição.

Ivo Oliveira (UAE Team Emirates) teve mais um dia de trabalho, e terminou na 139ª posição, a 14:53 do vencedor, e segue agora na 141ª posição da geral, a 29:04 de Postlberger.

Classificações Completas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock