Super Mads Pedersen vence Kuurne Brussel Kuurne muito animada por MVDP!

O dinamarquês Mads Pedersen (Trek – Segafredo) venceu há momentos a 73ª edição da Kuurne Brussel Kuurne, segunda clássica de pavê da temporada, com 199.7km de extensão, batendo ao sprint o francês Anthony Turgis (Total Direct Energie), e o britânico Thomas Pidcock (Ineos Grenadiers), ambos com o mesmo tempo do vencedor.

Dia bastante esperado de Kuurne Brussel Kuurne, pela presença de Mathieu van der Poel (Alpecin – Fenix), e pelo o holandês poderia fazer numa corrida tão distinta como esta, entre as diversas clássicas de primavera. Van der Poel voltou a não desiludir e deu-nos uma tarde de espetáculo desde cedo, colando os espectadores ao sofá até ser cruzado o risco de meta.

A corrida começou de forma relativamente calma, e só com 20km percorridos é que os ataques a sério começaram a surgir. Um quarteto com Maciej Bodnar e Patrick Gamper (Bora – Hansgrohe), Ludwig de Winter (Intermarché – Wanty – Gobert) e Artyem Zacharov (Astana – Premier Tech) ganhou rapidamente cerca de 30s ao pelotão. Pouco depois saltaram em perseguição Tom Paquot (Bingoal WB) e Jonas Iversby Hvideberg (Uno-X Pro Cycling Team), e com 30km percorridos, a fuga ficou então definida.

O grupo chegou a ter 6min de vantagem, mas com o pelotão sempre no controlo a vantagem foi caindo aos poucos conforme eram cruzados os setores de pavê e as diversas colinas. A 83km do final, enquanto o pelotão subia a Kanarieberg, Mathieu van der Poel puxou a seta atrás e disparou tentado a chegar à frente da corrida, com a fuga ainda longe a mais de 3min de distância. Com ele seguiu Jhonatan Narvaez (Ineos Grenadiers), e o duo colaborou com grande eficácia para chegar à frente.

A fuga foi alcançada pelo duo ainda na fase inicial da subida para o Oude Kwaremont, e com o ritmo a que seguiam poucos foram os escapados que os conseguiram acompanhar. O pelotão acelerou também na passagem pelo mítico setor do Tour de Flandres, com Jasper Stuyven (Trek – Segafredo) ao ataque, assim como John Degenkolb (Lotto Soudal) e Kasper Asgreen (Deceuninck – QuickStep). O trio partiu o pelotão e a corrida acabou por ganhar outras proporções com um grupo intermédio a formar-se entre os escapados e o pelotão.

A subida para o Kluisberg acabou por ser também mais uma a triturar a fuga, sobrando apenas Hvideberg, Gamper e Zakharov com van der Poel e Narvaez, ainda que numa primeira instância apenas Hvideberg tenha aguentado o ritmo do duo. A corrida definia-se depois disso, com o grupo intermédio a pouco mais de 1min da frente, e o pelotão já a mais de 2min.

Com a entrada numa fase plana as diferenças foram sendo reduzidas, e o grupo perseguidor estava já a 50s com pouco mais de 30km para a meta, e o pelotão seguia a 1:30. Algum desentendimento na frente levou a vantagem a cair mais rápido do que seria suposto, e só quando o quinteto que na frente seguia se apercebeu que já só tinha 10s de vantagem é que voltou a dar tudo na tentativa de poder ainda lutar pela vitória.

O esforço acabou por ficar curto muito graças ao grande esforço de Kasper Asgreen na perseguição que culminou no alcançar da fuga a 3km da meta, enquanto pela mesma altura também as aspirações de Bryan Coquard chegavam ao fim, com o francês a ser vítima de um furo a pouco mais de 3km da chegada. As equipas com intenções a sprintar para discutir a etapa apareceram todas, mas foi a Trek que assumiu o comando do pelotão com Jasper Stuyven a lançar Mads Pedersen que com 200m de terreno plano pela frente não deu hipóteses aos adversários, e conquistou assim mais uma vitória.

André Carvalho era o único português presente e não terminou a prova.

Resultados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock