Stuyven imperial no arranque das clássicas belgas!

O belga Jasper Stuyven, da Trek-Segafredo, venceu a 75ª Omloop Het Nieuwsblad Elite, batendo num sprint a dois o compatriota Yves Lampaert, da Deceuninck Quick-Step. Na terceira posição ficou o dinamarquês Soren Kragh Andersen, da Team Sunweb.

Para muitos adeptos do ciclismo de estrada, especialmente os mais puristas, a época velocipédica apenas se inicia quando começam as clássicas belgas de Primavera. Para eles, o fim-de-semana de abertura desta fase da temporada configura uma espécie de véspera de Natal, comportando logo duas provas: a Omloop Het Nieuwsblad, que decorre habitualmente no sábado, e a Kuurne-Bruxelles-Kuurne, que se disputa no domingo. Enquanto a segunda apresenta um perfil mais suave, favorecendo tendencialmente as chegadas ao sprint, a primeira é uma clássica flandriana muito mais pura, que se decide invariavelmente através de um sprint num grupo reduzido ou com um ataque num dos vários muros.

Disputada na Bélgica, na região da Flandres, a Omloop Het Nieuwsblad percorre 200 km entre Ghent e Ninove, impondo aos ciclistas um difícil desafio, fruto de nada mais nada menos que nove setores de pavé e treze muros, os famosos bergs, concentrados especialmente na segunda metade do percurso.

O início da corrida ficou marcado por uma fuga de cinco elementos, mas também pelo vento e pela tentativa de algumas equipas criarem bordures no pelotão, o que levou a que um grupo de ciclistas ganhasse vantagem em relação aos restantes. Este grupo era liderado por cinco homens da Team INEOS, um deles o líder Ian Stannard (único não-belga com mais que um triunfo no palmarés da prova: 2014 e 2015). Seguiam também outros nomes de destaque como o campeão do mundo Mads Pedersen (Trek-Segafredo), Zdenek Stybar (Deceuninck Quick-Step), ou ainda TimWellens (Lotto-Soudal). Contudo, nem a fuga nem as bordures resultaram, e com 100 km para o fim, o pelotão estava compacto.

A 80 km do fim, diversos ataques tiveram lugar, e um grupo de sete conseguiu destacar-se: Matteo Trentin (CCC Team), Yves Lampaert e Tim Declercq (Deceuninck Quick-Step), Jasper Suyven (Trek-Segafredo), Mike Teunissen (Jumbo-Visma), Frederik Frison (Lotto-Soudal), e Soren Kragh Andersen (Team Sunweb). Uma vez que as equipas representadas neste ataque eram as de quase todos os principais favoritos à vitória, isso significou que no pelotão a capacidade de perseguição fosse muito reduzida, acabando por ser apenas a INEOS e a AG2R La Mondiale a assumir as rédeas da corrida. A 60 km do fim, a fuga levava 1:15 de vantagem e nesse ponto o pelotão baixou um pouco os braços, o que levou a que em 5 km os fugitivos ganhassem mais um minuto e selassem praticamente as contas em termos de quem iria estar na luta pela vitória.

A 18 km do final, numa altura em que os homens da frente subiam o mítico Kapelmuur, Lampaert acelerou, Stuyven foi atrás, e o grupo desfez-se. Após a subida, Kragh Andersen ainda conseguiu colar nos dois da frente. Trentin tentou fazer o mesmo, mas não conseguiria mais do que seguir até ao final com o trio da frente à vista. Lá atrás, no que sobrava do pelotão, haviam ainda algumas mexidas importantes, nomeadamente de Wout Van Aert (Jumbo-Visma), Oliver Naesen (AG2R) e do campeão olímpico Greg Van Avermaet (CCC Team), mas para eles já não havia muito a fazer sem ser lutar por um lugar honroso no top 10.

A 2,5 km da meta, no mesmo local onde no ano anterior Zdenek Stybar atacou para a vitória, Lampaert tentou ver-se livre dos dois companheiros de fuga, mas apenas eliminou o menos perigoso: Kragh Andersen. Stuyven estava muito à vontade, e começava a adivinhar-se a sua vitória.

No sprint a dois, Lampaert ainda conseguiu que Stuyven arrancasse na frente mas de nada serviu. O homem da Trek, de forma inteligente, fechou a porta à tentativa de Lampaert de passar junto às barreiras, e acabou mesmo por ser ele a levantar os braços ao cruzar a meta, oferecendo mais uma vitória à Bélgica nesta prova, a 57ª em 75 edições.

Kragh Andersen chegou na terceira posição, a 6 segundos da frente. Trentin seria o quarto, já a 39 segundos de Stuyven. O grupo de favoritos chegou a 1:28. O grande candidato à vitória, à partida da prova, Greg Van Avermaet, foi apenas 13º.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock