“Sonic” Colbrelli regressa às vitórias no Tour de Romandie!

O italiano Sonny Colbrelli, da Bahrain-Victorious, venceu a 2ª etapa do Tour de Romandie, batendo ao sprint o neozelandês Patrick Bevin, da Israel Start-Up Nation, com o 3º posto a ficar para o suíço Marc Hirschi, da UAE-Team Emirates.

Rui Costa terminou no 9º lugar da etapa, seguindo agora no 12º posto da geral, a 19 segundos de Rohan Dennis, que se mantém no topo da CG!

A 2ª etapa da Volta à Romandia colocava, perante os ciclistas, um desafio de 165.7 km, entre La Neuveville e Saint-Imier, num dia com cinco contagens de montanha de 2ª categoria e uma de 1ª categoria, para La-Vue-des-Alpes (7.8 km a 6.8%). Chegados ao topo dessa ascensão, os corredores iniciavam uma descida de cerca de 15 km até à meta.

Naquele que era o dia mais duro da corrida até ao momento, com muitos corredores cientes que a fuga teria algumas hipóteses de poder lutar pela vitória, as hostilidades começaram desde cedo, embora sem nenhuma movimentação concreta a estabelecer-se desde logo.

Com 140 km para o final, os ciclistas enfrentavam a primeira contagem de montanha do dia, a 2ª categoria de Côte de Preles. Os ataques continuavam, mas não existia conformidade no pelotão para com a situação de corrida. Em particular, a Jumbo-Visma ia puxando, porventura na tentativa de começar a desgastar os Ineos logo na primeira dificuldade da jornada.

Após a subida, a fuga do dia ficou finalmente definida, em função do ataque de seis corredores: Rein Taaramäe(Intermarché-Wanty), Antwan Tolhoek (Jumbo-Visma), Chris Hamilton (Team DSM), Jonathan Caicedo (EF Nippo), Davide Villella (Movistar), e Hermann Pernsteiner (Bahrain). Com 124 km para a meta, este grupo levava 1:35 de vantagem sobre o pelotão.

Recorde-se que as diferenças na geral eram ainda muito curtas, sendo o mais bem colocado da fuga Pernsteiner, a 28s de Rohan Dennis. No pelotão, a Ineos ia controlando as operações, não querendo dar muita rédea aos corajosos do dia.

De facto, a margem entre os dois grupos nunca foi muito extensa, situando-se nos 2:13 a 100 km do fim, com os ciclistas a iniciarem a quarta contagem de montanha do dia.

A espaços, o pelotão ia dando folga à fuga, aumentando o ritmo quando a diferença aumentava, numa espécie de cruel ioiô que seria apanhado na altura mais conveniente. Na frente do pelotão, puxava Andrey Amador e Owain Doull (Ineos), implementando um esforço de perseguição mais efetivo e, com 50 km para o final, apenas 1:20 separavam a fuga do grupo principal.

Na penúltima ascensão do dia, atacou na fuga Rein Taaramäe, tentando a sorte em solitário perante as fracas chances que a fuga tinha nesta fase.

A 25 km do final, com a última e mais difícil ascensão da jornada prestes a iniciar-se, Taaramäe seguia com 1:33 sobre o pelotão.

Na subida, o ciclista estónio seria mesmo alcançado pelo grupo principal e começavam então as movimentações entre os principais galos, com movimentações de Sepp Kuss (Jumbo-Visma) e Michael Woods (Israel). Quem controlava para fechar o espaço era mesmo o líder da corrida, Rohan Dennis, trabalhando para o 2º e 3º da geral, Geraint Thomas e Richie Porte, os seus líderes na Ineos.

No final da ascensão, apenas 30 corredores permaneciam no grupo principal e, com 15 km em descida e plano até à meta, Dennis assumia o controlo da corrida, mantendo as coisas organizadas. Com 5 km para o final, a Bahrain deu uma ajuda a Dennis, preparando a chegada para Sonny Colbrelli, possivelmente o homem mais rápido que tinha sobrevivido às dificuldades da jornada, a par de Patrick Bevin.

E no sprint final, foram mesmo as duas equipas que melhor colocaram os seus ciclistas, com Damiano Caruso a lançar Colbrelli para o sprint, com o italiano a aguentar a investida de Bevin, de modo a carimbar o seu regresso às vitórias, algo que não acontecia desde a 2ª etapa da La Route d’Occitanie, em agosto do ano passado.

Quanto a Rui Costa e à sua UAE-Team Emirates, voltaram a estar presentes em grande número no final, mas sem qualquer tipo de impacto na discussão da etapa. Depois de três homens no top 12 da 1ª etapa, hoje a formação dos emiratos fez 3º, 5º, e 9º, por Marc Hirschi, Diego Ulissi, e Rui Costa, um sinal que algo não está a funcionar nas táticas da Emirates.

Na classificação geral, Rohan Dennis mantém a liderança, mas há agora um intruso no pódio que antes era dominado pela Ineos, com Patrick Bevin a ascender ao 2º posto, a 8 segundos da liderança. Thomas e Porte mantêm-se a 9 segundos, enquanto Rui Costa sobe cinco posições, ocupando agora o 12º posto, a 19 segundos de Dennis.

Amanhã, realiza-se a 3ª etapa da prova.

Sonny Colbrelli, vencedor da 2ª etapa do Tour de Romandie e novo líder da classificação por pontos

Classificação Completa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock