Soberba aceleração de Van der Poel dá primeira Strade Bianche aos holandeses!

O holandês Mathieu van der Poel (Alpecin – Fenix) venceu a mítica corrida italiana Strade Bianche depois de um fortíssimo ataque na subida final, na Via Santa Caterina em Siena, deixando a pé o francês Julian Alaphilippe (Deceuninck – QuickStep) e uma das grandes surpresas do dia, o colombiano Egan Bernal (INEOS Grenadiers), sem qualquer resposta, após uma intensa batalha entre vários dos melhores nomes do ciclismo nas belas estradas da Toscana!

O vencedor de 2020, o belga Wout van Aert (Jumbo-Visma), distanciou-se a 23km do fim, lutou e ainda conseguiu reentrar, mas no último setor de sterratto já não conseguiu seguir o trio do pódio. e terminou em quarto lugar a 51 segundos.

A clássica trouxe-nos um dia atacado desde cedo, com bastante espetáculo, tal como todos esperávamos que fosse. Os setores de sterratto foram fazendo a diferença e selecionando o pelotão, com os ataques a surgirem em diversos momentos da corrida. Com o pelotão já reduzido a 50 unidades, e uma dúzia de ciclistas ligeiramente escapados, João Almeida (Deceuninck – QuickStep) acabou por sofrer um percalço com um furo, mas rapidamente conseguiu reentrar.

Pouco depois a decisão acabou mesmo por se dar, com a Jumbo – Visma a esgotar as forças do seu último gregário e Wout van Aert a atacar, gerando assim a primeira grande seleção de candidatos. Com as acelerações a acontecerem o grupo reduziu-se a oito elementos, com van der Poel, Alaphilippe, van Aert, Bernal e Tom Pidcock (INEOS Grenadiers), Michael Gogl (Qhubeka Assos), Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) e o jovem norte-americano Quinn Simmons (Trek – Segafredo).

Greg van Avermaet (AG2R Citroen Team) esteve presente nesse grupo numa fase inicial, mas surpreendentemente o belga quebrou e nem sequer conseguiu acompanhar o grupo que na altura perseguia com Pello Bilbao (Bahrain – McLaren), Tim Wellens (Lotto Soudal), Jakob Fuglsang (Astana – Premier Tech) e Simon Clarke (Qhubeka Assos).

Quinn Simmons acabou por descolar da frente com um furo, e se conseguiu reentrar no grupo perseguidor, que muito perto esteve de reentrar na frente, na altura já com o britânico Simon Carr (EF Education – Nippo), o australiano Robert Power (Qhubeka – Assos), a dupla da Alpecin – Fenix, Gianni Vermeersch e Petr Vakoc, e ainda o luxemburguês Kevin Geniets (Groupama – FDJ), a sorte não esteve do seu lado, já que uma queda na saída de uma curva o atirou a um relvado e daí para a frente as suas chances de voltar sequer a pensar num lugar de top10 foram por água abaixo.

A decisão veio depois no final, a 12km da meta com o trio que terminou no pódio a isolar-se após uma aceleração de van der Poel, e a seguir junto até à rampa final, onde o holandês atacou e não deu hipótese aos adversários, para vencer assim a corrida pela primeira vez.

O melhor classificado português foi João Almeida na 40ª posição, a 6:48 de van der Poel. André Carvalho foi 90º, enquanto que Daniel Viegas chegou fora do tempo.

Último Km

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Alvaro Hodeg vence etapa em dia de aniversário!

Alvaro Hodeg (Deceuninck-QuickStep) venceu a Etapa 1, primeira em linha, da Volta à Eslováquia no seu 25º aniversário, somando mais uma vitória à sua equipa Deceuninck-QuickStep. Graças às bonificações, subiu à liderança da geral. Um comboio perfeito da QuickStep de três homens emergiu e o homem do costume, Michael Mørkøv (Deceuninck-QuickStep), lançou de forma perfeita […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock