Só quedas e ataque ao líder tiram a vitória a Roglic! Magnus Cort vence última etapa!

O esloveno Primoz Roglič (Jumbo – Visma) perdeu incrivelmente a vitória final no Paris-Nice no último dia da corrida, após ter caído por duas vezes na etapa encurtada de 92.7km entre Le Plan-du-Var e Levens. O esloveno, que tinha uma vantagem de 52 segundos sobre o alemão Maximilian Schachmann (Bora – Hansgrohe), caiu numa descida ainda no início da etapa, rasgando os calções e rasgando uma parte da coxa, e mais tarde, a 25kms do final, voltou a cair, ficando marcado do outro lado do corpo de forma semelhante.

A Bora – Hansgrohe e a Astana – Premier Tech aproveitaram a situação e aceleraram a corrida, numa altura em que Roglic precisou de trocar de bicicleta devido à queda. Roglic tinha três companheiros de equipa com ele no momento, mas rapidamente os perdeu, depois do esforço que já tinham imposto na etapa, tendo o eslovendo de fazer o resto da perseguição sozinho. Roglic tentou chegar à frente e esteve bastante perto de o conseguir, mas acabou por rebentar e foi cedendo cada vez mais tempo conforme a etapa rolava até à meta.

O dia ficou marcado por diversas tentativas de fuga, que nunca levaram grande vantagem do pelotão, e não foram capazes de se organizar perante a desorganização existente lá atrás. Tim Declercq (Deceuninck – QuickStep), Jonas Rutsch (EF Education – Nippo), Sven Bystrøm e Matteo Trentin (UAE Team Emirates), Julien Bernard e Edward Theuns (Trek – Segafredo), Warren Barguil (Arkea Samsic), Cees Bol (Team DSM) Stefano Oldani (Lotto Soudal), Laurens De Plus (Ineos Grenadiers), Omar Fraile e Luis Leon Sanchez (Astana – Premier Tech), Krists Neilands (Israel Start-Up Nation), Michael Matthews (Team BikeExchange), Damien Touzé (AG2R Citroen Team) e Dylan Teuns (Bahrain Victorious) estiveram entre os que se adiantaram, mas acabaram por não suceder com todos os interesses do pelotão.

Após a segunda queda e após ter ficado sem equipa, Roglic continuou a perseguir sozinho. Ainda teve uma pequena ajuda de alguns corredores respeitosos da Quickstep, com Michael Morkov e Tim Declercq entre os que mais se destacaram, mas as forças também já eram curtas. Na frente, a Bora – Hansgrohe e Astana – Premier Tech lideravam o pelotão com a fuga já alcançada. No final, o esloveno tinha perdido mais de três minutos para o vencedor da etapa, permitindo assim que Schachmann conseguisse defender com sucesso a vitória conquistada em 2020. A dupla da Astana – Premier Tech, Aleksandr Vlasov e Ion Izagirre, terminam a corrida em segundo e terceiro lugar na geral.

A etapa foi ganha ao sprint pelo dinamarquês Magnus Cort Nielsen (EF Education – Nippo), ele que conquistou a sua primeira vitória de 2021, batendo ao sprint o francês Christophe Laporte (Cofidis) e o também francês Pierre Latour (Total Direct Energie), num grupo de pouco mais de 20 ciclistas.

Rui Costa e Rui Oliveira terminaram a etapa na 82ª e 83ª posição, a 8:41 de Cort. Na geral, Rui Costa foi 55º, a 31:52, e Rui Oliveira 92º, a 53:35.

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock