Só dá Primoz Roglic nesta edição do Paris-Nice! Esloveno vence no alto Valdeblore La Colmiane!

O eslovento Primoz Roglic (Jumbo – Visma) venceu pela terceira vez no Paris – Nice 2021, esmagando os sonhos do jovem suíço Gino Mäder (Bahrain Victorious) nos metros de finais do topo da subida final a Valdeblore La Colmiane, ele que esteve grande parte do dia em fuga.

O esloveno bateu o corredor suíço por dois segundos para aumentar a sua vantagem no topo da classificação geral. O vencedor de 2020 Maximilian Schachmann (Bora – Hansgrohe) ficou em terceiro lugar a cinco segundos do esloveno. O camisola amarela saltou de um grupo de elite de candidatos a 300 metros da meta, deixando os seus rivais completamente sem resposta e ultrapassou Mäder já dentro dos últimos 50m, para voltar a levantar os braços nesta edição do Paris – Nice.

Depois de uma etapa encurtada, uma fuga de 13 elementos rapidamente se formou com Sam Bennett e Mattia Cattaneo (Deceuninck – QuickStep), Neilson Powless (EF Education – Nippo), Andrey Amador e Laurens De Plus (Ineos Grenadiers), Alexey Lutsenko (Astana – Premier Tech), Anthony Perez (Cofidis), Julien Bernard e Kenny Elissonde (Trek – Segafredo), Thomas De Gendt (Lotto Soudal), David de la Cruz (UAE Team Emirates), Dylan Teuns e Gino Mader (Bahrain Victorious).

A vantagem dos escapados nunca foi superior a 2:30, mas a qualidade presente na frente fazia prever que a subida final pudesse ser bastante atacada como acabou por ser. Lutsenko entrou à morte na subida final, tentando talvez uma jogada semelhante à que quase lhe deu uma vitória de etapa no último UAE Tour, mas Elissonde, Powless e Mader rapidamente se isolaram e deixaram o cazaque para ser apanhado pelo pelotão.

A 11km do final Simon Geschke (Cofidis) atacava no já reduzido pelotão, mas o alemão não teria grande sucesso, com a mexida a servir apenas para agitar o grupo e pouco depois foi alcançado pelo comboio da Jumbo – Visma. A 7km do final era Mader quem atacava e desta vez deixava Elissonde para trás, enquanto Powless ainda se agarrou enquanto pôde à roda de Mader, mas a 5km do final o suíço acabaria mesmo por ficar sozinho, com o americano a rebentar por completo e a ser alcançado pelos favoritos já com 2.5km para a chegada.

Nessa altura foi Steven Kruijswijk (Jumbo – Visma) que acabou por partir o que restava do grupo, quando numa clara jogada de intenções da equipa holandesa se aproximou de Roglic e perguntou se era para aumentar o ritmo, ao qual o esloveno respondeu afirmativamente. Kruijswijk tomou a dianteira, enquanto o colega de equipa George Bennett abria para o lado e finalizava o seu trabalho.

Os ataques dos favoritos começaram a surgir no km final, com uma primeira mexida de Roglic a ter apenas Schachmann a responder de forma próxima, e pouco depois a chegarem Aleksandr Vlasov (Astana – Premier Tech), Lucas Hamilton (Team BikeExchange) e Tiesj Benoot (Team DSM), já a 400m da meta. Porém, a harmonia não durou muito, e já com Mader à vista, Roglic atacou uma vez mais, desta vez de forma definitiva para alcançar o suíço, sem resposta dos rivais, para vencer a etapa.

Roglic detém agora de uma vantagem de 52 segundos sobre Schachmann e 1:11 sobre o terceiro classificado, Vlasov.

Rui Oliveira foi o melhor português, em 86º a 19:46, enquanto Rui Costa foi 108º a 21:10.

Roglic detém agora a liderança da classificação geral e dos pontos, enquanto Vlasov lidera a juventude. Anthony Perez é já o virtual vencedor da montanha, sendo que apenas precisa de terminar a última etapa para levar a camisola das bolinhas vermelhas para casa.

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock