Sai um bis para Groenewegen, novamente às custas de Jakobsen!

Dylan Groenewegen levou a melhor na chegada ao sprint da terceira etapa da Volta a la Comunitat Valenciana, batendo novamente Fabio Jakobsen por uma curta margem. O holandês da Jumbo-Visma viu-se envolvido numa queda a 30 km do fim, mas isso não o impediu de voltar a mostrar a sua superioridade em termos de chegadas rápidas.

A terceira etapa da prova valenciana correu-se entre Orihuela e Torrevieja (localidade onde arrancou a Vuelta do ano passado com um contra-relógio por equipas). Os ciclistas enfrentaram 174 km, na sua maioria planos, embora com uma contagem de montanha de segunda categoria a meio do percurso.

A fuga do dia foi composta por 6 elementos, entre eles o português Daniel Viegas (Kometa Xstra Cycling Team). A fazer companhia ao corredor luso estavam: Héctor Sáez (Caja Rural-Seguros RGA), Manuel Peñalver (Burgos-BH), Julen Irizar (Fundación-Orbea), Petr Rikunov (Gazprom-RusVelo), e Iván Moreno (Equipo Kern Pharma).

A vantagem dos fugitivos chegou até aos 2:50, antes de meio da etapa, altura em que começou gradualmente a reduzir-se. Na contagem de montanha foi Rikulnov quem passou na frente, numa altura em que a fuga quebrou e alguns ciclistas perderam o contacto com a frente da corrida, entre eles Daniel Viegas. A trabalhar na frente do pelotão, as suspeitas do costume: Deceuninck Quick-Step e Jumbo-Visma, em prol dos respetivos líderes.

A 30 km do final, deu-se uma queda onde ficou envolvido Dylan Groenewegen que, assim, se viu obrigado a um esforço extra, ajudado pelos companheiros de equipa, de forma a reentrar no pelotão. A bicicleta do holandês não ficou nas melhores condições, mas tal não foi impeditivo para recuperar a posição e depois sprintar.

A 9 km do fim, a fuga foi anulada enquanto as equipas dos sprinters se posicionavam para preparar a chegada em pelotão compacto. Na reta da meta, foi possível assistir a um filme parecido ao da primeira etapa. Desta vez com Luka Mezgec (Mitchelton-Scott) e Matej Mohoric (Bahrain-McLaren) a aparecerem em boa posição e com Groenewegen novamente um pouco atrasado. No entanto, quando o torpedo amarelo arranca não dá hipóteses a ninguém! Desta feita, Jakobsen apostou em estar na roda do corredor da Jumbo-Visma, e parecia que iria mesmo dar para passá-lo mas no final Groenewegen aguentou e venceu com categoria. Na terceira posição, fechou Matej Mohoric.

Apesar de se ter dado uma chegada em pelotão compacto, e de Pogacar se encontrar inserido no mesmo, houve mudança de camisola de líder, uma vez que a soma das classificações em cada etapa é usada para desempatar ciclistas com o mesmo tempo. Assim, Jack Haig, da Mitchelton-Scott, é o novo líder da Volta à Comunidade Valenciana, Pogacar é segundo, e Valverde terceiro.

Daniel Viegas terminou na 101ª posição, inserido num grupo que chegou logo atrás do pelotão, tendo perdido 23 segundos para o vencedor da etapa. Na geral, é 71º, a 3:55 de Haig.

A quarta etapa disputa-se amanhã, entre Calp e Altea (Sierra de Bernia), e promete ser extremamente importante para a definição da classificação geral. No menu constam cinco contagens de montanha, quatro delas de segunda categoria e uma de primeira, a coincidir com a meta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock