Sai mais uma para Moscon na Volta aos Alpes!

O italiano Gianni Moscon, da Ineos Grenadiers, repetiu o feito do 1º dia de prova e venceu a 3ª etapa do Tour of the Alps, ao ser o mais forte da fuga que marcou a jornada! No final, Moscon bateu ao sprint o austríaco Felix Grossschartner, da BORA-hansgrohe!

Ruben Guerreiro (EF Education – Nippo) terminou integrado no pelotão, mantendo a 9ª posição da geral, a 1:52 de Simon Yates, que permanece na liderança da prova.

A 3ª etapa da Volta aos Alpes apresentava um percurso de 162 km, entre Imst e Naturns, em mais uma jornada com muita montanha, embora com uma segunda metade de corrida relativamente mais suave, e com um final em plano.

Perfil da 3ª etapa do Tour of the Alps

O início da corrida trouxe os primeiros ataques, que surgiram da parte de Matteo Fabbro (BORA) e Alessandro De Marchi (Israel Start-Up Nation). Antes da fuga afirmar a sua vantagem, novos ataques surgiram no pelotão, com 13 corredores a conseguirem fazer a ponte para a dupla da frente: Antonio Nibali, Gianni Moscon, Edward Ravisi, Mark Christian, Herman Pernsteiner, Felix Grossschartner, Luis Leon Sanchez, Tony Gallopin, Francois Bidard, Tejay van Garderen, Harold Tejada, e Michael Storer.

Com 115 km para a meta, o avanço da fuga sobre o pelotão situava-se nos 2:23, com o grupo principal a ser controlado pela equipa do líder Simon Yates, a Team BikeExchange. A forte composição do grupo causava preocupações no pelotão, pelo que a margem foi mantida a rondar os 2 minutos durante vários km. A subida ao Passo Resia baixou a diferença para 1:30, mas os km seguintes em descida permitiram à fuga voltar a ganhar tempo.

A 56 km do final, com o perfil da jornada bem mais suave, o avanço dos fugitivos era já de 2:40 e o cenário começava a compor-se a favor dos corajosos do dia.

Nos km seguintes, a BikeExchange apertou o controlo sobre o pelotão, reduzindo consideravelmente o grupo, que ia tentando alcançar os fugitivos. A 31 km da meta, a diferença situava-se em 1:16, mas volvidos 5 km, tinha baixado para 45 segundos. Entretanto, tinha caído Pavel Sivakov, que seguia na tentativa de recolar no pelotão.

A 20 km do final, com os corredores a enfrentarem a última dificuldade do dia, a curta, mas íngreme ascensão de Tarres (3 km a 7%, com zonas a 12.5%). Nesse ponto, atacou na fuga Gianni Moscon, a mostrar que está claramente em bom momento na antecâmara do Giro d’Itália e que é um nome a ter em conta no alinhamento da Ineos para a primeira grande volta do ano.

Os restantes elementos da fuga tentavam acompanhar Moscon, enquanto o pelotão rodava a 38 segundos da frente da corrida. Acabariam por ficar na frente os dois BORA, Fabbro e Grossschartner, e também Storer da Team DSM e Moscon da Ineos, enquanto no pelotão atacava um nome importante: Pello Bilbao, tentando alcançar o grupo de fugitivos. O espanhol aproveitou a ajuda de Pernsteiner, mantendo-se algumas dezenas de segundos à frente do pelotão.

Com 7 km para a meta, o grupo de perseguidores ao quarteto da frente seguia a 20 segundos e incluía LL Sanchez, Bilbao, Pernsteiner, Bidard, De Marchi, e Nibali. O pelotão rodava a 1:07 da frente.

Apesar do esforço de perseguição, o quarteto conseguiu mesmo chegar isolado ao km final. Aí, Fabbro fez o trabalho de lançamento, com Grossschartner a colocar-se na roda de Moscon, na tentativa de bater o italiano, que tinha alguma dose de favoritismo para este tipo de chegada, em plano, mas algo técnica.

Moscon foi mesmo o primeiro a lançar o sprint, com Grossschartner a seguir na roda e a tentar ultrapassar o homem da Ineos. De forma inteligente, o italiano cortou as últimas curvas do percurso, impedindo que o austríaco pudesse consumar a ultrapassagem. Moscon garante assim a segunda vitória em três dias de Volta aos Alpes.

O pelotão chegou a 49 segundos do vencedor, com o sprint pelo 11º lugar a ser vencido por Nicolas Roche (Team DSM). Na luta por esse sprint estava o português Ruben Guerreiro, que fecha em 13º.

Na classificação geral, Simon Yates mantém a liderança com 45 segundos de vantagem sobre Pavel Sivakov e 1:04 sobre o novo 3º classificado: Pello Bilbao, que fez pela vida e conseguiu reduzir distâncias na luta pela prova alpina.

Quanto a Ruben Guerreiro, mantém o seu 9º lugar, a 1:52 de Yates.

Amanhã, disputa-se a 4ª etapa da Volta aos Alpes, com uma ligação de 168.6 km, entre Naturns e Pieve di Bono, em mais um dia bem complicado, com muita montanha, que promete ser muito importante na definição da classificação geral.

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock