Roglic vence primeiro final em alto com dobradinha eslovena!

O esloveno Primoz Roglic da Jumbo – Visma venceu a quarta etapa do Le Tour de France, uma ligação de 160.5 entre Sisteron e Orcieres-Merlette, com final numa contagem de primeira categoria, batendo no sprint final o compatriota Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) e o francês Guillaume Martin (Cofidis).

Quarta etapa do Le Tour de France, a etapa com o primeiro final em alto, e que iria fazer mais um teste aos candidatos à classificação geral. O dia começou com a fuga a formar-se rapidamente, com Nils Politt e Krists Neilands (Israel Start – Up Nation), Mathieu Burgaudeau (Total Direct Energie), Alexis Vuillermoz (AG2R – La Mondiale), Tiesj Benoot (Team Sunweb) and Quentin Pacher (B&B Hotels – Vital Concept).

Os seis escapados conseguiram uma vantagem de cerca de 4 minutos, que o pelotão comandado pela Deceuninck – QuickStep controlou desde cedo. Politt venceu o sprint intermédio ao km 51.5, enquanto no pelotão Sagan ficava fechado e via Sam Bennett empatar a contenda pela camisola verde.

Por volta do km 70, com a vantagem já ligeiramente abaixo dos 3 minutos, Politt escapou mas foi alcançado pelos restantes 20kms depois. A 56km do final a fuga partiu, com Pacher, Politt e Vuillermoz a ficarem na frente, mas a juntarem-se de novo pouco depois. Com 25km para o final, queda feia de Benoot que perdeu a bicicleta e embateu no rail, mas felizmente nada de grave para o belga, que acabou por cair bem sobre a relva.

Na subida para a penúltima contagem do dia, Pacher, Neilands e Vuillermoz ficaram na frente, com Politt e Burgardeau a cederem terreno, e o pelotão cada vez mais próximo. Ainda antes do topo da contagem, Neilands atacou e seguiu em solitário e foi mesmo o último a ser alcançado pelo pelotão, já com 7.5km para o fim e a subida final a começar.

Várias equipas passaram na frente na fase inicial, com a Deceuninck – QuickStep a tentar manter um ritmo confortável para Alaphilippe. Com 4.5km para o final, Pierre Rolland (B&B Hotels – Vital Concept) atacou para agitar as águas no pelotão, mas sem sucesso, com a Jumbo – Visma a entrar ao serviço e Wout van Aert a comandar o pelotão!

O ritmo do belga foi partindo o que havia para partir, e com 1.5km para o final era Sepp Kuss a entrar ao serviço e a partir literalmente o que mais havia para partir. Guillaume Martin (Cofidis) atacou a 600m do final, com Roglic a seguir logo no seu encalço e Egan Bernal (INEOS Grenadiers) a parecer ter algumas dificuldades para o acompanhar, e a descair no grupo de cerca de 20 ciclistas que ainda ali seguia. Roglic aproveitou o embalo e seguiu atrás de Martin até lançar o sprint final, e vencer sem dar hipótese à concorrência, com Pogacar a ser segundo, numa histórica dobradinha eslovena! Martin ainda conseguiu fechar na terceira posição e conquistar 4 segundos de bonificação sobre Nairo Quintana (Team Arkea – Samsic) e Julian Alaphilippe.

Com o quinto lugar na etapa, Alaphilippe mantém a camisola amarela, enquanto na juventude Pogacar é o novo líder, após Hirschi ter perdido 45 segundos. Na montanha e nos pontos, as camisolas mantêm-se em Benoit Cosnefroy (AG2R La Mondiale) e Peter Sagan (Bora – Hansgrohe), respetivamente. Krists Neilands foi o mais combativo da etapa, ele que foi o vencedor da classificação da juventude na Volta a Portugal de 2017.

Nelson Oliveira terminou em 80º a 8:48, e segue agora em 68º na geral, a 17:44 de Alaphilippe.

No passatempo, vitória de Daniel Meneses e Miguel Araújo, eles que seguem nas duas primeiras posições da classificação geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock