Rei dos Dois Mares imperial! Etapa e liderança para Pogacar!

O esloveno Tadej Pogacar, da UAE Team Emirates, confirmou o seu favoritismo e venceu a etapa 4 do Tirreno-Adriático, graças a um ataque a partir de um grupo reduzido já perto do final! No segundo posto, terminou o dinamarquês Jonas Vingegaard, da Jumbo-Visma, enquanto a terceira posição ficou para o francês Victor Lafay, da Cofidis. Graças a esta vitória, Pogacar assume a liderança da prova, com 9 segundos de avanço sobre Remco Evenepoel, da Quick-Step Alpha Vinyl, e 21 sobre o anterior líder, Filippo Ganna, da INEOS Grenadiers.

A quarta tirada da Corrida dos Dois Mares trazia uma ligação de 202 km, entre Cascata delle Marmore e Bellante, naquele que seria o primeiro dia de montanha da prova e logo com um final em subida (4.2 km a 5.7%).

A fuga do dia foi composta por 10 unidades: Quinn Simmons (Trek-Segafredo), Chris Hamilton (Team DSM), Lilian Calmejane (AG2R Citroën), Jasha Sütterlin (Bahrain-Victorious), Jhonatan Restrepo (Drone Hopper-Androni Giocattoli), Jonathan Caicedo (EF Education-EasyPost), Diego Rosa (Eolo-Kometa), Einer Rubio (Movistar), Warren Barguil (Arkéa-Samsic), e Tsgabu Grmay (BikeExchange–Jayco).

Com a UAE Team Emirates a controlar o andamento do pelotão, os fugitivos acabaram por não ter margem para poder sonhar com a vitória. No acesso aos 40 km finais e ao circuito final que incluía três passagens na linha de meta, Quinn Simmons ainda atacou, seguindo em solitário, mas o seu esforço não duraria muito tempo.

Um pouco atrás, a Quick-Step dinamitava a corrida, através do campeão do mundo Julian Alaphilippe, que preparava o terreno para o líder Remco Evenepoel, segundo à geral. Com os dois elementos do Wolfpack seguiam também o líder da competição, Filippo Ganna (INEOS Grenadiers) e também o terceiro à geral, Tadej Pogacar (UAE Team Emirates), com o restante pelotão a tentar manter-se em contacto com aqueles que mostravam ser os elementos mais fortes naquela fase.

Depois atacou Benjamin Thomas (TotalEnergies) mas corredores como Marc Soler (UAE Team Emirates), Miguel Ángel López (Astana-Qazaqstan), Giulio Ciccone (Trek-Segafredo), e também Pogacar acabaram por fechar o espaço.

Chegávamos à subida final com um mini-pelotão que iria discutir entre si a vitória na etapa e possivelmente a liderança da prova. Já dentro dos 2 km finais, Richie Porte (INEOS Grenadiers) tentou sair por diversas vezes, mas sem sucesso, com a marcação de Ciccone e Pogacar a não dar qualquer margem ao australiano.

E a 800 m da meta, dá-se a movimentação decisiva, com Tadej Pogacar a arrancar determinado rumo ao risco! Sem qualquer tipo de ameaça, o esloveno conseguiu mesmo cruzar a meta isolado, com 2 segundos de avanço sobre um grupo de 3 ciclistas, encabeçado por Jonas Vingegaard, que soube jogar bem taticamente para fechar à frente de Victor Lafay e Remco Evenepoel.

Com Ganna a chegar apenas no 29º posto, a 25 segundos da frente, e com Pogacar a beneficiar das bonificações para ultrapassar Evenepoel, o esloveno assume a camisola azul, símbolo da liderança, com 9 segundos de avanço sobre o belga e 21 sobre o italiano.

É já a quinta vitória da temporada para o Pequeno Pogi, perspetivando-se cada vez mais uma sexta, na geral do Tirreno-Adriático! A cada dia que passa, o bicampeão do Tour de France solidifica o seu domínio no topo da hierarquia mundial!

Quanto ao único português que resiste em prova, Nelson Oliveira (Movistar) terminou no 57º lugar, a 2:39 do vencedor, tendo baixado para o 52º posto da geral, a 3:19.

Amanha disputa-se a quinta etapa, com 155 km de corrida que irão partir de Sefro e terminar em Fermo, num dia semelhante ao de hoje, também com uma chegada em subida. Haverá alguém capaz de negar nova vitória ao Super Pogi?

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock