Rápido e furioso! Poker para Démare!

O campeão francês, Arnaud Démare, da Groupama-FDJ, venceu pela 4ª vez na edição de 2020 do Giro d’Itália, batendo toda a concorrência de forma enfática no frenético sprint da 11ª etapa! Na segunda posição ficou o eslovaco Peter Sagan, da BORA-hansgrohe, enquanto o terceiro classificado foi o colombiano Álvaro Hodeg, da Deceuninck-Quick Step. João Almeida terminou integrado no pelotão, mantendo a vantagem que já possuía no topo da classificação geral.

Depois de um dia de emoções fortes tanto na luta pela etapa como pela geral, onde Almeida voltou a brilhar, a Volta a Itália prosseguiu com uma jornada bem mais tranquila e convencional e um cenário montado para uma chegada em sprint massivo.

Na 11ª etapa, os ciclistas tinham pela frente 182 km entre Porto Sant’Elpidio e Rimini, e um perfil muito suave pontuado apenas por uma subida de 4ª categoria, numa jornada que tinha tudo para ser discutida pelos sprinters. Curiosamente, esta etapa surgia no dia seguinte à vitória de um dos principais velocistas do pelotão, Peter Sagan, a partir de uma fuga.

No início da tirada, formou-se a fuga do dia, sem grande objeção por parte da Groupama-FDJ e do restante pelotão.  A movimentação foi composta por 5 unidades: Mattia Bais (Androni Giocattoli-Sidermec), Fabio Mazzucco (Bardiani CSF Faizane), Francesco Romano (Bardiani CSF Faizane), Sander Armée (Lotto Soudal), e Marco Frapporti (Vini Zabù-KTM). A vantagem do grupo cresceu até perto dos 4 minutos, com o pelotão a controlar distâncias, comandado pela Groupama-FDJ, mas também pela Cofidis, de Elia Viviani, e da UAE-Team Emirates, de Fernando Gaviria.

Com 90 km para o final, a vantagem dos escapados cifrava-se nos 3 minutos. No primeiro sprint intermédio do dia, com alguns pontos ainda em disputa para o pelotão, adivinhava-se um aperitivo daquilo que aconteceria mais tarde no sprint final. E assim foi, com Arnaud Démare a impor-se a Peter Sagan.

A 30 km do fim, azar para um dos favoritos à etapa, Viviani, que se viu envolvido num acidente com uma mota. O italiano conseguiria ainda reentrar no pelotão com o apoio dos seus companheiros de equipa.

Nos 25 km finais, atacou Armée na fuga e o belga conseguiu manter-se isolado durante alguns km, oferecendo luta à perseguição do pelotão. No entanto, com várias equipas interessadas no sprint, o objetivo do ciclista da Lotto Soudal era simplesmente inalcançável. O saudável avanço de quase 2 minutos a 16 km do fim já era apenas de 40 segundos a 10 km da meta.

A 6 km do fim, a fuga foi anulada e iniciaram-se os preparativos no pelotão para o sprint final. Equipas como a UAE ou a Israel Start-Up Nation (que corria para Rick Zabel) iam estando na frente, mas notava-se que Démare estava confortável, tal como Sagan.

Nos 2 km finais, a Groupama-FDJ tomou as rédeas do grupo definitivamente, preparando o sprint de Démare de forma perfeita. Grande trabalho da formação francesa e em particular da última carruagem do comboio, Jacopo Guarnieri! Gaviria, que vinha na roda do campeão francês, ainda lançou o sprint primeiro, mas Démare respondeu de pronto, com Sagan e Hodeg à espreita. A vitória, no entanto, não haveria de escapar ao francês, que acelerou de forma furiosa, fechando à frente de todos os seus rivais e garantindo a 4ª vitória neste Giro! Démare consegue ainda voltar a aumentar diferenças para Peter Sagan na classificação dos pontos, agora com 220 contra 184 do eslovaco.

Na classificação geral, tudo na mesma, com a camisola rosa a manter-se no corpo de João Almeida. O português terminou a etapa no 22º lugar, integrado no pelotão, e mantém os 34 segundos de vantagem sobre Kelderman e 43 sobre Bilbao na geral.

No topo da classificação da montanha também não houve alterações, permanecendo Ruben Guerreiro no comando com 84 pontos, contra os 76 de Giovanni Visconti.

Amanhã disputa-se a 12ª etapa da Volta a Itália, numa ligação de 204 km com partida e chegada em Cesenatico. Pelo meio, os ciclistas enfrentam 5 contagens de montanha, duas de 4ª categoria e três de 3ª, além de diversas outras ascensões não categorizadas. Os últimos 30 km serão, contudo, em descida e em plano até à meta.

Henrique Silva voltou a vencer na etapa do Passatempo, estando cada vez mais próximo da liderança da geral!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock