Que orgulho, João!

João Almeida, da Deceuninck Quick-Step, voltou a ter uma sorte inglória em mais um final em alto na Volta a Itália, fazendo novamente 2º, desta vez atrás do britânico Simon Yates, da Team BikeExchange! No 3º posto, terminou o camisola rosa, Egan Bernal, acabando por ceder apenas 28 segundos para Yates, conservando a liderança da prova com alguma margem de segurança (por agora).

A etapa 19 trazia o penúltimo dia de montanha nesta edição da prova e mais uma jornada importante na luta pela geral. A primeira metade da tirada seria plana, até que a meio da etapa o pelotão enfrentava uma subida de 4ª categoria, seguida de outra de 3ª, que antecediam o desafio final, uma ascensão de 1ª categoria, com 9.8 km a 8.9% de pendente média e com zonas a 14%.

A fase inicial da jornada ficou marcada, como era expectável, por um furacão de ataques, com inúmeros ciclistas a tentarem sair do pelotão. O ritmo era muito elevado, sem qualquer movimentação a conseguir estabelecer-se nos primeiros 40 km de etapa.

A cerca de 120 km do final, um grupo de seis corredores isolou-se, numa movimentação de Larry Warbasse (AG2R Citroën), Mark Christian (Eolo-Kometa), Giovanni Aleotti (Bora-Hansrohe), Andrea Pasqualon, Quinten Hermans (Intermarché-Wanty Gobert), Nicola Venchiarutti (Androni Giocattoli-Sidermec). A 110 km da meta, este lote levava 3:30 de vantagem sobre o pelotão, que ia sendo controlado pela Team BikeExchange, mostrando as intenções de Simon Yates para esta jornada.

A fuga do dia na 19ª etapa da Volta a Itália (Getty Images)

A 81 km da meta, com a fuga a passar na subida de 4ª categoria de Gignese, a diferença para o grupo principal era de 4 minutos. Vinha para a frente do pelotão a Deceuninck Quick-Step, alinhando toda a sua equipa na frente do grupo, com João Almeida na última roda, a liderar o Wolfpack!

Na descida, houve uma quebra no pelotão, que ficou dividido em dois grandes grupos, com Dani Martinez, da Ineos, a ficar cortado, mas rapidamente dois companheiros de equipa ajudaram a fechar o espaço.

O trabalho da Deceuninck ia reduzindo a diferença para a frente da corrida e, com 43 km para a meta e a fuga já na subida de 3ª categoria para Passo della Colma, a margem dos escapados era de 1:30, com a Deceuninck e também a BikeExchange no comando do pelotão.

A 38 km da meta, vem a Ineos para a frente, com Filippo Ganna a impor o ritmo na parte final da subida. A fuga seguia já na descida, com pouco mais de 1 minuto de vantagem sobre o pelotão. Essa margem manteve-se na subida seguinte e no acesso à ascensão final, sendo que o destino dos fugitivos estava traçado.

Na subida final, a Deceuninck entrou a todo o gás, com a Ineos logo atrás do Wolfpack. A 8 km do final, a fuga era eliminada, com o grupo principal a ficar já extremamente reduzido.

A 6.8 km do final, com os elementos de apoio da Deceuninck a terminarem o seu trabalho, ataca o Canibal das Caldas, com a Ineos a tentar fechar o espaço! Grande ataque de João Almeida, mostrando mais uma vez um grande nível de forma e uma classe fora de série!

Depois, atacava Yates, com Bennett, Caruso, e Vlasov a seguirem com o britânico na perseguição a Almeida, e com Bernal a passar novamente dificuldades para acompanhar os homens em melhor forma! Desta vez, Caruso seguia com Yates, num cenário de pesadelo para Bernal!

Formava-se um grupo de cinco na frente, com a Ineos a tentar fechar o espaço, através de Castroviejo, que levava Martinez e Bernal logo atrás de si.

Depois, atacava Yates, abrindo um espaço para o resto do grupo, com João Almeida a colocar o seu ritmo e a liderar o grupo perseguidor. Com a ajuda de Caruso, o grupo de João Almeida conseguia não perder muito terreno para Yates.

A 5 km do fim, eram já 22 segundos que separavam Yates de Bernal, com o grupo de Almeida a meio caminho entre os dois. A 4 km da meta, Carthy atacou e conseguiu juntar-se ao grupo de Almeida, com o grupo de Bernal pouco atrás. Yates seguia na frente, com 30 segundos de vantagem sobre o grupo dos favoritos.

Com o grupo de Almeida alcançado pelo de Bernal, atacava Vlasov, ficando na perseguição um lote com Martinez, Bernal, Almeida, Caruso, Carthy, Dan Martin, e Foss.

Vlasov era depois alcançado, graças ao trabalho de draga de Martinez, que depois continuou a impor o ritmo na perseguição a Yates. Quem perdia o contacto era Carthy, ficando apenas Almeida, Caruso, e Vlasov, junto dos dois Ineos.

Martinez dava tudo pelo seu líder, e isso refletia-se na vantagem de Yates, cada vez mais diminuta. A 2.5 km do fim terminava o trabalho Martinez, e atacava de pronto Bernal, mas sem conseguir fazer descolar Almeida, o único a manter-se na roda do colombiano!

A 2 km da meta, Yates possuía apenas 19 segundos de avanço sobre Bernal e Almeida. O português seguia na roda do colombiano, de forma inteligente, aproveitando o esforço de Bernal, que tentava manter Yates em mira, para que um ataque letal pudesse ainda garantir a etapa!

Com a diferença a manter-se em 20 segundos à entrada do km final, Almeida passou para a frente de Bernal, dando tudo para tentar chegar a Yates! Eram 16 os segundos que o separavam do líder, e o português pedalava com convicção, de modo a evitar novo 2º, tal como em Sega di Ala.

A 400m da meta, Almeida deixa Bernal sozinho, num último esforço para alcançar Yates! Mas o britânico rodava em bom ritmo, e o português começava a acusar um pouco o grande esforço da subida final.

Simon Yates acaba então por vencer a etapa, com João Almeida em 2º, a 11 segundos, e Egan Bernal 3º, a 28 segundos. Caruso e Vlasov chegavam depois com 32 segundos de atraso.

O português faz novamente 2º numa chegada em alto neste Giro, e a vitória em etapa volta a escapar-lhe entre os dedos, mas é inegável o estado de forma brutal de Almeida e a classe com que se bate com os melhores escaladores do planeta! Que orgulho, João!

Na classificação geral, Bernal mantém-se em primeiro, com 2:29 sobre Caruso e 2:49 sobre Yates.

Quanto a João Almeida, mantém o 8º lugar, a 8:26 de Bernal, mas reduz diferenças para os lugares seguintes, de Martinez, Bardet, e do próprio Carthy, que é 5º, com 1:16 de vantagem sobre o português. Se estas diferenças se mantiverem nesta ordem de grandeza depois da etapa de amanhã, sendo que terão até tendência a reduzir, olhando ao nível de forma de Almeida face aos seus rivais, é plausível que o homem da Deceuninck possa sonhar com o 5º lugar da CG final! Vlasov é o 4º, com pouco mais de 2 minutos de avanço sobre Almeida, pelo que também o russo tem de ter muita atenção à dentada do Canibal!

Nelson Oliveira terminou a etapa no 46º posto, a 12:23 do vencedor. Na CG, o homem da Movistar segue na 26ª posição, a 1:14:03 de Bernal.

Amanhã disputa-se a 20ª e penúltima etapa do Giro, com a última jornada montanhosa da competição, numa ligação de 164 km, entre Verbania e Valle Spluga-Alpe Motta!

Simon Yates aguenta a investida de João Almeida, triunfando na 19ª etapa da Volta a Itália

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

António Morgado vence Gipuzkoa Klasika!

O corredor português António Morgado (Bairrada) venceu no passado domingo a clássica de Gipuzkoa em bicicleta, prova UCI do escalão de juniores, em Urretxu, com outros dois companheiros de equipa também integrados no top 10. António, com 17 anos, vence a 26ª edição da prova, depois Carlos Rodriguez (agora Ineos) e Juan Ayuso (agora UAE), […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock