Philipsen volta a bater Cavendish e Greipel na Turquia!

O belga Jasper Philipsen (Alpecin – Fenix) conquistou a sua segunda vitória consecutiva no Tour of Turkey ao sétimo dia de prova, ao bater o alemão André Greipel (Israel Start-Up Nation) e o britânico Mark Cavendish (Deceuninck – Quick Step) num sprint bastante rápido em Turgutreis, após uma 7ª etapa de 180km com partida de Marmaris a lançar a disputa pela classificação geral e dos pontos para o último dia!

Alessandro Tonelli (Bardiani – CSF – Faizanè), Francesco Gavazzi (Eolo – Kometa), Danilo Celano (Team Sapura Cycling) e Julen Irizar (Euskaltel – Euskadi) foram os quatro aventureiros do dia, ganhando vantagem sobre o pelotão ainda numa fase muito inicial da etapa bastante dura, com uma contagem de primeira categoria pela frente. As equipas dos sprinters controlaram a subida e começaram depois a perseguição com intenções de discutir a vitória final.

A animação voltou a 56km da chegada, numa zona exposta ao vento, em que as acelerações naturalmente aconteceram e os echelons também. A Deceuninck – Quick Step foi apanhada desprevenida e só Cavendish se conseguiu integrar no primeiro de três pequenos pelotões. A equipa belga tentou fazer a corrida voltar a juntar-se de novo, mas enquanto a desorganização reinava foi a Alpecin – Fenix quem aproveitou para conquistar o segundo sprint intermédio do dia. Marcel Meisen acelerou com Vine e Philipsen na roda, e não só o australiano, segundo classificado à geral, conquistou 3s de bonificação, como Philipsen apanhou 3pts que lhe davam a liderança virtual da classificação da regularidade.

Os ataques aconteceram antes e depois de o pelotão se voltar a juntar, mas sem grande sucesso, com Willie Smit (Burgos – BH), Shane Archbold (Deceuninck – Quick Step) e Mikkel Giesselman (Team SKS Sauerland NRW) entre os mais interventivos. A Israel tomou a dianteira do pelotão para os últimos 2km, com uma pequena rampa a aparecer e a fazer a diferença, obrigando quase todos os sprinters a gastarem algumas das suas forças. Philipsen aproveitou bem a situação, e o facto de passar melhor este tipo de inclinações que os adversários, e ao leme de Lionel Taminiaux manteve-se sempre muito bem colocado. Taminiaux lançou o sprint para o seu colega de equipa como mandam as regras, para Philipsen finalizar e conquistar a vitória em grande estilo!

José Manuel Díaz (Delko) mantém a liderança geral antes da etapa final, mas viu a sua vantagem ser reduzida para apenas 1s, depois de Jay Vine (Alpecin – Fenix) ter assegurado 3s de bonificação no segundo sprint intermédio do dia.

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock