Pascal Ackermann vence ao sprint e é o primeiro líder do Deutschland Tour!

O alemão Pascal Ackermann (Bora-Hansgrohe) venceu ao sprint a primeira etapa do Deutschland Tour, uma ligação de 191.4km entre Stralsund e Schwerin, aproveitando da melhor forma o seu comboio para bater o compatriota Phil Bauhaus e o austríaco Marco Haller, ambos da Bahrain Victorious.

A etapa de abertura da Volta a Alemanha começou com chuva, e vários corredores a tentarem integrar a fuga do dia. Seis ciclistas compuseram a escapada, com a fuga a integrar então Henri Uhlig (Germany National Team), Justin Wolf (Bike Aid), Joshua Huppertz (Team Lotto – Kern Haus), Robert Jägeler (P & S Metalltechnik) e Jon Knolle (Team SKS Sauerland NRW) e Alex Colman (Sport Vlaanderen – Baloise). A vantagem dos seis nunca foi superior a 4:00 sobre um pelotão controlado sobretudo pela Deceuninck – Quick Step e pela Bahrain Victorious, que procuravam, claro, a vitória de etapa ao sprint com Mark Cavendish e Phil Bauhaus, respetivamente.

Wolf bateu os rivais da fuga no sprint intermédio, um pouco após Mark Cavendish ter caído no pelotão, mas sem ferimentos graves o britânico rapidamente voltou a reentrar. Logo de seguida, o vento começou a fazer-se sentir, com a Bora, a Deceuninck e a Bahrain a assumirem a dianteira do pelotão e a criarem os famosos echelons, com Ben O’Connor (AG2R Citroen Team) a ser um dos favoritos pior posicionado, com o pelotão a partir por completo em diversos grupos.

A chegada da chuva, uma vez mais, acabaria por fazer o pelotão voltar a juntar-se, ainda com mais de 1h de corrida pela frente. Na única subida categorizada do dia, em Rubow, a 40km da chegada, Jägeler levou a melhor sobre os colegas de fuga e assumiu assim a liderança virtual da classificação dos trepadores, precisando apenas de cruzar a linha de chegada para envergar a camisola.

A 22km da meta, Huppertz venceria o segundo sprint intermédio do dia, num grupo já sem a presença de Uhlig. Logo após o sprint, Jageler e Colman perderiam contacto e seriam alcançados rapidamente pelo pelotão, comandado pelo neozelandês Shane Archbold (Deceuninck – Quick Step). A 10km do fim, várias equipas com intenções para o sprint juntaram homens na frente do pelotão para alcançar a fuga, já que com 6 elementos seria complicado trabalhar com força num bloco compacto até final.

A 5km do fim, Huppertz ainda acelerou para se libertar de Knolle e Wolf, com o pelotão em cima do trio, mas seria também alcançado a 3.7km da chegada, com Remi Cavagna (Deceuninck – Quick Step) a puxar o pelotão. A 2.5km do fim, uma queda acabou por atirar vários ciclistas ao chão, entre os quais Rui Costa e Alessandro Covi (UAE Team Emirates), que felizmente não sofreram consequências. O pelotão ficou partido, e com Mark Cavendish mal colocado, a Quick Step assumiu o lançamento para Yves Lampaert, mas foi Pascal Ackermann que se lançou a 300m da meta, para alcançar um grandíssimo triunfo perante os homens da Bahrain Victorious que não conseguiram superar o alemão da Bora – Hansgrohe.

João Almeida ficou cortado na queda, mas não perdeu tempo, estando a 10 segundos da liderança, na 59ª posição. Rui Costa foi 127ª classificado, também com o mesmo tempo do resto do pelotão.

Classificações Completas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock