Romain Bardet regressa às vitórias em Burgos!

O corredor da DSM, Romain Bardet, venceu a terceira etapa da Vuelta a Burgos, uma ligação de 173km entre Busto de Bureba e Espinosa de los Monteros, com passagem pela dificílima subida do Picon Blanco, com 8km a 9.2%, cujo topo estava situado a 17km da chegada. Domenico Pozzovivo (Team Qhubeka NextHash) e Mikel Landa (Bahrain Victorious), segundo e terceiro, respetivamente, cruzaram a meta 39 segundos depois de Bardet, juntamente com Mikel Nieve (Team BikeExchange).

A terceira jornada da Vuelta a Burgos prometia animação e espetáculo, no primeiro dia de grandes decisões pela classificação geral. Contrariamente ao tradicional, a subida ao Picon Blanco não coincidia com o final da etapa, com a descida e o final plano a prometerem trazer um final diferente daquele que costumamos ter nesta corrida. A luta pela fuga durou cerca de 20km, com um quarteto composto por Oier Lazkano (Caja Rural – Seguros RGA), Oscar Cabedo (Burgos – BH), Joan Bou (Euskaltel – Euskadi) e Guy Niv (Israel Start-Up Nation) a adiantar-se ao pelotão na subida à primeira contagem de montanha do dia, o Alto de Barcina, com 7.7km a 3.6% de pendente média e o seu topo um pouco antes do km 30. Lazkano não deixou fugir a oportunidade e passou na frente da meta de montanha.

A fuga do dia

O quarteto escapado foi ganhando uma vantagem que chegou a bater os 7 minutos, quando as equipas com maiores interesses para o dia de hoje começaram a aparecer na frente do pelotão, a Ineos Grenadiers e a Bahrain Victorious. Na frente, a chegada a uma nova terceira categoria, no Alto de Cereceda, ao km 71, viu Lazkano voltar a superiorizar-se aos adversários e assumir a liderança virtual da classificação dos trepadores.

A corrida prosseguiu e a animação começou a surgir logo na chegada à terceira contagem do dia, o Alto Retuerta, também ele uma terceira categoria, com Lazkano a isolar-se na frente e a despachar os companheiros de fuga logo nas primeiras rampas, ainda com 47km para o fim. O irreverente jovem espanhol, que já venceu uma etapa na Volta a Portugal, seguiu em solitário e voltou a cruzar mais uma meta de montanha na frente e desta vez sem esperar por ninguém.

Lazkano foi mantendo uma vantagem de cerca de 40s para Cabedo e Bou, enquanto Niv seguia a minuto e meio de diferença. O pelotão foi fechando progressivamente a diferença sob o comando da Ineos e da Bahrain, quando a 30km os comboios começaram a surgir para posicionar os candidatos à geral na frente do pelotão para entrarem bem na subida. O pelotão começou a subir já a apenas 2:40 de Lazkano, que tinha uma tarefa complicada para chegar à vitória, mas que ainda sonhava em conseguir tal feito.

A UAE Team Emirates e a Movistar surgiram na frente do pelotão logo nas primeiras rampas, com o destaque a ser, claro, para o líder da geral, Gonzalo Serrano (Movistar), que seguia na roda do veterano colega de equipa Jose Joaquin Rojas, que procurava colocá-lo o melhor possível. Com 23.5km para o fim, Lazkano começava a sentir o calor do público, que o apoiava subida acima, quando no pelotão, ainda no primeiro km de subida, havia uma tentativa de ataque da Team Total Energies, com Jeremy Cabot, mas a Bahrain não deixou sequer a movimentação ganhar cinco segundos e rapidamente a anulou.

O pelotão foi perdendo progressivamente unidades sob o comando da equipa de Mikel Landa, com o segundo classificado do último Giro d’Itália, o italiano Damiano Caruso, a rebocar o pelotão e a tirar tempo a Lazkano, que ainda seguia na frente da corrida. O espanhol da Caja Rural acabou por pagar um pouco o preço da rodar em solitário na subida, com Oscar Cabedo e Joan Bou a aproximarem-se cada vez mais, ao ponto de verem Lazkano uns metros à frente, e apanharem-no ainda antes da chegada ao ponto intermédio da subida.

O trio seguia em grande sofrimento na frente da corrida, quando os ataques começavam no pelotão. O jovem britânico Simon Carr (EF Education – Nippo) era o primeiro a mexer, mas logo atrás de si era, de forma surpreendente, o italiano Fabio Aru (Team Qhubeka NextHash) a responder. Desde 2017 que não víamos o ex-vencedor da Vuelta a España tão ativo numa subida com gente tão importante!

Romain Bardet mexeu-se pouco depois e desferiu o seu primeiro ataque, o que obrigou a que o colombiano Egan Bernal (Ineos Grenadiers) fosse obrigado a perseguir, em função do seu colega de equipa, Pavel Sivakov, que muito melhor posicionado se encontrava na classificação geral. Os fugitivos iniciais haviam já sido completamente alcançados, e foi com o trabalho de Bernal que um restrito grupo de ciclistas ficou na frente da corrida. A Bahrain Victorious, a Ineos Grenadiers e a Qhubeka Nextash eram as únicas equipas com dois elementos.

Os últimos 2km da subida foram os mais decisivos, e após vários momentos de “para arranca”, em que Bernal, após um grandíssimo trabalho, e o austríaco Tobias Bayer (Alpecin – Fenix) descolaram e reentraram várias vezes, foi com uma nova movimentação de Romain Bardet que tudo se decidiu. O francês voltou a atacar e após cruzar o topo do Picon Blanco não mais foi visto pelos seus adversários até cruzar a linha de meta. Domenico Pozzovivo (Team Qhubeka NextHash), Geoffrey Bouchard (AG2R Citroen Team) e Mikel Nieve (Team BikeExchange) foram os que tentaram responder mais de pronto, mas não tiveram as pernas do francês, enquanto Mikel Landa (Bahrain Victorious) veio de trás, num ritmo mais elevado, mas também ficou a meio caminho para alcançar Bardet, juntando-se assim um quarteto na perseguição logo no início da descida.

Com melhores capacidades de descedor que todos os que o perseguiam, Bardet quase não parou até à meta, e nem uma queda a 5km da chegada, após entrar demasiado rápido numa curva lhe retirou a tão desejada vitória, em solitário, três anos e meio depois da última vez que havia levantado os braços! No grupo que perseguia, Bouchard ainda caiu a 6km do fim, mas nenhum deles era capaz de rolar melhor que Bardet, e por isso nunca conseguiram propriamente reduzir a desvantagem do francês. O trio chegou já a 39s, com Domenico Pozzovivo a levar a melhor no sprint pela segunda posição e Landa a ser terceiro. Bouchard foi alcançado pelo grupo que atrás dele seguia, e fechou a 50s do vencedor.

Com esta vitória, Bardet é agora o novo líder da classificação geral, dos pontos e da montanha, enquanto Santiago Buitrago (Bahrain Victorious), ele que foi 24º a 1:35, permanece como o melhor jovem.

Nelson Oliveira (Movistar), o único português presente, foi 49º a 4:32 de Bardet.

Classificações Completas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock