O massacre no Chalet!

O colombiano Iván Ramiro Sosa, da INEOS Grenadiers, venceu a 3ª etapa do Tour de la Provence ao chegar isolado a Chalet Reynard, ponto icónico situado nas encostas do mítico Mont Ventoux! Na 2ª posição terminou o compatriota e companheiro de equipa, Egan Bernal, enquanto o campeão mundial, Julian Alaphilippe, fechou no 3º posto. Sosa ascende assim à liderança da prova francesa, com 15 segundos de avanço sobre Bernal.

O 3º dia do Tour de la Provence de 2021 representava uma tirada decisiva para a decisão do vencedor da competição. Seriam 154 km, entre Istres e a 1ª categoria de Mont Ventoux/Chalet Reynard, e um perfil maioritariamente plano até à subida final que, apesar de ser apenas uma porção da ascensão ao Mont Ventoux, constituía ainda assim um desafio de 9,7 km a uns brutais 9,1% de inclinação média!

Num dia muito frio, as hostilidades da jornada foram abertas pelos fugitivos do dia, conscientes que seria muito difícil triunfar nesta tirada, mas também com a convicção que era um dia especial para mostrar as cores da equipa na frente da corrida. O grupo de corajosos incluía: Damien Gaudin (Total Direct Energie), Louis Louvet (St Michel – Auber93), Alessandro Fedeli (Tean Delko), Florian Vermeersch (Lotto Soudal), Jerome Cousin (Total Direct Energie), e Nicola Bagioli (B&B Hotels p/b KTM).

A vantagem da fuga chegou aos 3:30 mas a partir daí não mais cresceria, com equipas como Deceuninck – QuickStep, Ineos Grenadiers, Astana – Premier Tech, e Trek – Segafredo a mostrarem desde cedo que a vitória seria decidida pelo pelotão.

Na subida final, com a fuga ainda a tentar sobreviver, as formações mais fortes começaram a esgrimir argumentos. A Astana puxou forte logo de início, com o líder da corrida, Davide Ballerini, a perder o contacto, como era expectável. Isso não esmoreceu a Deceuninck, que logo a seguir colocou Harold Tejada ao ataque. Respondeu a INEOS, aumentando o ritmo e preparando o caminho para os seus líderes.

Tejada alcançou os últimos homens que resistiam na fuga, mas logo de seguida a INEOS eliminou a movimentação do colombiano, quando faltavam ainda mais de 7 km para a meta. Entrou então ao serviço o espanhol da INEOS, de apenas 20 anos, Carlos Rodriguez, com uma incrível demonstração de força que dizimou completamente o grupo principal. A 5 km do final, apenas uma dúzia de corredores resistia ao ritmo de Rodriguez.

Pedia-se um remate concretizador para a grande jogada de equipa que a INEOS ia protagonizando subida acima, e o ponta-de-lança dos britânicos foi mesmo Iván Ramiro Sosa! Movimentação feroz e decidida do colombiano, sem qualquer resposta por parte dos rivais! Mauri Vansevenant (Deceuninck – Quick Step) colocou-se ao trabalho, tentando ajudar Julian Alaphilippe. E logo de seguida, o campeão do mundo aproveitou o trabalho do companheiro, atacando o grupo dos favoritos na tentativa de alcançar Sosa. Na roda do francês seguiu Egan Bernal, capitalizando o esforço de Alaphilippe, garantindo segurança para a equipa face a uma eventual falha de Sosa, e completando assim a última parte do plano perfeito que a INEOS havia desenhado para esta jornada!

A 2 km do fim, Sosa possuía 20 segundos de avanço sobre Alaphilippe, Bernal, e Wout Poels, que havia chegado ao grupo entretanto. Mesmo com a ajuda do holandês na perseguição, Sosa não cedeu terreno.

À entrada do km final, quem atacou foi mesmo Bernal, na busca da dobradinha da INEOS na etapa e na geral. Alaphilippe ainda o alcançou, mas tendo de trabalhar logo de seguida para tentar apanhar Sosa, era previsível que Bernal se superasse mesmo ao francês na chegada.

Entretanto, Sosa chegava ao final da etapa em Chalet Reynard, levantando os braços completamente isolado (de ciclistas e de adeptos), confirmando a expetativa que recaía sobre os seus ombros, na liderança de uma INEOS que se mostrou verdadeiramente demolidora. E no segundo posto fechou mesmo Bernal, a 15 segundos de Sosa, com Alaphilippe uns metros atrás de si.

Na classificação geral, Sosa é o novo líder, com 15 segundos para Bernal e 18 para Alaphilippe, quando falta apenas uma etapa para o final da competição francesa. O último dia reserva uma ligação de 163 km entre Avignon e Salon-de-Provence, com um perfil bastante suave e um final plano. Prevê-se uma chegada ao sprint e um dia de consagração para Iván Ramiro Sosa e para a INEOS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock