O jovem irreverente Pidcock vence a Brabantse Pijl com uma tática perfeita!

O jovem britânico Thomas Pidcock (Ineos Grenadiers) venceu esta tarde a Brabantse Pijl, clássica belga de 201.6km de extensão, entre Leuven e Overijse, batendo ao sprint na rampa final o belga Wout van Aert (Jumbo – Visma) e o italiano Matteo Trentin (UAE Team Emirates), depois de um excelente final em que tivemos de tudo!

A corrida começou de forma bastante animada, com a fuga a ter dificuldade em formar-se já que eram vários os ciclistas com intenções de compor a frente da corrida. Só depois de percorridos os primeiros 30km é que um grupo de 9 ciclistas se isolou com Bryan Coquard (B&B Hotels p/b KTM), Ludovic Robeet (Bingoal Pauwels Sauces WB), Jordi Meeus (Bora – Hansgrohe), Andreas Leknessud (Team DSM), Julian Mertens (Sport Vlaanderen – Baloise), Anders Skaarseth (Uno-X Pro Cycling Team), Brent van Moer (Lotto Soudal), Emmanuel Morin (Cofidis) e Kévin van Melsen (Intermarché – Wanty – Gobert Matériaux).

O pelotão permitiu que a fuga ganhasse uma vantagem que chegou a ser superior a 6 minutos, mas a BikeExchange apareceu na frente para tentar levar o seu líder Michael Matthews à vitória e começou a comer minutos muito rapidamente. Os primeiros ataques com favoritos surgiram a 76km do final, numa fase em que era Sonny Colbrelli (Bahrain Victorious) quem estava na movimentação. Pouco depois, um ataque com Remi Cavagna (Deceuninck – Quick Step), Ide Schelling (Bora – Hansgrohe), Robert Stannard (Team BikeExchange) e Sven Erik Bystrom (UAE Team Emirates) ganhava cerca de 30s ao pelotão e tornava-se um sério perigo à luta pela vitória.

A 50km do final, o pelotão começava a partir-se a sério, graças aos esforços das principais equipas e a frente da corrida estava já dividida em dois grupos, com Cavagna e companhia muito próximos de chegar à frente, depois de alcançarem ciclistas que perdiam o contacto do grupo inicial de escapados. A cerca de 40km do final, acabou por se dar uma grande queda a meio do pelotão, com Kevin Geniets (Groupama – FDJ) a ficar em muito mau estado e a ser forçado a abandonar. Vários homens ficaram ali eliminados da disputa pela corrida, como foi o caso do francês Florian Senechal (Deceuninck – Quick Step).

A 38km da chegada, um ataque no pelotão com Pidcock, van Aert e Trentin viria a ser decisivo, e a junção entre o trio e os dois grupos escapados viria a acontecer, provocando assim a movimentação decisiva da corrida. 10km depois, Trentin acabaria por se isolar do grupo e abrir uma vantagem que estabilizou entre os 15 e os 20s. A 16km do final, no Hertstraat, a dupla de van Aert e Pidcock conseguiu abrir vantagem para o grupo em que seguiam, e rapidamente fizeram a ponte para Trentin, com o trio a abrir progressivamente vantagem para quem seguia atrás deles, e o pelotão a ficar cada vez mais longe do segundo grupo, numa desvantagem que estabilizaria nos 40s.

Na rampa final, a típica paradinha acabou por acontecer, e o grupo de trás aproximou-se, com Trentin a acabar por assumir a dianteira para não serem alcançados por um forte ataque de Benoit Cosnefroy (AG2R Citroen Team). Van Aert acabou por lançar o sprint a 250m da chegada, mas saiu muito cedo para as energias que tinha, e Tom Pidcock agarrou a roda do belga, para o passar em grande estilo e assim celebrar o primeiro triunfo pela Ineos.

O sprint final

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock