Nikias Arndt surpreende, mas João Almeida mantém a liderança por apenas 2s!

O alemão Nikias Arndt (Team DSM) venceu a quinta etapa do Tour de Pologne, uma ligação de 172.9km entre Chocolów e Bielsko – Biala, batendo ao sprint o esloveno Matej Mohoric (Bahrain Victorious), o italiano Stefano Oldani (Lotto Soudal) e o português João Almeida (Deceuninck – Quick Step), após um excelente final onde foi o mais forte sobre os seus rivais.

A quinta etapa da Volta a Polónia começou com um ritmo elevado, com vários ciclistas a tentarem sair do pelotão. Nenhum dos ciclistas que esteve nestas acelerações conseguiu formar a fuga do dia e só aos 9km da etapa é que Jonas Rickaert (Alpecin – Fenix) conseguiu um espaço importante sobre o pelotão. 2km após o ataque de Rickaert, Yevgeniy Fedorov (Astana – Premier Tech), Daniel Arroyave (EF Education – Nippo), Robert Power (Team Qhubeka NextHash), Emiel Liepins (Trek – Segafredo) e Lukasz Owsian (Poland National Team) conseguiram também distanciar-se e juntaram-se Rickaert no grupo da frente.

A 123km do fim, começou a primeira subida categorizada do dia, onde Emiel Liepins bateu o líder da montanha Lukasz Owsian ao sprint, e passou em primeiro no alto. A vantagem da fuga esteve sempre controlada pelo pelotão e a 68km do fim, na segunda contagem de montanha da jornada, Robert Power perdeu o contacto com o grupo da frente e Emiel Liepins foi novamente o primeiro a passar no alto.

A 55km do fim, a Ineos Grenadiers acelerou o ritmo no pelotão para tentar ganhar a etapa com o seu líder, o polaco Michal Kwiatkowski. 11km depois começou a terceira e última subida categorizada do dia. Na frente da corrida, Jonas Rickaert aumentou o ritmo e levou consigo Lukasz Owsian, que foi o primeiro a passar no alto. Já no pelotão, Sean Bennett (Team Qhubeka NextHash), Thomas Marczynski (Lotto Soudal) e Larry Warbasse (AG2R Citroen Team) atacaram e tentaram alcançar os homens da frente.

A 27km da meta, Rickaert estava isolado na frente, já sem a companhia de Owsian, e recebeu a companhia do trio que saiu do pelotão. O quarteto tinha 37s de vantagem sobre o pelotão, que ainda era comandado pela Ineos. A vantagem dos quatro manteve-se entre os vinte e os trinta segundos, até que a 10km da meta a Ineos voltou a aumentar o ritmo do pelotão, diminuindo a desvantagem para dez segundos.

A 4.4km da meta, Rickaert atacou, enquanto os restantes ciclistas escapados foram apanhados pelo pelotão. Rickaert só se manteve na frente durante pouco mais de 1km, devido ao forte ritmo da Ineos, que rapidamente o alcançou. A 2km da meta, a Groupama – FDJ e a Ineos Granadiers lideravam o pelotão. João Almeida estava muito mal colocado e tentava subir no grupo, mas não tinha muito espaço para o fazer.

A 700m da meta houve uma queda a meio do grupo. João Almeida não ficou na queda mas estava na parte de trás do grupo e escapou por pouco, tentando ganhar uma boa posição para procurar a terceira vitória de etapa. 200m depois, Tim Wellens (Lotto Soudal), começou a lançar o sprint para Stefano Oldani, que seguia com Matej Mohoric na sua roda. O italiano começou o sprint, mas foi surpreendido por uma grande arrancada de Nikias Arndt, que lhe valeu a vitória por muito pouco, com Mohoric a ser ainda segundo. João Almeida ainda foi quarto, mas terminou visivelmente desagradado, após não ter conseguido posicionar-se da melhor forma.

João Almeida mantém a liderança da classificação geral por apenas dois segundos sobre Mohoric, que é o novo líder da classificação por pontos. Lukasz Owsian continua líder da classificação da montanha e Taco Van der Hoorn (Intermaché – Wanty – Gobert) mantém a liderança da classificação dos sprints intermédios.

Os metros finais

Classificações Completas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock