Na terra do submarino amarelo, vitória para o torpedo amarelo!

O holandês Dylan Groenewegen, da Jumbo-Visma, venceu a primeira etapa da Volta a la Comunitat Valenciana, batendo ao sprint o compatriota Fabio Jakobsen, da Deceuninck Quick-Step.

A primeira tirada da prova espanhola disputou-se entre Castelló e a cidade de Vila-Real, numa distância de 180 km. O percurso apresentava apenas uma contagem de montanha, de terceira categoria que, colocada sensivelmente a meio da etapa, não iria colocar dificuldades aos corredores mais rápidos do pelotão.

Nos primeiros quilómetros da etapa, quatro corredores destacaram-se do pelotão e formaram logo aí a fuga do dia: Julen Irizar (Fundación-Orbea), Cédric Beullens (Sport Vlaanderen-Baloise), Cristian Scaroni (Gazprom-Rusvelo), e Diego Sevilla (Kometa Xstra). Satisfeito com a situação de corrida, o pelotão controlou a distância dos fugitivos durante todo o dia, liderado principalmente pelas equipas dos dois grandes favoritos à vitória, Deceuninck e Jumbo-Visma.

No sprint intermédio, colocado antes da contagem de montanha, passou em primeiro Julen Irizar, enquanto no alto da subida foi Cédric Beullens a liderar a fuga, o que lhe garante a primeira camisola de rei da montanha da prova. A partir desse ponto, o pelotão foi reduzindo gradualmente a vantagem da fuga que, a 40 km da meta, rondava um minuto. A 10 km do fim o pelotão estava compacto.

Os quilómetros finais completamente planos significaram uma chegada com muita velocidade à cidade de Vila-Real. A Deceuninck assumiu as despesas do trabalho nesta fase, principalmente por Tim Declerq, com as restantes equipas a lutarem pelo melhor posicionamento possível para o sprint final.

Nos metros finais, com Jakobsen aparentemente a ter tudo para oferecer mais uma vitória à Deceuninck, o torpedo amarelo Dylan Groenewegen aparece vindo de trás na altura certa para roubar a vitória mesmo sobre o risco de meta. A equipa holandesa superou-se assim aos rivais belgas que talvez tenham deixado Jakobsen abrir o sprint demasiado cedo. Na terceira posição ficou Alexander Kristoff da UAE-Team Emirates.

O único português em prova, Daniel Viegas, da equipa espanhola Kometa Xstra Cycling Team, terminou na 74ª posição, integrado no pelotão, embora a 3 segundos do vencedor da etapa, fruto de um corte no grupo aquando do frenético sprint final.

Amanhã disputa-se a segunda etapa, que promete um final bem diferente do primeiro dia, fruto de um autêntico muro com dois quilómetros de extensão e rampas a rondar os 24%, que irá brindar os ciclistas na chegada a Cullera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock