Monumental Roglic vence em Lagos de Covadonga e volta à liderança da Vuelta!

O esloveno Primoz Roglic (Jumbo – Visma) venceu a 17ª etapa da La Vuelta a España, uma ligação 185.8km entre Unquera e a mítica subida de Lagos de Covadonga, com final em categoria especial. Um ataque a 7km da meta teve o condão de isolar Roglic, com Sepp Kuss (Jumbo – Visma) a ser segundo e Miguel Angel Lopez (Movistar) terceiro, ambos a 1:35 do vencedor.

A jornada 17 da La Vuelta prometia espetáculo com a chegada da alta montanha na última semana da corrida e vários ciclistas a quererem ganhar tempo na luta pela classificação geral. A batalha pela fuga do dia começou desde cedo e muitos foram os ataques de vários ciclistas que procuravam ir atrás da etapa ou colocar-se em posição de ajudar os seus líderes na fase final do dia, onde tudo se decidiria.

Um grupo de 6 ciclistas onde se destacavam Arnaud Demare (Groupama – FDJ) e Mauri Vansevenant (Deceuninck – Quick Step) esteve adiantado ao pelotão nos primeiros kms do dia, mas seria alcançado com apenas 22km percorridos, tal era a intenção geral de escapar ao pelotão. Os ataque seguiram sem que alguém conseguisse ganhar muita vantagem, com a DSM sempre muito bem representada em todas as tentativas, e na primeira contagem do dia, a terceira categoria do Altu de Hortigueru, foi o esloveno Jan Polanc (UAE Team Emirates) a passar na frente, ao km 37.3.

A chegada a La Collada Llomena, onde o pelotão iria passar por duas vezes, viu um grande grupo formar uma fuga, com David de la Cruz (UAE Team Emirates) incluído, em busca de assaltar um regresso ao top10 da classificação geral. O russo Pavel Sivakov (Ineos Grenadiers) era quem comandava um pelotão cada vez mais reduzido, que Mikel Landa (Bahrain Victorious) procurava atacar, em busca de um grupo de 20 ciclistas adiantados, que nunca tiveram mais de 1:00 de vantagem para o pelotão.

Foi já nos últimos metros da primeira ascensão que o líder da geral, Odd Christian Eiking (Intermarche – Wanty – Gobert), deu os primeiros sinais de fragilidade, ao descolar e ceder algum terreno para os principais favoritos, mas já na fase da descida o norueguês voltou ao grupo. Ainda assim, o alarme estava dado! Michael Storer (Team DSM) foi o primeiro a cruzar o alto e somou 10pts para a classificação da montanha.

Em plena descida, o francês Olivier Le Gac (Groupama – FDJ) distanciou-se do grupo escapado e ficou sozinho na frente da corrida, com o pelotão a absorver todos os outros ciclistas adiantados em plena fase de descida.

A segunda subida a La Collada Llomena viu Thomas Pidcock (Ineos Grenadiers) assumir o pelotão e começar a fazer descolar os homens que haviam gasto forças para fazer a fuga do dia, mas foi já no turno do russo Pavel Sivakov (Ineos Grenadiers) que Le Gac foi alcançado, e também que Odd Eiking voltou a descolar. Ainda assim, o ponto alto era de Egan Bernal, que surpreendia os seus rivais com um ataque a 60km do fim! O ataque do colombiano apanhou toda a gente de surpresa e só Primoz Roglic (Jumbo – Visma) foi capaz de o seguir. Com o duo a ter já 15s de vantagem, Miguel Angel Lopez (Movistar) ainda tentou fazer a ponte, mas não conseguiu melhor do que ficar a 10s de distância. Sem conseguir fechar o espaço, o colombiano deixou-se ficar e ser absorvido pelo grupo principal dos favoritos, que seguia já a 40s, com a Bahrain a impor o ritmo por Wout Poels.

Egan Bernal passou na frente em La Collada, garantiu a bonificação de 3s para a classificação geral, com o grupo dos favoritos a passar 42s depois. Enric Mas (Movistar) seguia integrado no grupo e não despoletava qualquer tipo de reação! A descida fez a vantagem do duo crescer para mais de 2:00, com o pelotão a não querer correr riscos de sofrer quedas que retirasse os diversos líderes das primeiras posições.

No grupo que perseguia o principal, os riscos eram corridos, e uma queda acabou mesmo por acontecer com Aleksandr Vlasov (Astana – Premier Tech) a ir ao chão e a ficar bastante mal tratado. Carlos Verona (Movistar) também ficou envolvido, e o líder da geral, Odd Eiking, iria também ao alcatrão, quando se surpreendeu ao fazer a curva e ver todo o aparato à sua frente. Vários ciclistas foram reentrando no grupo durante a descida, nomeadamente Remy Rochas (Cofidis) e Ben Zwiehoff (Bora – Hansgrohe), que se aliavam à Bahrain Victorious na perseguição.

A movimentação de Egan Bernal e Primoz Roglic.

A 20km do fim, Felix Grossschartner (Bora – Hansgrohe) sofria um problema mecânico, mas rapidamente voltaria ao grupo. Bernal e Roglic aproveitavam a fase antes de Lagos de Covadonga para abastecer e recuperar algumas energias, e o ritmo imposto por Damiano Caruso (Bahrain Victorious) permitia que o grupo começasse a subida com apenas 1:30 de atraso para os dois líderes.

Egan Bernal era quem assumia o primeiro km da subida a Lagos de Covadonga, mas a vantagem começava a cair para o 1:20, e Primoz Roglic sentiu necessidade de ser ele a assumir o trabalho para não ser alcançado pelos adversários e dar já uma machadada na classificação geral! No pelotão, era uma vez mais Wout Poels a trabalhar, com Guillaume Martin (Cofidis), segundo à geral, a ceder terreno com 10km para o fim.

O ritmo do neerlandês da Bahrain não permitia fechar o espaço para o trabalho de Roglic na frente da corrida e era já com 7.5km para a meta que Egan Bernal descolava e deixava o esloveno em solitário a ganhar terreno para os adversários. Em pouco meais de 1.5km, Bernal perdia já 35s e deixava antever que o final seria crítico para si. Com 7km para o fim, e talvez alertado de que Bernal estaria em dificuldades, Miguel Angel Lopez voltava a atacar e desta vez era Sepp Kuss (Jumbo – Visma) e Adam Yates (Ineos Grenadiers) a seguirem a roda do colombiano, para protegerem os seus líderes que seguiam na frente. A seu ritmo, a Bahrain fecharia o espaço, com Gino Mader a alcançar o trio.

O ataque de Lopez tinha o condão de fazer Grossschartner, de la Cruz, Louis Mentjes (Intermarche – Wanty – Gobert) e Clement Champoussin (AG2R Citroen Team) descolarem e perderem algum terreno. Com o ritmo de Mader, apenas conseguia seguir o seu líder Jack Haig, Enric Mas, Miguel Angel Lopez, Sepp Kuss e Adam Yates, um reduzidíssimo grupo de candidatos!

Com 4.3km para o final, Enric Mas atacou e ganhou algum espaço, mas Adam Yates acabou por tentar fazer a ponte pouco depois, com Miguel Angel Lopez e Sepp Kuss. Jack Haig ficou na roda de Mader, que fazia a subida a ritmo com um grandíssimo trabalho! Com a chegada a Mas, Kuss voltou a tentar atacar, mas o espanhol agarrou-se à sua roda, com Lopez e Yates logo atrás e o quarteto voltou a parar por momentos. Foi Miguel Angel Lopez a assumir a dianteira e a ir à procura de Bernal, que ainda estava em posição intermédia, mas que não havia sido ainda alcançado.

A 2km do fim, Lopez já tinha Bernal à vista, e Haig de novo na traseira, graças a um grandíssimo trabalho de Ginp Mader. A dupla da Movistar revezava-se na frente, e era Mas que dava o último impulso para que Egan Bernal fosse alcançado. Sepp Kuss atacou a 1.2km do final, na tentativa de fazer 1-2 para a Jumbo, mas Miguel Angel Lopez agarrou-se à sua roda e todos os outros candidatos também, com Egan Bernal no último lugar do grupo.

Roglic seguia tranquilamente para conquistar a sua terceira vitória de etapa nesta edição, enquanto o grupo de favoritos chegaria a 1:35, com Sepp Kuss a tirar segundos de bonificação importantes aos adversários do esloveno e a ser segundo. Bernal fechou incluído no grupo.

Nelson Oliveira (Movistar) foi 70º, a 35:13 enquanto Rui Oliveira (UAE Team Emirates) foi 133º a 40:49.

Primoz Roglic é o novo líder da classificação geral, com Enric Mas a 2:22 e Miguel Angel Lopez a 3:11. Egan Bernal segue na liderança da juventude, enquanto é sexto na geral individual, a 4:29 de Roglic. Fabio Jakobsen (Deceuninck – Quick Step) mantém a liderança da classificação por pontos e Romain Bardet (Team DSM) da montanha.

O último km

Classificações Completas

Classificações do Passatempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock