Mathieu van der Poel vence Batalha de Titãs e conquista a Ronde van Vlaanderen pela segunda vez!

O neerlandês Mathieu Van der Poel (Alpecin – Fenix) venceu a Ronde van Vlaanderen, a Volta à Flandres, uma clássica de 272.5km entre Antwerpen e Oudenaarde, batendo ao sprint o neerlandês Dylan Van Baarle (Ineos Grenadiers) e o francês Valentin Madouas (Groupama – FDJ), num final dramático para o esloveno Tadej Pogacar (UAE Team Emirates), que foi apenas quarto ao sprint após ter sido fechado.

A Volta à Flandres começou com diversas tentativas de ataque com Manuele Boaro (Astana Qazaqstan Team), Sébastien Grignard (Lotto Soudal), Taco Van der Hoorn (Intermaché – Wanty – Gobert), Stan Dewulf (AG2R Citroen Team), Tom Bohli (Cofidis), Max Kanter (Movistar Team), Luca Mozzato (B&B Hotels – KTM), Mathijs Paasschens (Bingoal Pauwels Sauces WB) e Lindsay De Vylder (Sport Vlaanderen – Baloise) a formarem a fuga do dia.

A 250km do fim, Pogacar sofreu uma queda, mas o esloveno não sofreu quase nenhuma mazela e conseguiu continuar. A 187km do fim, a fuga do dia tinha 4:03 de vantagem sobre o pelotão. A 132km do fim, van Baarle furou e foi obrigado a trocar de bicicleta, mas o neerlandês conseguiu reentrar no pelotão. 18km depois, uma queda aconteceu no pelotão na qual ficou envolvido o jovem norueguês Tobias Johannessen (Uno-X Pro Cycling Team).

A 100km do fim, Nathan van Hooydonck (Jumbo – Visma) acelerou na frente do pelotão e um grupo composto por van Hooydonck e Mick van Dijke (Jumbo – Visma), Zdenek Stybar, Jannik Steimle e Yves Lampaert (Quick-Step Alpha Vinyl Team), Alberto Bettiol (EF Education – EasyPost), Mads Pedersen e Alex Kirsch (Trek – Segafredo), Gianni Vermeersch (Alpecin – Fenix), Ben Turner (Ineos Grenadiers), Jonas Koch e Marco Haller (Bora – Hansgrohe), Olivier Le Gac (Groupama – FDJ) e Ivan Garcia Cortina (Movistar Team) conseguiu sair do pelotão, que era comandado pela UAE Team Emirates e pela TotalEnergies.

A 82km do fim, uma queda aconteceu no pelotão, na qual ficaram envolvidos dois candidatos, Christophe Laporte (Jumbo – Visma) e Anthony Turgis (TotalEnergies). 6km depois, Matteo Trentin (UAE Team Emirates) e Victor Campenaerts (Lotto Soudal) tentaram sair do pelotão, mas não tiveram sucesso. A 70km do fim, Tim Wellens (Lotto Soudal), Connor Swift (Team Arkéa – Samsic) e Kevin Geniets (Groupama – FDJ) saíram do pelotão. 2km depois, a fuga do dia tinha 22s de vantagem sobre o grupo intermédio, 51s sobre os Wellens, Swift e Geniets e 1:11 sobre o pelotão que era comandado pela UAE Team Emirates.

A 63km do fim, os três perseguidores juntaram-se ao grupo intermédio. A 56km do fim, Pogacar acelerou no Oude Kwaremont e o esloveno levou consigo Kasper Asgreen (Quick-Step Alpha Vinyl Team). Tom Pidcock (Ineos Grenadiers) e van der Poel vinham um pouco mais atrás, após não reagirem de imediato à aceleração de Pogacar. Pogacar passou direto pelo grupo perseguidor e, a 54km do fim, tínhamos o esloveno, Asgreen, van der Poel, Pidcock, Pedersen, Cortina, Turner, Mozzato, Van der Hoorn e Stefan Kung (Groupama – FDJ) na frente da corrida. Logo a seguir, um segundo grupo juntou-se à frente da corrida.

A 51km do fim, no Paterberg, Jan Tratnik (Bahrain Victorious) acelerou e esticou o grupo da frente. A 48km do fim, um terceiro grupo entrou na frente da corrida. 1km depois, Fred Wright (Bahrain Victorious) e van Baarle atacaram e ninguém respondeu aos dois ciclistas que conseguiram uma vantagem de 25s. 2km depois, no Koppenberg, Pogacar acelerou e Van der Poel e Madouas foram os únicos que o conseguirem seguir. Asgreen sofreu um problema mecânico e por isso não conseguiu seguir a movimentação.

A 37km do fim, os três juntaram-se à frente da corrida que tinha quase 1:00 de vantagem sobre o grupo perseguidor onde não havia cooperação. A 26km do fim, a vantagem da frente da corrida era de 1:15 sobre o grupo perseguidor. 1km depois, no grupo perseguidor, Tiesj Benoot (Jumbo – Visma) acelerou e o belga foi seguido por Kung e por Dylan Teuns (Bahrain Victorious) e os três perseguiam os cinco da frente, estando a apenas 55s.

A 21km da meta, o grupo da frente tinha apenas 45s de vantagem sobre o trio perseguidor. 2km depois, Wellens e Matis Louvel (Team Arkéa Samsic) saíram do pelotão e tentavam chegar ao trio perseguidor. A 18km da meta, em mais uma passagem no Oude Kwaremont, Pogacar acelerou com van der Poel na roda. Van Baarle e Wright perderam logo o contacto. Madouas ainda conseguiu seguir os dois durante umas centenas de metros, mas o francês acabou por ceder. No grupo perseguidor, Benoot não conseguiu seguir o ritmo de Kung e Teuns.

A 13km da meta, na última passagem pelo Paterberg, van der Poel cometeu um erro e quase saiu de estrada, mas o neerlandês conseguiu ainda seguir a roda de Pogacar. Os dois tinham uma vantagem de 30s sobre os dois perseguidores, Madouas e van Baarle. Kung, Teuns e Wright não estavam muito longe dos dois que estavam a lutar pelo terceiro lugar.

A 5km da meta, os dois da frente tinham 28s de vantagem sobre Van Baarle e Madouas e 48s sobre Wright, Teuns e Kung. 2km depois, a vantagem de Pogacar e van der Poel era de apenas 21s sobre os dois perseguidores e 38s sobre o trio que tentava alcançar Madouas e van Baarle. No último km, os dois da frente começaram a marcar-se e nos metros finais, vindo de trás, Madouas lançou o sprint com van Baarle na roda, logo a seguir. Van der Poel lançou o seu sprint e ninguém foi capaz de passar o Godzilla, que venceu pela segunda vez a Ronde van Vlaanderen. Van Baarle foi segundo e Madouas terceiro. Pogacar foi fechado pelos dois ciclistas e foi apenas quarto. Kung venceu o sprint pela quinta posição, chegando a apenas 2s do vencedor.

Rui Oliveira (UAE Team Emirates) não terminou a corrida, mas desempenhou um papel de grande trabalho em função de Pogacar!

Os metros finais

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock