Martínez vence etapa em que os eslovenos superaram os colombianos!

O colombiano Daniel Martínez (EF Pro Cycling), vencedor do último Critérium du Dauphiné, venceu a décima terceira etapa do Le Tour de France, uma ligação de 191.5km entre Chatel-Guyon e Puy Mary, batendo o alemão Lennard Kamna (Bora – Hansgrohe) por 4 segundos, e o alemão Maximilian Schachmann (Bora – Hansgrohe) por 51 segundos.

Décima terceira etapa deste Tour de France, primeiro dia de alta montanha desta segunda semana, que foi desde logo muito atacado. Um grupo de cinco elementos com Rémi Cavagna e Julian Alaphilippe (Deceuninck – QuickStep), Benoit Cosnefroy (AG2R – La Mondiale), Simon Geschke (CCC Team) e Dan Martin (Israel Start-Up Nation) isolou-se ao km 15, e várias tentativas surgiram para fazer a ponte, mas sem sucesso, e o pelotão abrandou um pouco.

Um grupo de 14 ciclistas adiantou-se ao pelotão pouco depois, mas nem todos sucederam, com Peter Sagan (Bora – Hansgrohe) e Bryan Coquard (B&B Hotels – Vital Concept), por exemplo, a serem depois absorvidos pelo pelotão. Desse grupo, Marc Soler (Movistar) conseguiu fazer a ponte para a frente, alcançando o grupo de Alaphilippe ao km 31, com Cosnefroy a ceder no mesmo momento.

Geschke passou em primeiro na primeira contagem de montanha, ao km 36, com Cosnefroy já no meio do grupo que perseguia, que também já estava desfeito. Pouco depois foram-se formando os grupos que efetivamente iam compor a fuga, com Daniel Martinez, Lennard Kamna e Hugh Carthy (EF Pro Cycling). Meia dúzia de kms depois juntaram-se a eles Pavel Sivakov (Ineos Grenadiers), Warren Barguil (Team Arkea – Samsic), Neilson Powless (EF Pro Cycling), Nicolas Edet (Cofidis), David de la Cruz (UAE Team Emirates) e Pierre Rolland (B&B Hotels – Vital Concept). Mais atrás seguiam Maximilian Schachmann (Bora – Hansgrohe), Romain Sicard (Total Direct Energie) e Valentin Madouas (Groupama – FDJ), com o pelotão já a mais de 3 minutos.

Por volta do km 60, os escapados juntaram-se todos na frente, com o pelotão já a mais de 5 minutos, e a Jumbo – Visma na frente apenas controlando uma distância que não se importavam de ver alargar. A 88km do final uma queda no pelotão, com Romain Bardet (AG2R La Mondiale), Nairo Quintana (Team Arkea – Samsic) e Bauke Mollema (Trek – Segafredo), com o holandês a abandonar a prova.

Alaphilippe venceu o sprint intermédio, ao km 111, com Tony Martin e Amund Jansen a controlarem um pelotão já a mais de 8 minutos. Com tanta calmia, os sprinters no grupetto foram reentrando no pelotão, e assim poupando forças para uma dura fase final.

Neilson Powless ganhou vantagem na fuga, com cerca de 40km para o final, enquanto a Ineos assumia o pelotão, na tentativa de endurecer a corrida. Schachmann alcançou Powless a 29km do final, e 11km depois deixou-o ficar para trás, seguindo para uma tentativa de vencer em solitário. Já na penúltima subida Martínez, Kamna e Soler atacaram, mas o espanhol não conseguiu acompanhar e acabou por ceder, seguindo Martínez na perseguição a Schachmann com Kamna na roda.

No pelotão tínhamos Guillaume Martin, Romain Bardet e Adam Yates a passar um mau bocado na penúltima subida, os franceses devido às quedas dos últimos dias. Yates com o seu ritmo acabou por colar de novo ao grupo, com Richard Carapaz a atacar para tentar queimar as fichas da Jumbo, mas Tom Dumoulin a responder na hora e a fechar rapidamente o espaço.

A 1.6km do final Schachmann foi alcançado pelo duo, com Martínez a tentar deixar logo o alemão para trás, mas Schachmann acabou por reentrar pouco depois. Nos 800 metros finais Schachmann não aguentou mais e abriu para o lado, enquanto Martínez comandava e respondia bem a um ataque de Kamna, que também soube responder quando o colombiano contra-atacou logo de seguida. Martínez comandou a entrada nos metros finais, e Kamna tentou sair a 150m do final para vencer, mas Martínez tinha um pouco mais de força, passando o alemão para se isolar e levantar os braços na inédita chegada a Puy Mary, com Kamna a finalizar apenas 4 segundos atrás.

No grupo dos favoritos, Sepp Kuss assumiu a dianteira com 3km para o final, impondo um bom ritmo para Primoz Roglic, já a colocar Egan Bernal em dificuldades. Todavia, foi outro esloveno a atacar primeiro e a abrir as hostilidades, Tadej Pogacar! Apenas Roglic conseguiu responder ao compatriota, com Mikel Landa, Miguel Angel Lopez, Richie Porte e Rigoberto Uran mais atrás, com Nairo Quintana a começar a descolar.

Na perseguição alinharam-se Richie Porte, Mikel Landa e Miguel Angel Lopez, com Uran também a não conseguir aguentar o ritmo e a perder um pouco de tempo. Roglic imprimiu o seu ritmo até final, um ritmo que permitia a Pogacar acompanhar, mas no limite, e sempre a ir ganhando tempo para os restantes. Landa, Porte e Lopez ainda conseguiram limitar as perdas, mas para Uran, Yates, Bernal e Quintana foram já 40s de diferença. Pior foi mesmo para Bardet e Martin, que perderam mais de 2 minutos e meio!

Nelson Oliveira foi 57º a 21:40, e segue agora em 60º na geral, a 1:34:18 de Roglic, que alarga a sua vantagem, tendo agora 44s para Tadej Pogacar, que é o novo líder da juventude. Sam Bennett e Benoit Cosnefroy continuam na liderança dos pontos e da montanha, respetivamente.

No passarempo, vitória de etapa para Talhareses King. Daniel Meneses segue líder!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock