Marianne Vos adiciona a Amstel ao palmarés com uma fantástica vitória!

A holandesa Marianne Vos (Jumbo – Visma) venceu há momentos ao sprint a sétima edição da Amstel Gold Race para as senhoras, numa prova de 118.3km num circuito fechado na zona de Maastricht, batendo ao sprint as compatriotas Demi Vollering (Team SD Worx) e Annemiek van Vleuten (Movistar), terminando ambas com o mesmo tempo da vencedora.

A corrida começou de forma calma, com os primeiros ataques a surgirem após os primeiros 8km percorridos. Kathrin Hammes (Ceratizit – WNT Pro Cycling) e Quinty Ton(GT Krush Tunap Pro Cycling) fizeram a primeira fuga do dia, que o pelotão deixou ganhar 1:10 de vantagem. Após isso, tivemos logo um ataque de algumas das principais gregárias, com Niamh Fisher-Black (Team SD Worx), Mikayla Harvey (Canyon // SRAM Racing) e Elise Chabbey (Ale BTC Ljubljana) a ganharem vantagem ao pelotão e pouco depois a chegarem à frente com um grupo maior atrás delas, formando uma frente de corrida com 23 ciclistas.

O grupo de 23 ganhou uma vantagem de quase 2min sobre o pelotão e a 80km do final Demi Vollering lançou um primeiro belo ataque, aproveitando que algumas das principais candidatas estavam mal colocadas no topo do Cauberg. A vantagem para a frente rapidamente reduziu, e a 74km do final foi Anna van der Breggen (Team SD Worx) a desferir um novo ataque com Grace Brown (Team BikeExchange) na sua roda, mas o pelotão conseguiu acompanhar.

A 67km do final, a fuga foi alcançada pelo pelotão, ao início da quarta volta da corrida, mas a corrida estava já partida com um segundo pelotão, sem a presença de favoritas, a rodar já a 1:30 do primeiro. Os ataques continuaram a acontecer e a Trek – Segafredo mostrou-se sempre muito ativa neste campo com Ruth Winder e Tayler Wiles alternadas a lançarem ataques fortes que não serviam para mais do que espevitar o pelotão ainda mais.

Alena Amialiusk (Canyon // Sram Racing) lançou um novo ataque a 42km da chegada, mas a SD Worx estava atenta e Niamh Fisher – Black fechou rapidamente o espaço ganhou pela bielorussa. 40km para o final e o primeiro pelotão liderava a corrida, pelo que o espetáculo das favoritas prometia começar em breve. E assim foi! A 34km da chegada e em nova passagem pelo Cauberg, foi Annemiek van Vleuten (Movistar) a lançar-se ao ataque com Katarzyna Niewiadoma (Canyon // SRAM Racing) e Elisa Longo Borghini (Trek – Segafredo) a seguirem na sua roda, e dois grupos de favoritas a encostarem pouco depois.

Com os grupos juntos foi Lucinda Brand (Trek – Segafredo) a ganhar uma pequena vantagem, e Grace Brown rapidamente fez a ponte com Ashleigh Moolman-Pasio (Team SD Worx). O trio foi apanhado a 29km da chegada e pouco depois foi a Campeã Espanhola Mavi Garcia (Ale BTC Ljubljana) a atacar, mas o pelotão não lhe deu espaço e a tentativa não deu em nada. Com as principais favoritas todas na frente, a grande ausência era a de Anna van der Breggen, que não tinha conseguido seguir a movimentação. Má colocação ou falta de pernas, não sabemos, pode até ter sido o impacto do vírus que apanhou recentemente a tirar-lhe alguma da sua capacidade.

A 23km do fim. Grace Brown voltou a atacar, desta vez com Pauliena Rooijakkers (Liv Racing) a responder na sua roda. O duo acabou por ganhar vantagem para o pelotão que foi perseguindo a distância. A entrada para a última volta deu-se com o duo a ter 30s de vantagem pelo que a corrida estava ainda em aberto e as favoritas não iriam querer deixar passar ao lado a possibilidade de vencer!

Já dentro da última volta da corrida, Grace Brown distanciou-se de Rooijakkers numa descida em que a holandesa foi mais cautelosa, e parecia poder fazer uma das suas com um ataque desde longe. Rooijakkers rapidamente ganhou a companhia de Erica Magnaldi (Ceratizit – WNT Pro Cycling) que havia saído do grupo de favoritas atrás de si pouco antes. A 14km da chegada, na última passagem pelo Bemelberg foi Cecilie Uttrup Ludwig (FDJ Nouvelle – Aquitaine Futuroscope) a atacar, com Marianne Vos (Jumbo – Visma) a seguir na sua roda numa primeira fase, e as restantes favoritas pouco depois, reagrupando assim as favoritas atrás de Brown que liderava a corrida com cerca de 25s de vantagem.

Esta vantagem de Brown acabou por cair depois progressivamente, com a Trek – Segafredo e a SD Worx a colaborarem muito bem na frente, com Lucinda Brand e Ruth Winder, e Anna Shackley e Niamh Fisher-Black a fazerem um excelente trabalho de perseguição e a reduzir a vantagem de Grace Brown a quase nada. A australiana foi alcançada na entrada para o Cauberg, e mal a estrada começou a inclinar, Annemiek van Vleuten lançou um fortíssimo ataque, ao qual Kasia Niewiadoma respondeu muito bem com Marianne Vos na sua roda. Elisa Longo Borghini veio mais detrás, mas também conseguiu chegar à frente. Vleuten acabou por quebrar um pouco e permitir que Niewiadoma e Borghini se isolassem, e ganhassem uma grande vantagem a 1.5km do final.

A SD Worx ainda tinha Pasio para ajudar Vollering no grupo que perseguia, e a sul-africana acabou por pagar as despesas da corrida e conseguir levar um grupo de 10 ciclistas à frente, após Niewiadoma e Borghini se ficarem a marcar antes do sprint final. A vitória surgiu mesmo ao sprint num grupo reduzido e quando temos Marianne Vos no grupo, é difícil de lhe roubar a vitória. Foi o que aconteceu! A holandesa lançou um feroz sprint, acompanhado de perto por Vollering, e mesmo tendo levantado os braços um pouco cedo, deu para conquistar a vitória com uma roda de vantagem sobre a compatriota.

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock