Majka à procura da história, com a sua melhor vitória da carreira!

O polaco Rafal Majka (UAE Team Emirates) venceu a décima quinta etapa da La Vuelta a España, uma ligação de 197.5km entre Navalmoral de la Mata e El Barraco, após mais de 85km sozinho na fuga do dia, batendo o neerlandês Steven Kruijswijk (Jumbo – Visma) por 1:27 e o australiano Chris Hamilton (Team DSM) por 2:19.

A última etapa desta La Vuelta prometia espetáculo com longas subidas que poderiam decidir a corrida antes da difícil semana final. Os ataques começaram desde cedo, com os já vencedores de etapas, Romain Bardet, Michael Storer (Team DSM) e Magnus Cort (EF Education – Nippo) entre os que tentavam escapar ao pelotão. Um grupo de 25 ciclistas chegou a ganhar uma vantagem de 35s ao pelotão, mas os interesses à geral falaram mais alto, e o grupo acabou desfeito pouco depois.

Os ataques sucederam-se durante diversos kms, sem que nenhum grupo conseguisse ganhar vantagem ao pelotão e destacar-se em definitivo. Magnus Cort e Pavel Sivakov (Ineos Grenadiers) ainda tiveram sozinhos na frente durante algum tempo, com Matteo Trentin (UAE Team Emirates) a fazer depois a ponte para a dianteira, mas a 67km era já o pelotão que voltava a liderar a corrida.

Rapidamente começou a primeira subida do dia, para o Alto de la Centenera com o polaco Rafal Majka a atacar no pelotão. Fabio Aru (Team Qhubeka NextHash) e Maxim van Gils (Lotto Soudal) acompanharam-no e o trio destacou-se assim na dianteira, com um grupo de perseguidores a formar-se atrás de si. Steven Kruijswijk (Jumbo – Visma), Geoffrey Bouchard (AG2R Citroën Team), Andrea Bagioli (Deceuninck – Quick Step), Carlos Verona (Movistar), Chris Hamilton e Michael Storer (Team DSM), Steff Cras (Lotto Soudal), Lucas Hamilton (Team BikeExchange), Gianluca Brambilla (Trek – Segafredo) Rudy Molard (Groupama – FDJ) e Guy Niv (Israel Start-Up Nation) eram os homens que tentavam chegar à frente, mas isso nunca veio a acontecer.

Wout Poels (Bahrain Victorious), Diego Camargo (EF Education – Nippo), Simone Petilli (Intermarché – Wanty – Gobert Matériaux), Gorka Izagirre (Astana – Premier Tech), Mikel Nieve (Team BikeExchange), Thymen Arensman e Martijn Tusveld (Team DSM), Juan Pedro Lopez (Trek – Segafredo) e Joe Dombrowski (UAE Team Emirates) mexeram também no pelotão, e assim, os diversos grupos se foram juntando em perseguição, com o pelotão um pouco mais atrás. Entretanto, Majka e Aru deixavam van Gils e isolavam-se, com o grupo perseguidor a cruzar o alto da primeira subida já a 1:35 do duo que liderava.

O momento em que Rafal Majka descarregou Fabio Aru.

À entrada para os últimos 100km, o grupo intermédio com todos os que haviam atacado e seguiam no encalço de Majka e Aru seguia já a 2:00, enquanto a Intermarche comandava o pelotão, a 3:45. Foi já na segunda subida do dia, o Puerto de Pedro Bernardo, que Rafal Majka deixou Fabio Aru para trás, e seguiu em solitário, a 3.5km do topo e 87.5km da chegada. Majka não mais olhou para trás, e sem uma perseguição organizada foi mantendo a sua vantagem estável.

A 73km do fim, Aru estava já a 45s, o grupo perseguidor a 2:35, e o pelotão a mais de 6:00, com a Intermarche a controlar o ritmo. A pouco menos de 59km do fim, à entrada para a penúltima subida do dia, e a mais longa, Aru era alcançado pelo grupo perseguidor fragmentado, enquanto Majka começava a subir com 2:10 de atraso. A 56km do fim, Steven Kruijswijk acabou por se isolar dos seus companheiros de fuga e seguir no encalço de Majka. O neerlandês ainda conseguiu colocar o espaço em 1:30, mas não conseguiria mais do que isso até ao topo. Chris Hamilton colocava-se no encalço de Kruijswijk, mas foi-se mantendo sempre com 1min de atraso para o ciclista da Jumbo – Visma.

O polaco cruzava o topo do Puerto de Mijares com o Kruijswijk a 1:40, Hamilton ainda mais atrás, e o pelotão a 6:00. Jan Hirt (Intermarche – Wanty – Gobert Materiaux) era quem assumia as despesas para o líder da geral Odd Christian Eiking (Intermarche – Wanty – Gobert Materiaux), e que trabalho o checo fez durante o dia de hoje!

À entrada para a última subida do dia, a Intermarche aumentou o ritmo, mas Majka nunca esteve em xeque, O pelotão ia alcançado quase todos os ciclistas da fuga ao longo da subida, onde os ataques acabaram por acontecer, apesar de a pendente e distância não serem muito elevadas. David de la Cruz (UAE Team Emirates) foi o primeiro a tentar a sorte, com Louis Mentjes (Intermarche – Wanty – Gobert Materiaux) a segui-lo sem dificuldades.

O grupo acabou por se reduzir aos favoritos quando Adam Yates (Ineos Grenadiers) atacou, mas viu Enric Mas (Movistar) e Primoz Roglic (Jumbo – Visma) seguirem na sua roda, e depois os restantes favoritos logo atrás. Foi já num segundo momento que Yates acabou por abrir espaço, apesar de Gino Mader (Bahrain Victorious) ainda ter tentado acompanhar, mas sem sucesso. O britânico seguiu sozinho até final, com o pelotão logo atrás, enquanto Majka chegava sozinho para alcançar aquela que foi talvez a melhor vitória da sua carreira! Kruijswijk e Hamilton chegavam pouco depois, sozinhos, para completar o pódio, com Yates a ser quarto e a ganhar 15s aos adversários da classificação geral.

Entre os portugueses, Nelson Oliveira (Movistar) foi 69º, a 22:28, e Rui Oliveira (UAE Team Emirates) 100º, a 29:02.

Odd Christian Eiking foi sexto, e vai para o último dia de descanso na liderança da classificação geral, com Egan Bernal (Ineos Grenadiers) a permanecer na liderança da juventude. Fabio Jakobsen (Deceuninck – Quick Step) mantém a liderança da classificação por pontos e Romain Bardet da montanha.

Odd Eiking vai para o último dia de descanso com a Camisola Vermelha.

Classificações Completas

Classificações do Passatempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock