Magnus Cort arranca vitória com conta, peso e medida!

O dinamarquês Magnus Cort, da EF Education-Nippo, venceu de forma espetacular a etapa 6 da La Vuelta, ao ser o mais forte da fuga do dia! O pelotão esteve muito perto de o alcançar, mas o dinamarquês conseguiu prevalecer nos metros finais, vencendo a etapa com o primeiro do pelotão, Primoz Roglic, logo atrás de si!

A jornada 6 da Volta a Espanha trazia uma ligação de 158.3 km, entre Requena e o Alto de la Montaña de Cullera, num dia maioritariamente plano, embora com um final numa curta e dura subida com 2 km a 8.7%!

Com todo o pelotão ciente que este era um dia propício para a fuga, a tirada começou em ritmo frenético com inúmeras tentativas de ataque, no entanto, ao fim de 40 km de corrida, continuava a não haver fuga definida. Depois, houve finalmente fumo branco no pelotão, com a anuência do grupo principal a uma movimentação de cinco corredores: Jetse Bol (Burgos-BH), Magnus Cort (EF Education Nippo), Bert Jan Lindeman (Qhubeka NextHash), Joan Bou (Euskaltel-Euskadi), e Ryan Gibbons (UAE Team Emirates).

A 100 km do final, a vantagem dos fugitivos crescia para os 4:30, com a Trek-Segafredo a assumir o controlo do grupo principal. A formação norte-americana veria com bons olhos o sucesso da fuga, pelo que, sem mais nenhuma equipa a juntar-se à perseguição, os homens da dianteira viam o seu avanço a crescer para 6:30 com 87 km para a meta.

A grande maioria das equipas não estava disposta a trabalhar para uma chegada em pelotão à subida final, apenas para ver Primoz Roglic a levar a etapa e os 10 segundos de bonificação. No entanto, a 84 km da meta, houve mesmo alguém a chegar-se à frente, com a Team BikeExchange a assumir a perseguição e a tentar reduzir os 7 minutos que a fuga já levava de avanço. Tornava-se evidente que Michael “Bling” Matthews estava com ganas de atacar a vitória na etapa!

O trabalho da BikeExchange teve impacto imediato, alongando bastante o pelotão, com pequenos cortes a surgirem momentaneamente. No espaço de 13 km o pelotão retirava 2 minutos à fuga!

A 60 km do final, a fuga passou no sprint intermédio, com Jetse Bol a ser primeiro e os restantes elementos a recolherem os outros pontos em disputa. O pelotão rodava a 3:49 da frente, com a BikeExchange a manter o seu vigoroso trabalho na frente do grupo principal.

À entrada dos 50 km finais, diversas equipas chegaram-se à frente do pelotão, lutando por posição antes das estradas finais do percurso, marcadas por zonas técnicas e estreitamentos. Ainda assim, a fuga acabava por conseguir manter-se viva e, com 36 km para o final, rodava com 3 minutos de avanço sobre o grupo principal.

A 33 km do final, com o pelotão a entrar em zonas expostas ao vento, diversas equipas puseram o pé no acelerador, nomeadamente a Ineos, através de Pidcock, Bernal, e do campeão olímpico Carapaz, mas também a Jumbo-Visma e a Movistar, com Nelson Oliveira em destaque!

E os ataques resultaram mesmo, com o pelotão a fracionar-se em vários grupos ao longo da estrada! No primeiro corte ficava o camisola vermelha, Kenny Elissonde, com a Trek a ver-se obrigada a trabalhar para tentar fechar o espaço. Graças à contribuição de outras formações, como a Emirates e a EF-Nippo, pouco depois deu-se mesmo a junção entre os dois primeiros grupos, no entanto, o peso-pluma Elissonde ia sofrendo bastante para aguentar o elevado ritmo de corrida!

Lá na frente, a fuga estava a 30 km do final, com a sua vantagem a cair para 2:15. Com o reagrupar de grande parte do pelotão, o ritmo diminuiu ligeiramente, permitindo aos homens da frente manterem alguma da sua vantagem nos quilómetros seguintes. A 15 km da meta, a vantagem era de 1:37, com a Movistar a pisar no acelerador novamente! O aumentar do ritmo ia causando diversas vítimas no pelotão, ainda antes da subida final, entre eles Hugh Carthy, com a EF-Nippo a tentar recolocar o seu líder na dianteira!

O pelotão passava depois novamente na zona exposta ao vento que tinha causado estragos anteriormente, e o grupo voltava a alongar com a Deceuninck Quick-Step a juntar-se à Movistar na dianteira. A 10 km do fim, a fuga levava 1 minuto sobre o grupo principal, com o grupo de Carthy a perder mais 20 segundos. A Movistar continuava a dar tudo, com Nelson Oliveira a mostrar a sua força na frente do pelotão! Grande dia da Locomotiva de Anadia!

Com muito esforço, o grupo de Carthy conseguiu mesmo reentrar. Estávamos a 8 km do final e os fugitivos levavam ainda 1 minuto de vantagem na frente. A 3 km do fim, era a Ineos que tomava conta da dianteira do grupo, com Van Baarle a impor o ritmo. A fuga via a sua vantagem a cair para os 30 segundos e o seu destino parecia traçado.

Ainda assim, os fugitivos entraram na frente na subida final, a 2 km do final, com Bou a atacar e os restantes elementos a tentarem seguir. Logo de seguida, a Ineos entrava à morte, com Narvaez a dinamitar a corrida, levando Carapaz e Bernal na sua roda, com o grupo de favoritos a fracionar-se ao longo da subida! Nesse ponto, ficava para trás Elissonde, que assim dizia adeus à camisola vermelha!

Os dois últimos resistentes da fuga, Cort e Lindeman ainda conseguiram entrar na frente no km final, com os favoritos logo atrás, sendo liderados pelo Superman Miguel Ángel López, e também Aleksandr Vlasov e Michael Matthews. Depois, Cort isolou-se, entrando na frente nos 500 m finais, com Matthews a atacar um pouco atrás! Era um final emocionante para esta dura jornada!

Depois, nos 300 m finais, atacou Roglic, num último esforço para alcançar Cort! O dinamarquês entrou na frente na curva final, conseguindo aguentar o suficiente para garantir o triunfo, com Rogla a fechar logo atrás de si, seguido por Bagioli, Vlasov, Mas, Matthews, Bernal, Valverde, López, todos a menos de 10 segundos da frente. Entre os principais derrotados, note-se que Adam Yates cedeu 25 segundos, Mikel Landa 27, enquanto Hugh Carthy acabou por perder 2:50!

Na classificação geral, o líder é agora Primoz Roglic, sendo seguido por uma tripla da Movistar, com Enric Mas a 25 segundos, Miguel Ángel López a 36, e Alejandro Valverde a 41. Seguem-se Egan Bernal, Aleksandr Vlasov, e Giulio Ciccone, todos ainda dentro da margem de 1 minuto para a vermelha.

Quanto aos portugueses, Nelson Oliveira fechou no 90º posto, a 6:25, enquanto Rui Oliveira foi 134º, a 9:35. Na CG, o ciclista da Movistar é 97º, a 20:53, enquanto o homem da Emirates é 109º, a 22:21.

Amanhã disputa-se a etapa 7, com 152 km entre Gandía e Balcón de Alicante, numa jornada bem dura, com seis contagens de montanha, duas delas de primeira categoria, incluindo a subida final para a meta!

Classificações Completas

Classificações do Passatempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock