Lugar ao sol para Fuglsang!

O dinamarquês Jakob Fuglsang, da Astana Pro Team, venceu a primeira etapa da 66ª edição da Vuelta a Andalucia Ruta Ciclista Del Sol, batendo o espanhol Mikel Landa por 6 segundos e o belga Dylan Teuns por 25, ambos da Bahrain-McLaren. Fuglsang é assim o primeiro líder, ganhando vantagem logo a abrir a prova, rumo à tentativa de revalidar o título obtido no ano passado.

A primeira tirada da prova por etapas disputada na região da Andaluzia correu-se entre Alhaurin de la Torre e Grazalema, numa distância de 173 km. O perfil apresentava cinco contagens de montanha, uma de quarta categoria e três de terceira, colocadas antes de uma contagem de primeira categoria, o Puerto de las Palomas (10 km a 6,8%), cujo topo estava posicionado a 7 km da meta. Os últimos km, em descida, eram propícios a premiar aqueles que conseguissem ganhar vantagem na subida. No último km, os corredores tinham ainda uma última dificuldade, na forma de uma subida de 600 metros em empedrado.

A fuga do dia integrou 11 ciclistas: Kobe Goosens (Lotto-Soudal), Alexis Gougeard (AG2R La Mondiale), Maurits Lammertink (Circus-Wanty Gobert), Carmelo Urbano Fontiveros e Joel Nicolau Beltran (Caja Rural), Txomin Juaristi Arrieta e Ibai Azurmendi Sagastibeltza (Fundacion-Orbea), Willem Jakobus Smit e Juan Felipe Osório Arboleda (Burgos-BH), Ivan Moreno Sanchez e Jon Agirre Egaya (Equipo Kern Pharma).

O pelotão nunca deixou a fuga ganhar muita vantagem, ciente do perigo que um grupo numeroso colocava para que os principais nomes pudessem discutir a vitória. Assim, dentro dos 50 km finais, os ataques começaram a surgir entre os fugitivos. À entrada da última subida, contudo, a fuga foi mesmo alcançada.

A meio da ascensão, atacou Landa e Fuglsang foi atrás. A dupla passou na frente na contagem de primeira categoria e depois ganhou vantagem na descida, abrindo um fosso de 30 segundos para os perseguidores que restavam no grupo principal. No km final, já no piso empedrado, Fuglsang acelerou, deixando Landa para trás, e garantindo a primeira vitória do ano e uma vantagem inicial de 6 segundos na luta pela revalidação do título na Andaluzia.

Em terceiro fechou outro homem da Bahrain-McLaren, Dylan Teuns, a 25 segundos da frente. Jack Haig (Mitchelton-Scott) foi 4º a 27 segundos. As equipas-estado, Astana e Bahrain, exerceram forte domínio nesta jornada, colocando a primeira dois e a segunda três elementos no top 7 da etapa. Alguns nomes de relevo perderam já algum tempo importante para poderem lutar com Fuglsang e Landa pela Volta à Andaluzia: David de la Cruz (UAE-Team Emirates) perdeu 1 minuto, Marc Soler (Movistar) 1:21, e Enric Mas (Movistar) 3:58.

O único português em prova, Nelson Oliveira (Movistar), terminou na 64ª posição, a 14:12 do vencedor.

Amanhã disputa-se a segunda etapa, entre Sevilha e Iznajar, perto de Córdoba, numa distância de 198 km, e no menu constam três contagens de terceira categoria, a última das quais colocada a 11 km do final. Prevê-se uma chegada ao sprint mas tal acontecerá certamente num grupo reduzido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock