Laas bisa na Volta à Eslováquia!

O estónio Martin Laas, da BORA-hansgrohe, repetiu o feito da etapa 1a e venceu o sprint da etapa 3 da 64ª edição da Volta à Eslováquia. Laas deixou na segunda posição o belga Sean de Bie, da Bingoal-Wallonie Bruxelles, enquanto o holandês David Van der Poel, da Alpecin-Fenix, ficou no terceiro lugar.

A terceira etapa da Volta à Eslováquia consistiu numa jornada de 181.3 km entre Banská Bystrica e Ziar nad Hronom. No menu constavam três contagens de montanha, duas delas de primeira categoria, no entanto, a última das quais estava colocada a 50 km da meta, o que fazia antever a possibilidade de um grupo numeroso de ciclistas voltar a discutir a etapa e de podermos assistir ao terceiro round da luta entre germânicos. Jannik Steimle (Deceuninck-Quick Step) venceu a etapa 1b e Nico Denz (Team Sunweb) triunfou na etapa 2, estando os dois empatados no topo da classificação geral.

O início da etapa foi, novamente, recheado de tentativas de ataque sem sucesso imediato. O ritmo do pelotão era elevado, o que começou a causar cortes no pelotão. Nessa altura, o camisola amarela teve um furo e, quando retomou a corrida, já se encontrava num dos grupos que tentavam recolar na frente da corrida. Com Steimle atrasado, as equipas que seguiam no grupo da frente aumentaram o ritmo, conseguindo uma diferença de dois minutos entre os pelotões. Na frente puxavam Sunweb, BORA, e Israel Start-Up Nation, com a Deceuninck a assumir as despesas da perseguição no segundo grupo.

Com 65 km de etapa percorridos, a situação era ainda algo caótica. Um grupo de 18 ciclistas tinha, entretanto, conseguido isolar-se, com o primeiro pelotão a cerca de 45 segundos e o segundo pelotão comandado pela Deceuninck a 2:25.

Sensivelmente a meio da etapa, com 90 km para a meta, a Deceuninck conseguiu a junção com o primeiro pelotão, mantendo-se ainda a fuga numerosa na frente. Os escapados chegaram a alcançar cerca de cinco minutos de avanço para o pelotão, que depois começou paulatinamente a reduzir essa desvantagem com vista ao sprint em Ziar nad Hronom.

Nos 20 km finais, com o pelotão a puxar para eliminar a fuga, acabou por se dar um corte no grupo principal, embora sem nenhuma das principais figuras da prova a ficar para trás.

A fuga foi depois anulada e o pelotão, onde seguiam pouco mais de 50 unidades, começou a preparar o sprint final. Aí, acabou por ser mais forte o homem que já tinha vencido o sprint da etapa 1a, Martin Laas, da BORA. Na segunda posição ficou Sean de Bie, que tinha sido terceiro na etapa 1a, e no terceiro posto terminou o irmão de Mathieu Van der Poel, David Van der Poel. O líder Jannik Steimle terminou na quinta posição, enquanto o segundo classificado com o mesmo tempo, Nico Denz, foi apenas 15º.

Em termos de classificação geral, mantém-se tudo na mesma, com Steimle na primeira posição, Denz em segundo com o mesmo tempo, e Shane Archbold (Deceuninck-Quick Step), no terceiro lugar a 14 segundos da amarela.

Amanhã disputa-se a quarta e última etapa da Volta à Eslováquia, com uma ligação de 171.7 km entre Topol’cianky e Skalica. O perfil da jornada é de média montanha, com três contagens de terceira categoria colocadas na primeira metade da etapa. A parte final da etapa é predominantemente plana, o que pode significar que a Volta à Eslováquia seja decidida no sprint final. Neste momento, Steimle tem vantagem, mas Denz pode tentar a vitória na prova com as bonificações à chegada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

António Morgado vence Gipuzkoa Klasika!

O corredor português António Morgado (Bairrada) venceu no passado domingo a clássica de Gipuzkoa em bicicleta, prova UCI do escalão de juniores, em Urretxu, com outros dois companheiros de equipa também integrados no top 10. António, com 17 anos, vence a 26ª edição da prova, depois Carlos Rodriguez (agora Ineos) e Juan Ayuso (agora UAE), […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock