Kristoff surpreende e é o primeiro líder do Tour!

O noruguês Alexander Kristoff (UAE Team Emirates) venceu a primeira etapa do Tour de France, uma ligação de 156km com partida e chegada na cidade de Nice. Kristoff bateu ao sprint Mads Pedersen (Trek – Segafredo) e Cees Bol (Team Sunweb), após uma etapa muito dura devido a chuva e quedas, que acabaram por esvaziar os tanques da concorrência.

Começou finalmente o 107º Le Tour de France, a maior prova de ciclismo do Mundo, num ano marcado pelo covid-19 que condicionou e atrasou todo um calendário! A etapa começou com o pelotão a um ritmo tranquilo, com a fuga do dia a surgir logo que a bandeira foi lançada, e 3 homens a saltarem para a frente da corrida, Michael Schar (CCC Team), Cyrl Gautier (B&B Hotels – Vital Concept) e Fabien Grellier (Total Direct Energie).

O pelotão controlou a fuga com as equipas da QuickStep, Lotto e Jumbo no comando, e a vantagem a fixar-se pelos 2:30. As quedas começaram a acontecer pelo km38, e Sam Bennett (Deceuninck – QuickStep) foi dos primeiros a sentir o chão. Ao km50 nova queda, com Pavel Sivakov (Ineos Grenadiers), Pierre Latour e Benoit Cosnefroy (AG2R La Mondiale), Omar Fraile (Astana Pro Team) e Christophe Laporte (Cofidis) envolvidos. O russo da Ineos ficou mal tratado, com o braço direito a sangrar, e esteve bastante tempo para trás, apenas reentrando quando o ritmo acalmou. Na frente, Grellier passava na frente a primeira contagem do dia, com Gautier em segundo.

A chuva apareceu pouco depois e a Jumbo – Visma apareceu na frente do pelotão para colocar os seus líderes na frente, numa corrida que cada vez ficava mais perigosa. Os problemas surgiram depois para Julian Alaphilippe (Deceuninck – QuickStep) e para Andrey Amador (Ineos Grenadiers) que também ficaram para trás com problemas mecânicos.

Sivakov, Alaphilippe e Amador reentraram com 80km para o final, mas hoje não era o dia de sorte do russo que pouco depois voltou a cair. Na luta pelo segundo sprint intermédio do dia nova queda com David De La Cruz (UAE Team Emirates), Luis Leon Sanchez (Astana), Mikel Nieve (Mitchelton – Scott) e Andrey Amador (Ineos Grenadiers) a irem ao chão. Na frente do pelotão, Peter Sagan era o primeiro a cruzar a linha de chegada pela segunda vez, naquele que era o sprint intermédio do dia, e com isso conseguia pontos importantes para a camisola verde.

Com 65km para o final, Sivakov rolava já muito atrasado, a 4min do pelotão, e Caleb Ewan (Lotto – Soudal) era o novo afetado por uma queda. Na fuga, Grellier ficava para trás e Schar passava na frente da última contagem de montanha do dia, com Gautier a passar na segunda posição, empatando assim a contenda pela camisola das bolinhas.

Ewan ficou bastante para trás, a mais de 6 minutos, e devido às condições Tony Martin e os restantes homens que seguiam na frente do pelotão concordaram em abrandar o ritmo logo após alcançarem a fuga com 53km para o final. Os corredores atrasados foram reentrando, com Giacomo Nizzolo (NTT Pro Cycling) a ser dos primeiros, após ter caído momentos antes.

A Astana decidiu contrariar as ordens do pelotão e acelerar numa descida perigosa com a estrada molhada. Resultado, Miguel Angel Lopez contra um poste e uns arbustos. Felizmente tudo ok com o colombiano e a Astana a levar uma reprimenda geral.

O pelotão voltou a ficar compacto com 35km para o final, mas mesmo assim as quedas não pararam. George Bennett (Jumbo – Visma) foi ao chão e ficou a queixar-se de um dos ombros, tendo também necessidade de trocar de bicicleta.

Tudo junto de novo com 25km para o fim e o pelotão entrou à ofensiva. Benoit Cosnefroy (AG2R La Mondiale) atacou com 22km para o final, mas sem grande sucesso, já que foi alcançado com 13km para o final, numa altura em que já se sabia que o tempos seriam neutralizados com 3km para o fim.

Mesmo após se entrar nos últimos 3km, nova queda, com Thibaut Pinot (Groupama – FDJ) a ir ao chão, entre muitos outros ciclistas. A discussão do sprint final foi feita sem comboios, apenas com 1 ou outro lançador para cada equipa. Michael Morkov abriu para Sam Bennett, mas o irlandês não teve hipótese perante Kristoff que saiu pelo outro lado e venceu, surpreendendo todos os analistas e espectadores, que esperavam que fossem os sprinters em melhor forma a levar a vitória.

Nelson Oliveira (Movistar) é o único português em prova e terminou em 78º com o mesmo tempo do vencedor.

A nota negativa para já é para John Degenkolb (Lotto – Soudal), que não conseguiu terminar a etapa dentro do controlo.

Kristoff é o primeiro líder da classificação geral e dos pontos, enquanto Mads Pedersen, que foi terceiro, é o líder da juventude. Na montanha, o primeiro líder é Fabien Grellier.

No nosso passatempo, vitória para Diogo Alex Martins, Rafael Gonçalves, João Albuquerque e Miguel Fonseca. As classificações estão disponíveis no final do artigo.

Classificações do Passatempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock