Jakobsen triunfa no dia 2 de Volta à Hungria! Queda feia no sprint final!

O neerlandês Fabio Jakobsen, da Quick-Step Alpha Vinyl, venceu a etapa 2 do Tour de Hongrie, impondo-se à concorrência no sprint final! No segundo posto, terminou o francês Rudy Barbier, da Israel-Premier Tech, enquanto o terceiro lugar ficou para o belga Sasha Weemaes, da Sport Vlaanderen-Baloise. A jornada fica marcada por uma queda feia na reta final, com vários ciclistas envolvidos.

O segundo dia de Volta à Hungria trazia uma ligação de 192 km, entre Karcag e Hajdúszoboszló, num percurso totalmente plano, bem ao gosto dos velocistas do pelotão.

Pefil da etapa 2 da Volta à Hungria

No início da corrida, formou-se a fuga do dia, com o ataque de sete corredores, entre eles o português Iúri Leitão, da Caja Rural-Seguros RGA. Junto do ciclista luso, pedalavam Edoardo Zambanini (Bahrain Victorious), David Per (Adria Mobil), Filippo Baroncini (Trek-Segafredo), Peter Kusztor (Team Novo Nordisk), Samuele Battistella (Astana Qazaqstan Team), Nicolas Dalla Valle (Giotti Victoria Savini Due) e ainda Jens Reynders (Sport Vlaanderen-Baloise), que já tinha integrado a fuga no primeiro dia, conseguindo, graças aos segundos de bonificação, colocar-se no segundo lugar da geral.

O plano de Reynders resultou na perfeição, uma vez que ao longo do dia, conseguiu somar 6 segundos de bonificação que lhe dariam a liderança da corrida no final do dia.

A margem dos fugitivos nunca foi muito expressiva, com o pelotão a controlar as operações rumo a um sprint em massa, através de formações como a Jumbo-Visma, a Quick-Step, e a INEOS Grenadiers.

Apesar do perfil plano da jornada, não foi um dia fácil. A 60 km do final, a tensão começou a aumentar devido à existência de ventos laterais. A certo ponto, o grupo principal quebrou mesmo, com o líder da corrida, Olav Kooij, a ficar no primeiro grupo, e alguns nomes importantes, como Dylan Groenewegen, a ficarem no segundo mini-pelotão. Com a fuga a ser alcançada pelo primeiro grupo, ficava depois para trás também Jens Reynders, vítima de um furo, e que se arriscava a não conseguir capitalizar os segundos ganhos durante a jornada. De qualquer forma, Kooij tinha oportunidade de ir buscar segundos no final, e garantir que a amarela permanecia no seu corpo.

A 20 km do final, os dois grandes grupos rodavam separados por 1 minuto, e a situação parecia complicada para os corredores mais atrasados. No entanto, nos quilómetros seguintes, a margem encurtou-se e o segundo grupo conseguiu mesmo alcançar a dianteira, a 5 km do final.

No quilómetro final, com o pelotão numa luta frenética pelo melhor posicionamento, dá-se uma queda por volta do 20º lugar para trás, com diversos corredores a caírem de forma muito feia!

Aqueles que não caíram, seguiram para o sprint final, com a Quick-Step em boa posição na frente do grupo. O Wolfpack fez o “lead-out” perfeito para Fabio Jakobsen, que não deu chances aos rivais e impôs-se mesmo sobre a meta! Os que mais perto estiveram de ameaçar o triunfo do possante neerlandês foram Rudy Barbier e Sasha Weemaes.

Olav Kooij acabou por ficar envolvido na queda e não poder disputar os segundos de bonificação, o que significa que Reynders é agora o novo líder da corrida húngara, com 4 segundos de vantagem sobre Jakobsen e Kooij.

Iúri Leitão terminou a jornada no 47º posto, com o mesmo tempo do vencedor.

Amanhã disputa-se a etapa 3, com 154 km, entre Sárospatak e Nyíregyháza, em nova jornada propícia para uma chegada ao sprint.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock