Hayter vence na Foia mas o destaque é para João Rodrigues!

O britânico Ethan Hayter (Ineos Grenadiers) triunfou na segunda etapa da Volta ao Algarve, numa etapa bastante animada que terminou no Alto da Foia após 182.8km com partida em Sagres, batendo num sprint em subida o português João Rodrigues (W52 – FC Porto) e o espanhol Jonathan Lastra (Caja Rural – Seguros RGA), ambos com o mesmo tempo do vencedor.

O dia começou com a fuga do dia a formar-se rapidamente sendo composta por oito homens: Samuel Caldeira (W52 – FC Porto), Fábio Costa (Efapel), Marvin Scheulen (LA Alumínios), Damien Touzé (AG2R Citroen Team), Joseph Laverick (Hagens Berman – Axeon), Kenny Molly (Bingoal Pauwels Sauces WB), Clement Carisey (Delko) e Xabier Azparren (Euskaltel – Euskadi). O grupo ganhou rapidamente quase 8min de vantagem que foram controlados pela UAE Emirates, com Caldeira a vencer o primeiro sprint intermédio ao km 41.6.

A primeira contagem de montanha foi ganhar por Molly, e a etapa acabou por acalmar um pouco com o pelotão a manter a distância acima dos cinco minutos. Scheulen venceria o segundo sprint intermédio, ao km 113.2, com Azparren a descolar da frente logo de seguida. A animação estava reservada para os últimos 35km, mas mal começou a subir foi o próprio Scheulen o primeiro a ceder e a deixar a frente da corrida.

A 30km da chegada foi a vez de Fábio Costa perder o contacto com a frente, numa fase em que o pelotão estava já alongado em demasia graças ao forte ritmo colocado pela UAE Team Emirates e pela Ineos Grenadiers. 1.5km depois era Clement Clarisey a perder o contacto, e a frente já reduzida a metade da sua composição inicial. O britânico Laverick foi o seguinte a passar um mau momento, mas aguentou-se com o grupo perante o ritmo imposto por Caldeira até ao km final da subida onde definitivamente descolou. Molly voltou a ser o primeiro no alto, com Touzé e Caldeira logo atrás. No pelotão era Vegard Stake Laengen (UAE Team Emirates) quem comandava com a vantagem dos escapados a cair para baixo do minuto.

A descida porém, acabou por ter mais história ainda, com Rui Costa (UAE Team Emirates) a sofrer uma queda que o levou a abandonar a corrida, com uma mão em mau estado, equipamento rasgado e diversos arranhões. O pelotão acabou por partir ainda mais com a descida e com o vento a aparecer, e a W52 assumiu as despesas de corrida para alcançar a fuga a 18km da chegada.

Foi Kasper Asgreen (Deceuninck – Quick Step) quem assumiu as despesas da corrida na subida a Pomba, colocando um forte ritmo quem ninguém quis atacar ou desafiar. A subida foi feita a ritmo, mas não impediu a W52 – FC Porto de ganhar mais um elemento com a reentrada de José Neves, que havia ficado cortado. Lennard Kamna (Bora – Hansgrohe) acabou por sucumbir ao ritmo de Asgreen que liderou quase até ao topo, com Luís Fernandes (Rádio Popular – Boavista) a passar na frente da contagem de montanha.

A W52 – FC Porto assumiu a descida e as despesas da corrida com José Neves e Ricardo Mestre na frente, mas foi a equipa da Boavista a assumir as despesas do início da subida com Hugo Nunes e Luís Fernandes a tomarem a dianteira do já bastante reduzido pelotão. Joan Bou (Euskaltel – Euskadi) atacou a 7km da chegada, mas apenas teve o condão de agitar o pelotão com a Arkea a assumir a dianteira e a alcançar o espanhol a 5.5km da chegada.

A 4.5km da chegada começaram os primeiros jogos no grupo, sem nenhuma equipa a querer assumir as despesas. A W52 e a Arkea passaram na frente em diferentes momentos, mas foi Asgreen que teve o condão de lançar um primeiro ataque a 4km da chegada, e Elie Gesbert a embalar logo de seguida para partir por completo a corrida e isolar-se na frente. Poucos ciclistas conseguiram fazer a ponte, mas foram João Rodrigues (W52 – FC Porto) e a dupla da Ineos Grenadiers composta por Ivan Sosa e Sebastien Henao a chegarem ao francês. Ethan Hayter (Ineos Grenadiers) e Jonathan Lastra (Caja Rural – Seguros RGA) chegariam à frente pouco depois, com Amaro Antunes (W52 – FC Porto) a não conseguir acompanhar e a ficar intermédio, enquanto os restantes candidatos esperavam por Asgreen para colocar ritmo.

A Ineos jogou com as suas cartas, com Henao a passar primeiro pela frente durante bastante tempo, e depois Ivan Sosa a assumir o grupo no último km para Ethan Hayter. Gesbert e Rodrigues agarravam-se à roda do colombiano com tudo o que tinham para tentar disputar a etapa, mas o britânico parecia muito fácil. Efetivamente estava fácil e a 200m assumiu a dianteira do grupo para vencer ao sprint, apesar de todos os esforços de João Rodrigues para o bater. Ficou a vitória à porta para o ciclista da W52.

A chegada à Foia

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock