Groenewegen bate todos na abertura da Volta à Dinamarca!

Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma) ganhou a etapa de abertura da Volta à Dinamarca, batendo Mark Cavendish (Deceuninck-QuickStep) e Giacomo Nizzolo (Qhubeka-NextHash) em Esbjerg.

O holandês, que regressou de uma suspensão de nove meses em maio deste ano, alcançou a sua terceira vitória da época depois de ter vencido por duas vezes no Tour de Wallonie. A Jumbo-Visma assumiu o controlo na última das três voltas de um circuito de 3,5 km, com Mike Teunissen a conduzi-lo da melhor forma.

Groenewegen abriu o sprint, mas Cavendish, que se tinha posicionado na roda do seu rival após perder o líder Michael Morkov para um furo tardio, nunca foi capaz de sair do lado de Groenewegen, nem Nizzolo foi capaz de ultrapassar Cavendish, dando a vitória a Groenewegen e liderança ao primeiro líder da corrida.

A etapa de abertura de 175,3 km foi quase plana, com os dois pontos de classificação das montanhas pouco severos na costa ocidental da Dinamarca. O vento, porém, não foi suficientemente forte para dividir a corrida, e acabou por ser uma etapa de sprint em linha recta. Uma fuga de cinco homens saiu com Rasmus Wallin (equipa nacional Demark), Norbert Banaszek (HRE Mazowske Serce Polski), Frederik Jensen (BHS-PL Beton Bornholm) e o duo Sport Vlaanderen-Baloise de Ruben Apers e Aaron Van Poucke. Construíram uma vantagem de três minutos mas nunca lhes foi permitida muita corda, pois o Jumbo-Visma, Deceuninck-QuickStep, e Qhubeka-NextHash controlavam o pelotão. Banaszek conquistou tanto os sprints intermédios como o primeiro prémio das montanhas, com Jensen a conquistar o segundo, enquanto Wallin atacou sozinho a 25 kms do fim para ficar com o prémio da combatividade. O pelotão estava apenas com 20 segundos de atraso. Wallin continuou na frente até 15 km, mas foi apanhado quando a Jumbo e a QuickStep subiram o ritmo com o circuito de chegada à vista. Os companheiros de equipa de Cavendish, com falta de Morkov, tomaram as rédeas para a primeira volta e meia do circuito de 3,5 km. Após um par de quedas mais abaixo, o Jumbo-Visma assumiu o controlo antes da última volta e produziu o que foi uma vantagem sem falhas a partir desse ponto, com Edoardo Affini e Timo Roosen a levá-los para os 500m finais antes de Teunissen fornecer a Groenewegen a plataforma perfeita. O holandês não se enganou a partir daí, perdendo pouco da distância que abriu com o seu rebentamento inicial, e celebrando através da linha de chegada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock