Golpe de teatro na Catalunha! Carapaz vence etapa e Higuita é o novo líder!

O Campeão Olímpico Richard Carapaz (INEOS Grenadiers) venceu a sexta etapa da Volta a Catalunya, uma ligação de 167.6km entre Salou e Cambrils, batendo ao sprint o Campeão Colombiano Sergio Higuita (Bora – Hansgrohe), após mais de 120km de escapada a dois! O pelotão chegou 48s, com o australiano Kaden Groves (BikeExchange – Jayco) a vencer o sprint pela terceira posição.

Numa etapa que até se previa calma em véspera de chegada a Barcelona, o pelotão trouxe uma jornada bastante animada que de calma nada teve. A primeira tentativa de fuga foi composta por Steven Kruijswijk (Jumbo – Visma), Simone Petilli (Intermarche – Wanty – Gobert) e Casper Pedersen (Team DSM), ao km 5. O trio nunca teve mais do que 25s de vantagem e acabou por ser alcançado 12km depois. Rohan Dennis (Jumbo – Visma) tentou a sorte pouco depois, mas também não teve sucesso.

Rapidamente se chegou à primeira subida do dia, o Coll de les Llebres Mussara, com 136km para o fim, e a corrida começou a decidir-se com a Ineos a assumir o controlo do pelotão e a partir completamente a corrida. O pelotão fracionou-se e João Almeida (UAE Team Emirates) foi apanhado em contrapé e ficou atrasado. Os ataques sucederam-se e com 130km Higuita e Carapaz isolaram-se, apenas com a companhia do Campeão Australiano Luke Plapp (INEOS Grenadiers), que puxava pelo duo.

Com o pelotão fracionado, a UAE teve de esperar por Almeida, com Marc Soler a entrar ao serviço do português em perseguição a um grupo intermédio com vários líderes, entre os quais a maior ameaça à geral, Nairo Quintana (Arkea – Samsic). O trio na frente ganhava tempo a toda a gente e cruzava o alto com quase 50s de vantagem sobre o grupo do colombiano e 1:05 sobre o grupo do português. Plapp durou apenas mais 5km, e com 120km para o fim abria para o lado, deixando o duo com 1:20 sobre o grupo perseguidor, que já havia fundido os dois grupos intermédios de Quintana e Almeida.

João Almeida teve de trabalhar para recuperar do erro de posicionamento.

O espanhol Marc Soler realizou um grande trabalho e foi mantendo a vantagem mais ou menos estável, apesar de ser um contra dois já na segunda subida do dia, o Coll de Capafonts. Entrados na fase mais plana, o mini-pelotão procurava defender-se, e com os dois líderes a garantirem as primeiras posições do sprint intetmédio, era Juan Ayuso (UAE Team Emirates) a garantir o último segundo de bonificação.

Ainda com muito por percorrer, Soler acabou por abrandar naturalmente o ritmo, e esperar que um novo grupo atrasado reentrasse. A junção para a formação do novo “pelotão” deu-se com pouco mais de 50km para o fim, e foi Rui Costa quem rapidamente surgiu ao serviço. O Campeão do Mundo de 2013 não se fez rogado e substituiu Soler, que rapidamente abria para o lado depois de um grande trabalho! A vantagem, que já ia nos 3:30, foi caindo até aos 3:00 apenas com o português a puxar.

Com 40km para o fim, a Uno-X Pro Cycling Team juntou-se ao português e rapidamente conseguiram retirar 1min ao duo adiantado, mas depois disso a equipa norueguesa escondeu-se e não trabalhou mais. Foi depois Herrmann Pernsteiner (Bahrain Victorious) a ajudar Rui Costa, na última subida do dia, o Coll de la Teixeta, mas só quando Ayuso chegou à frente e Costa descaiu é que a diferença voltou a descer. Ayuso fez a última parte da subida com Almeida, e reduziu a diferença para 1:45 no topo da contagem, com pouco menos de 28km por percorrer.

Foi já em descida que tudo se definiu da forma mais errada. Ayuso acelerou a descer, arriscou tudo o que podia, inclusive com a possibilidade de cair, e não olhou para Almeida, que na sua roda procurava ser mais cauteloso. O português acabou depois por ser ultrapassado, com Ayuso em posição intermédia, e formou-se um grupo atrás do espanhol com três elementos da Bahrain e, uma vez mais, Nairo Quintana. Ayuso foi pedindo informações à mota de corrida no final da descida e acabou por esperar pelo grupo atrás de si, enquanto era uma vez mais Rui Costa a puxar o pelotão.

Rui Costa foi uma das grandes figuras da etapa.

A vantagem do duo para os dois grupos parecia não diminuir e estava mais que visto que iria ser entre eles que a etapa se ia jogar. Foi com a ajuda da BikeExchange – Jayco e da Israel – Premier Tech que Costa conseguiu alcançar o segundo grupo, mas a vantagem foi caindo principalmente nos últimos 5km, que sendo mais planos deixavam os dois trepadores em desvantagem. Os últimos kms ainda viram alguns ataques, mas foi em pelotão que o grupo perseguidor chegaria à meta, já depois de Carapaz bater Higuita ao sprint, nos últimos 100m, com Groves a garantir a terceira posiçaõ sem concorrência à sua altura.

Com o segundo lugar na etapa, Higuita é agora o novo líder da classiicação geral, da juventude e da montanha, enquanto Carapaz é o novo líder da classificação por pontos.

João Almeida foi 20º a 48s do vencedor, enquanto Rui Costa foi 56º, a 4:45. O líder da equipa dos Emirados é agora 3º na geral, a 52s de Higuita. Ivo Oliveira (UAE Team Emirates) foi 105º a 23:37.

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock