Glória para Kopecky, inglório para Vleuten!

A belga Lotte Kopecky (Lotto Soudal) venceu a sétima etapa do Giro Rosa, uma ligação de 112.5km entre Nola e Maddaloni, batendo ao sprint a britânica Lizzie Deignan (Trek – Segafredo) por dois segundos, e a polaca Katarzyna Niewiadoma (Canyon – SRAM), por três segundos.

A etapa começou com o ataque de Silvia Zanardi (BePink) e Ainara Elbusto (Casa Dorada Women Cycling), que rapidamente colocaram a vantagem nos 4:40. Pouco depois Alison Jackson (Team Sunweb), Maria Novolodskaya (Cogeas Mettler Look) e Aude Biannic (Movistar Team) contra-atacaram no pelotão, que também acelerou para não as deixar fugir muito, e se colocou a cerca de 2min.

O pelotão acabou por tirar pé, e o trio intermédio fazer a ponte para a frente, formando um quinteto que passou pela primeira passagem na linha de chegada com 2:10 para o pelotão. Na primeira passagem pela subida do circuito final, Novolodskaya atacou e deixou as colegas de fuga, que foram alcançadas na descida, resistindo até à entrada da segunda e última passagem pela subida do circuito.

Elisa Longo Borghini (Trek – Segafredo) atacou logo após se começar a subir, e acabou por partir o pelotão, tendo depois sido alcançada por Cecilie Uttrup Ludwig (FDJ Nouvelle Aquitaine Futuroscope), Anna van der Breggen (Boels Dolmans), Liane Lippert (Team Sunweb), Annemiek van Vleuten (Mitchelton – Scott), Kasia Niewiadoma, e Marianne Vos (CCC – Liv), e pouco depois por um grupo de cerca de 19 ciclistas, que acabou cruzar a subida na frente, com Ludwig a somar mais pontos para a sua classificação da montanha.

A corrida avançou para se decidir no sprint final, numa pequena rampa em Maddaloni, e Soraya Paladin liderava já o grupo para que Vos pudesse finalizar. Porém, entre os habituais toques para o sprint, deu-se uma queda, com Marianne Vos a sofrer um toque na roda da frente, e a ser a primeira a ir ao chão, levando consigo Vleuten e Spratt da Mitchelton, assim como Mavi Garcia (Alé BTC Ljubljana), Omer Shapira (Canyon – SRAM) e Erica Magnaldi (Ceratizit – WNT).

Kopecky abriu o sprint após a última curva, e aproveitando o piso e a rampa final abriu espaço, que foi mais que suficiente para vencer sobre Deignan e Niewiadoma. Todas as envolvidas na queda terminaram a etapa, mas Vleuten e Spratt ficaram lesionadas, com uma fratura no braço e um traumatismo craniano, respetivamente, que as obriga a abandonar a prova e a falhar os Mundiais de Ímola, já na próxima semana!

Vleuten manteve a camisola rosa, mas como não irá partir amanhã teremos nova líder da classificação geral. Marianne Vos, Utrrup Ludwig e Mikayla Harvey (Equipe Paule Ka), continuam na frente dos pontos, montanha, e juventude, respetivamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Nem um empurrão de Serrano tirou a primeira vitória profissional de Edward Planckaert!

Edward Planckaert (Alpecin-Fenix) ganhou a primeira etapa da Vuelta a Burgos, batendo Gonzalo Serrano (Movistar) sobre a linha de meta, mesmo depois de ter levado um empurrão do espanhol. Numa chegada coincidente com uma rampa em Burgos, uma aceleração de Romain Bardet (Team DSM) com quatro corredores foi sucificente para abrir uma brecha, e quintento […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock