Emoção, lágrimas, e muita potência! Mathieu van der Poel vence na Bretanha e é o novo líder do Tour de France!

O holandês Mathieu van der Poel (Alpecin – Fenix) conquistou a segunda etapa do Tour de France, uma ligação de 183.5km entre Perros-Guirec e o Mur de Bretagne, com uma exibição de luxo e é o novo camisola amarela da 108ª edição da La Grand Boucle! Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) foi segundo e Primoz Roglic (Jumbo – Visma) terceiro, ambos a seis segundos do vencedor da tirada de hoje.

A etapa 2 da Volta a França apresentava uma jornada muito semelhante à do primeiro dia, num dia de rompe-pernas e com final em subida. Desta feita seriam 183.5 km, corridos entre Perros-Guirec e Mûr-de-Bretagne Guerlédan, com um total de seis contagens de montanha categorizadas, quatro de 4ª categoria e duas de 3ª, ambas ao Muro da Bretanha, sendo que a última das quais seria coincidente com a chegada. A ascensão ao emblemático Muro da Bretanha consistia numa dificuldade de apenas 2 km, mas com uma pendente média de 6.8% e com zonas acima dos 10%.

Logo no início da tirada, começaram os ataques, com muitos ciclistas interessados em integrar a fuga do dia. No entanto, foram necessários ainda cerca de 20 km para ficar definida a movimentação que iria marcar a jornada. Na frente, seguiam isolados seis corredores: Anthony Perez (Cofidis), Edward Theuns (Trek-Segafredo), Simon Clarke (Qhubeka-Nexthash), Jonas Koch (Intermarché-Wanty Gobert), Jérémy Cabot (TotalEnergies), e ainda o líder da montanha, equipado a rigor com a sua camisola das bolinhas, Ide Schelling (Bora-Hansgrohe).

O pelotão estava satisfeito com a composição da fuga, fazendo-se o habitual “tampão”, a impedir que mais ciclistas saíssem do grupo principal. A 155 km do final, a vantagem dos fugitivos crescia para perto dos 3 minutos e meio. Na frente do grupo do pelotão, colocava-se, como é hábito, o Trator de Lovaina, Tim Declercq, da Deceuninck Quick-Step, seguido pela armada da Ineos Grenadiers.

A chuva começou a aparecer pouco depois, obrigando os ciclistas a pegarem nas capas e nos casacos, para se protegerem. A vantagem dos escapados chegou aos 4 minutos, mas rapidamente se reduziu com a chegada aos últimos 100km. Anthony Perez e Ide Schelling voltaram a lutar pelos pontos para a classificação da montanha, mas o holandês voltou a levar a melhor e segurou a vantagem virtual, antes da dupla passagem pelo Mur de Bretagne.

A fuga começou a atacar-se à entrada para os últimos 80km, e o grupo partiu-se várias vezes em frações distintas. Simon Clarke acabou por ainda ir ao chão, a 70km da meta, mas rapidamente continuou, sem graves consequências, deixando-se alcançar pelo pelotão. Pouco depois, Theuns e Cabot ganharam alguma vantagem, e acabaram por se isolar dos restantes colegas de escapada que progressivamente foram sendo alcançados pelo pelotão.

O ritmo também abrandou, já que o interesse não era o de apanhar a fuga muito cedo, e o duo prosseguiu tranquilamente controlado pelas equipas com mais intenções para a etapa de hoje, a uma distância inferior a dois minutos. Theuns atacou a 21km da chegada, sem que Cabot conseguisse responder, na luta pela vitória na combatividade do dia, mas a sua vantagem não durou muitos kms, e o belga foi alcançado pouco antes de se começar a decidir a jornada de hoje.

A 17km da chegada começou a primeira subida ao Mur de Bretagne, que culminava num sprint bonificado de 8, 5 e 2 segundos. Ainda nos primeiros 500m, Mathieu van der Poel atacou, em busca dos segundos de bonificação, e seguiu em gestão de esforço, de forma isolada, até à primeira passagem pelo risco de meta, que cruzou em primeiro, para bonificar os 8 segundos. A UAE Emirates liderava um pelotão cada vez mais reduzido, e foi o próprio Tadej Pogacar que sprintou nos últimos 150m, para bater Primoz Roglic, e assim conquistar 5 segundos de bonificação perante os 2 conquistados pelo ciclista da Jumbo – Visma.

O pelotão cruzou o topo já reduzido a cerca de metade, com a batalha pela colocação a ser bastante aguerrida, e a Ineos a subir para a frente do pelotão, colocando um ritmo forte, protegendo os seus líderes Geraint Thomas e Richard Carapaz, com Dylan van Baarle de cara ao vento. A luta pelo posicionamento foi bastante intensa, com todas as equipas à procura de posicionar os candidatos à classificação geral, assim como os favoritos à jornada de hoje, provocando diversos avanços e recuos no pelotão, felizmente sem quedas de ninguém.

A Ineos entrou na frente para a última subida ao Mur de Bretagne, com Richie Porte a assumir o controlo do pelotão num ritmo forte. Davide Formolo (UAE TeamEmirates) ainda tentou sair, mas sem sucesso, rebentando muito rápido com as poucas forças que já tinha. A 1.2km da chegada, foi Nairo Quintana (Arkea – Samsic) que lançou um ataque, mas sem sucesso, já que o colombiano não estava nada bem colocado. Sonny Colbrelli (Bahrain Victorious) tentou pouco depois fazer a diferença, mas também não conseguiu, e isso só serviu para lançar a movimentação decisiva de van der Poel! O holandês atacou com tudo o que tinha, sem que nenhum dos adversários pudesse responder, e cavalgou até à meta para homenagear o seu avô, Raymond “Poupou” Poulidor, com um belíssimo triunfo, que lhe permitiu também ascender à liderança da classificação geral! Na luta pelo segundo lugar do dia, Pogacar levou a melhor sobre Roglic e tem agora 1s de vantagem sobre o compatriota na classificação geral.

Ruben Guerreiro (EF Education – Nippo) foi o melhor português, em 32º, a 23s de van der Poel, enquanto Rui Costa (UAE Team Emirates) foi 63º, a 2:10.

Mathieu van der Poel é o novo líder da classificação geral e da montanha. Julian Alaphilippe (Deceuninck – QuickStep) mantém-se líder da classificação por pontos, após ter sido quinto classificado no dia de hoje, e Tadej Pogacar segue como o melhor jovem.

Classificações Completas

Classificações do Passatempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock