Eduardo Sepúlveda vence etapa no alto e é o novo dono da Volta a Turquia!

O argentino Eduardo Sepúlveda (Drone Hopper – Androni Giocatolli) venceu a quarta etapa do Tour of Turkey, uma ligação de 147km entre Izmir e Manisa, com final em alta montanha, graças a um ataque a solo a 4.5km da chegada, chegando com 15s de vantagem sobre Patrick Bevin (Israel – Premier Tech), Harm Vanhoucke (Lotto Soudal), Nairo Quintana (Arkéa – Samsic) e Jay Vine (Alpecin – Fenix).

A etapa rainha da 57ª Volta à Turquia começou de forma tranquila e só com 5km é que começaram os ataques para a formação da fuga do dia. Um grupo de oito unidades com Simone Belavilacqua (EOLO – Kometa), Peio Goikoetxea (Euskaltel – Euskadi), Sergey Tvetcov (Wildlife Generation Pro Cycling), Elchin Asadov (Sakaria BB Pro Team), Feritcam Samli e Oguzhan Tiryaki (Spor Toto Cycling Team), Jon Knolle (Saris Rouvy Sauerland Team) e Reinier Honig (China Glory Continental Cycling Team) escapou do pelotão e ganhou uma vantagem que nunca passou a barreira dos 3min.

A Arkea – Samsic assumiu o controlo do pelotão durante grande parte da etapa, já que Nairo Quintana era o grande favorito para o dia, apesar das diversas quedas sofridas nos três anteriores dias de corrida. Os escapados foram alcançados já na entrada para a subida final, a 15km do fim, com a Lotto Soudal a assumir o ritmo e Jasper de Buyst a fazer estragos no pelotão, partindo-o por completo até aos 9km finais.

Quando de Buyst abriu para o lado, foi Nicolas Edet (Arkea – Samsic) a atacar, com rápida resposta do líder à geral da equipa belga, Harm Vanhoucke. Quintana atacou de seguida diversas vezes, mas faltava explosão ao colombiano, que claramente estava com mazelas das quedas sofridas, e não conseguia ganhar espaço aos adversários. O grupo dos favoritos ficou reduzido a cerca de 13 unidades, e também Jay Vine tentou isolar-se, mas sem sucesso.

Patrick Bevin surgiu então a colocar ritmo durante a subida, para impedir os diversos ataques dos puros trepadores, e com isso foi deixando alguns adversários em dificuldades como Kevin Colleoni (BikeExchange – Jayco) ou Henri Vandenabeele (Team DSM). Adne van Engelen (Bike Aid) tentou fazer a diferença a 6km do fim, mas foi apanhado algumas centenas de metros depois, com um grupo já mais reduzido. Perante alguma passividade dos adversários, Sepúlveda chegou de novo ao grupo e passou direto a 4.5km do fim, numa mexida que não teve resposta dos adversários.

A movimentação veio a revelar-se decisiva, e Sepúlveda não mais seria alcançado, apesar de o grupo que o perseguia se ter desfeito nos 4km finais. Apenas Bevin, Vine, Vanhoucke e Quintana conseguiram resistir, com o Campeão Eritreu, Dawit Yemane (Bike Aid) e Sean Bennett (China Glory Continental Cycling Team) a apenas descolarem nos 500m finais. Bevin levaria a melhor ao sprint, num piso empedrado que claramente o favorecia, e fechava na segunda posição, 15s depois de Sepúlveda, com Vanhoucke logo atrás e depois Quintana e Vine.

Nas contas da geral, o argentino tem 14s de vantagem sobre Bevin e 25s sobre Jay Vine, acumulando a liderança da geral com a liderança da montanha. Jasper Philipsen (Alpecin – Fenix) segue na liderança da classificação por pontos e Vitaliy Buts (Sakarya BB Pro Team) na liderança da classificação dos sprints intermédios. A Kern Pharma é agora a melhor equipa.

Iuri Leitão (Caja Rural – Seguros RGA) foi 130º a 15:48 do vencedor.

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock