E vão duas para Wout van Aert!

O belga Wout van Aert da Jumbo – Visma venceu a sétima etapa do Tour de France, uma ligação de 168km entre Millau e Lavaur, batendo ao sprint o norueguês Edvald Boasson Hagen (NTT Pro Cycling) e o francês Bryan Coquard (B&B Hotels – Vital Concept), ambos com o mesmo tempo do vencedor.

Sétima etapa do Tour, um dia onde se esperava um final ao sprint em pelotão compacto, mas onde o vento apareceu desde início, e as táticas ofensivas também. Os ataques ainda surgiram no início da corrida, mas apenas permitiram a Benoit Cosnefroy (AG2R La Mondiale) ir buscar 2 pontos na classificação dos trepadores, pois a Bora – Hansgrohe já vinha a comandar o pelotão e a deixar os puros sprinters para trás.

A equipa alemã assumiu o pelotão durante os primeiros 80km, eliminando os principais sprinters da contenda pela etapa. Ainda assim, no sprint intermédio, Peter Sagan viu Matteo Trentin (CCC Team) passar à sua frente, o que não o impediu de assumir de novo a liderança virtual da classificação por pontos.

Com 95km para o final, a Bora levantou um pouco o pé, e permitiu que Thomas de Gendt (Lotto – Soudal) saísse em fuga em solitário, com várias equipas a passar pela frente do pelotão, como a Jumbo – Visma, a própria Bora, mas com menos força, e a Astana, e o grupo de Sam Bennett (Deceuninck – QuickStep) já a mais de 4 minutos de distância.

No pelotão, algumas quedas e problemas mecânicos foram acontecendo com Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) a ser de novo uma das vítimas. Com pouco menos de 40km para o final uma queda no pelotão, com matej Mohoric (Bahrain – McLaren) a ir ao chão, e a prender alguns corredores atrás de si. A Ineos apercebeu-se da situação e acelerou o ritmo, acabando por fracionar ainda mais o grupo, aproveitando de novo o vento que se fazia sentir. Pogacar, Landa, Porte e Mollema eram os principais favoritos a sofrerem com o corte, e no grupo a colaboração para perseguir não era a ideal.

Com 15km para o fim, furo para Richard Carapaz (Team Ineos), que gastou forças para chegar à frente com Jonathan Castroviejo que por ele havia esperado, mas sem sucesso, acabando o duo por entrar no segundo grupo já com 5km para o final. Michael Gogl lançou o sprint para Hagen, mas foi Wout van Aert quem saído 2 lugares atrás voltou a ser o mais forte e a vencer a segunda etapa neste Tour de France. A Bora, que havia trabalhado todo o dia para Peter Sagan, viu o ex-campeão do Mundo sofrer um problema mecânico no final e ser apenas 13º.

Nelson Oliveira chegou em 49º, a 1:21, tal como todos os elementos do segundo grupo, sendo agora 52º na geral a 26:46 de Adam Yates que teve um dia sem problemas, sempre muito bem colocado. Peter Sagan é o novo líder da classificação dos pontos, e Egan Bernal (Ineos Grenadiers) é agora o melhor jovem, depois de Pogacar ter ficado cortado na fase final. Benoit Cosnefroy mantém-se líder da montanha.

No passatempo, vitória de José Carlos Mota, ele que sobe a segundo na classificação geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock