Denz equilibra as contas no duelo de germânicos!

O alemão Nico Denz, da Team Sunweb, redimiu-se do segundo lugar obtido no contrarrelógio da etapa 1b da Volta à Eslováquia, vencendo a etapa 2. Denz foi o mais rápido no sprint final, deixando na segunda posição o homem que o bateu no contrarrelógio e líder da competição, o alemão da Deceuninck-Quick Step, Jannik Steimle, e no terceiro lugar o luxemburguês Jempy Drucker, da BORA-hansgrohe. Os dois alemães estão agora empatados na liderança da classificação geral, com vantagem para o homem da Deceuninck.

No segundo dia de prova na Eslováquia, o pelotão enfrentava uma ligação de 206.6 km, com partida em Zilina e chegada em Banská Bystrica. O perfil da jornada era bastante acidentado, com dez contagens de montanha, quatro de primeira categoria. Os últimos 16 km da etapa eram, contudo, em descida.

O início da corrida foi disputado num ritmo frenético, com os ataques a sucederem-se em catadupa, embora sem resultados práticos ao nível da constituição da fuga do dia. O pelotão estava cada vez mais alongado, até que houve mesmo uma quebra que deixou cerca de 30 ciclistas na frente da corrida. À passagem pelo primeiro sprint intermédio do dia, houve luta entre os dois primeiros da classificação geral, Steimle e Denz, com o alemão da Sunweb a ser mais rápido nesse ponto.

A fuga da jornada iria formar-se já com mais de 50 km cumpridos na jornada, com a movimentação de Guillaume Boivin (Israel Start-Up Nation), Martin Haring (Dukla Banska Bystrica), Michael Kukrle (Elkov-Kasper), Kenny Molly e Joel Suter (Bingoal-Wallonie Bruxelles). A vantagem dos escapados chegou aos quatro minutos, com o pelotão a ser controlado pela Deceuninck-Quick Step.

A 40 km do final, atacou Robert Power do pelotão, com a Sunweb a tentar perturbar o trabalho da Deceuninck. Este ataque provocou uma autêntica sangria no pelotão, sendo uma das vítimas o vencedor do sprint da etapa 1a, Martin Laas (BORA). Na frente, iam sobrevivendo Molly, Suter, e Boivin, no entanto, com 20 km para o final, a fuga foi mesmo eliminada e o pelotão, com cerca de 50 corredores, começou os preparativos para uma chegada em grupo compacto.

A 5 km da meta, o terceiro da geral, Andreas Leknessund (Uno-X Pro Cycling Team) ainda atacou, mas o ritmo do pelotão não permitia veleidades desse género. Na chegada ao sprint, o mais forte acabou por ser Nico Denz, batendo o camisola amarela, Jannik Steimle, e também Jempy Drucker. O vigoroso sprint destes três homens causou um corte de um segundo para o restante pelotão, que trazia Mihkel Räim (Israel Start-Up Nation) à cabeça. Na quinta posição terminou Shane Archbold, da Deceuninck, segundo no sprint da etapa 1a, mas que desta vez prestou auxílio ao líder da corrida, na tentativa de levar Steimle à vitória na etapa mas também de evitar a perda da liderança da corrida. O primeiro objetivo não foi cumprido mas o segundo sim, uma vez que Steimle se mantém de amarelo, com Denz em segundo, embora agora com o mesmo tempo de Steimle. Na terceira posição, está agora Shane Archbold, a 16 segundos da liderança, ultrapassando Leknessund que é agora quarto a 17 segundos.

Amanhã disputa-se a terceira etapa da Volta à Eslováquia, com uma jornada de 181.3 km entre Banská Bystrica e Ziar nad Hronom. Perante os ciclistas, apresentam-se três contagens de montanha, duas delas de primeira categoria. A última das quais está, contudo, colocada a 50 km da meta, o que pode permitir novamente a discussão da etapa por um grupo relativamente numeroso de corredores e mais um round na luta entre os germânicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock