Conquistado o primeiro Monumento de Wout van Aert!

O belga Wout van Aert venceu hoje o primeiro Monumento da temporada, a Milano Sanremo, em plena Via Roma, batendo ao sprint o vencedor do ano passado, o francês Julian Alaphilippe. Na terceira posição terminou o australiano Michael Matthews da Sunweb a 2 segundos.

O primeiro monumento do ano prometia, e não desiludiu! 305km que coroaram um digno vencedor, num final brutal, com muito espetáculo, ao fim de 7 horas 16 minutos e 09 segundos. O dia começou com uma fuga a formar-se rapidamente com Alessandro Tonelli (Bardiani CSF Faizane), Fabio Mazzucco (Bardiani CSF Faizane), Manuele Boaro (Astana), Héctor Carretero (Movistar), Mattia Bais (Androni Giocattoli-Sidermec), Damiano Cima (Gazprom-Rusvelo) e Marco Frapporti (Vini Zabu-KTM). Os 7 conquistaram uma vantagem de mais de 6 minutos, sempre controlada pelo pelotão, que os conseguiu alcançar quando assim quis.

A 87km do final, primeira desistência de relevo, Matteo Trentin, depois de uma queda que pareceu ser por distração no meio do pelotão. A corrida continuou com as batalhas por posição a começarem a aparecer a 60km do final, e o ritmo a aumentar consideravelmente. A fuga foi totalmente alcançada a cerca de 35km do fim, com Boaro a ser o último resistente, ao mesmo tempo que Julian Alaphilippe batalhava com um furo, tendo reentrado rapidamente muito graças ao apoio brutal de Tim Declerq.

Alaphilippe e van Aert a isolarem-se no Poggio di Sanremo.

Com a entrada nas subidas, ritmo de novo alto, com Caleb Ewan a ser o primeiro a perder terreno ainda com 25km para o final. Surpresa grande pela negativa, já que o australiano costuma ser dos que melhor passa este tipo de colinas de entre os sprinters. Pouco depois foi Gaviria também a ceder, enquanto outros pareciam muito bem na frente como era o caso de Giacomo Nizzolo.

Daniel Oss atacou na descida Cipressa e manteve-se na frente durante uns bons quilómetros, isto depois de a mesma subida ter sido atacada por Ciccone, Mosca, Lutsenko, todos a contribuir para o aumentar de ritmo na corrida.

A entrada no Poggio deu-se com o alcançar de Daniel Oss, e novos ataques a acontecerem, o mais forte de todos colocou Aimé de Gendt na frente, mas o belga da Circus – Wanty Gobert não teve hipótese quando Nibali passou por ele a voar, e atrás dele seguiram Julian Alaphilippe, Wout van Aert e Michal Kwiatkowski. Todavia, o esforço quer do polaco quer do italiano não durou muito, e eles acabaram por não conseguir seguir com van Aert e Alaphilippe.

Alaphilippe ainda se distanciou de van Aert, mas o belga não deu muito espaço e voltou a juntar na descida, perante um grupo de cerca de 25 unidades que era liderado por Matej Mohoric a seguir sempre a 5, 6 segundos de distância. O duo “franco-belga” entrou na frente nos 2.5km finais planos, mas 700m depois Alaphilippe deixou de dar relevos, e van Aert foi obrigado a levar o francês até à meta se queria discutir o final. Com alguma indefinição lá atrás eles foram mantendo a vantagem nos 7, 8 segundos, e a vitória começou cada vez mais a parecer poder cair para eles. O grupo aproximou-se muito nos últimos metros, mas não conseguiu alcançar o duo, e van Aert foi o primeiro a sair para o sprint, com Alaphilippe a lançar-se também de imediato, mas sem conseguir superar o belga da Jumbo – Visma, que assim venceu pela primeira vez um Monumento!

Na luta pelo lugar mais baixo do pódio, Michael Matthews foi o mais forte e conquistou a terceira posição logo à frente de Peter Sagan que uma vez mais voltou a não conseguir vencer o Monumento da primavera italiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock