Conheça os Novos Campeões Nacionais de Contrarrelógio espalhados pela Europa fora

Tal como em Portugal, durante esta semana estão a ser realizados a maior parte dos campeonatos Nacionais nos diversos países Europeus. Fica a conhecer os diversos vencedores!

A surpresa Belga

A surpresa na Bélgica (que não é assim tão surpresa) vai para Yves Lampaert, que em casa bateu o super favorito, Remco Evenepoel, e também Victor Campenaerts, que completaram o pódio, batidos por 20 e 41 segundos, respetivamente, para conquistar o título pela segunda vez, depois da vitória em 2017.

Na prova feminina Lotte Kopecky revalidou o título pelo 3º ano consecutivo.

O regresso de Dumoulin

Tom Dumoulin não deu qualquer chance aos adversários no regresso que está a fazer às estradas, já desde a Volta à Suíça, e conquistou a sua primeira vitória em 2021 com o título Nacional Holandês de contrarrelógio.

Tom Dumoulin descreveu este como sendo o “mais especial” dos seus quatro títulos de contrarrelógio após ter batido Sebastian Langeveld e Koen Bouwman no esforço individual. O contrarrelógio de 29.6km foi um importante teste para a capacidade física e psicológica de Dumoulin, que com este triunfo conquista o 4º título nacional da especialidade. Sebastian Lagenveld foi segundo, a 27 segundos, e Koen Bouwman terceiro, a 1:24. A vitória dá esperança para termos Tom Dumoulin a lutar pelas medalhas em Tóquio. Nos femininos, numa luta dura, o triunfo sorriu a Anna van der Breggen, que assim repete a vitória de 2015.

E vão 5 para King Kung, mesmo com um furo!

Stefan Küng conquistou mais um título de contrarrelógio na Suíça, o quinto consecutivo, inclusive com um furo e troca de bicicleta pelo caminho, que não foram suficientes para deixar o seu reinado como campeão nacional na corrida contra o relógio. Um sinal promissor do suíço para os Jogos Olímpicos, já que o percurso destes campeonatos teve um declive bastante acentuado. O segundo mais rápido foi Marc Hirschi, gastando mais 2 minutos que Kung e em terceiro, a mais de 3 minutos, terminou Théry Schir. Na corrida feminina a vitória foi para a corredora da Alé BTC Ljubljana, Marlen Reusser, que bateu a concorrência toda por mais de 1 minuto.

A Letónia viu a Trek-Segafredo conseguir a dobradinha, com Toms Skuijns e Emils Liepins a terminarem na primeira e segunda posição. No Cazaquistão, a surpresa aconteceu com a vitória de Daniil Fominykh, ciclista que foi dispensado da Astana no final de 2020, e bateu a dupla da Astana composta por Yevgeniy Fedorov e Yuriy Natarov.

Triplete FDJ em França, no dia de azares de TGV Cavagna

Por terras gaulesas, Épinal foi a cidade que acolheu os Nacionais de contrarrelógio. Remi Cavagna era o grande favorito a revalidar o título, mas os azares bateram-lhe à porta e com força. Primeiro problemas mecânicos, e depois um furo ditaram a sina do ciclista da Quick Step, que assim se viu impossibilitado de lutar pela vitória . Benjamin Thomas fez uma prova excecional e conquistou o título nacional pela segunda vez na carreira, depois de o ter vencido em 2019. Bruno Armirail e Alexys Brunel completaram o pódio, a 31 e 55 segundos respetivamente, com a Groupama – FDJ a ocupar por completo o pódio.

Na prova de elites femininas, a luta pela vitória foi entre as corredoras do World Tour, sendo Audrey Cordon-Ragot a nova campeã nacional, ao conquistar um título que já não vencia desde 2018, e Juliette Labous a ficar-se pela 2ª posição, a 30s da vencedora.

Ion Izagirre volta aos títulos Nacionais

Ion Izagirre voltou a sagrar-se campeão nacional de contrarrelógio, depois de uns anos em jejum. A surpresa vai para David de La Cruz, que ficou a apenas 1 segundo do corredor da Astana. Carlos Rodriguez deu boas indicações fechando o pódio.

Na corrida feminina, Mavi Garcia impôs-se na luta contra o cronómetro, mas o destaque vai para o futuro talento espanhol – Sara Martin Martin – que conquistou o 2º lugar nas elites e 1º nas sub-23.

Deceuninck – Quick Step domina campeonatos!

Os ciclistas da Deceuninck – Quick Step, Kasper Asgreen e Josef Cerny, fizeram jus ao estatuto de favoritos e triunfaram na Dinamarca e na República Checa, respetivamente, revalidando os títulos conquistados no ano passado. O primeiro superou Mikkel Bjerg, enquanto que Cerny bateu o tão querido compatriota Jan Barta.

Na Polónia, Maciej Bodnar voltou aos títulos nacionais, e pela 7ª vez na carreira. Na Hungria, Erik Fetter deu à EOLO-Kometa o primeiro título nacional (e que importante!). Já na Rússia, Aleksandr Vlasov conquistou o seu primeiro título nacional da especialidade após uma grande evolução no esforço contra o cronómetro. Nos países vizinhos, Evaldas Siskevicius revalidou o título na Lituânia, dando continuidade ao título dentro da equipa de José Azevedo. Rein Taaramae venceu pela quinta vez, de forma não consecutiva, na Estónia.

Pogacar não foi além do bronze!

Na Eslovénia, Tadej Pogacar sofreu um duro golpe ao ceder o seu título para Jan Tratnik da Bahrain Victorious. A UAE Team Emirates foi ultrapassada pela Bahrain que venceu a prova, ficando “apenas” com a prata e bronze.

Na eslováquia, foi Ronald Kuba quem conquistou o título nacional, enquanto na Finlândia Matti Hietajärvi bateu a concorrência.

Tobias Foss faz juz a futuro líder Noruguês

O corredor da Jumbo – Visma, Tobias Foss, não deu hipóteses à concorrência local e conquistou o título nacional na especialidade, o primeiro enquanto elite. Søren Wærenskjold e Andreas Leknessund completaram o pódio.

E a grande surpresa vai para Itália!

Por terras italianas, o jovem Matteo Sobrero bateu com clareza os super favoritos Filippo Ganna e Edoardo Affini. O contrarrelógio italiano foi dos mais longos ao longo de toda a Europa, com cerca de 45km de extensão e Sobrero venceu com o tempo de 58:40. O Campeão Mundial, Filippo Ganna, não foi além da 4ª posição, sendo batido também por Edoardo Affini e Mattia Cattaneo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock